Volto do Aquário de São Paulo, onde passei o Dia dos Pais com a molecada, e dou de cara com essa notícia: morre Isaac Hayes, aos 65 anos, de causa desconhecida. Dureza... Uma das vozes mais emblemáticas do soul (estilo Barry White), um figuraça no palco, autor de canções inesquecíveis (a trilha de Shaft já lhe garante o título de gênio).

Para homenageá-lo, poderia por pra tocar o Hot Buttered Soul, Black Moses ou mesmo a trilha de Shaft, mas vou curtir solenemente o Wattstax, dois álbuns duplos de 1973 que reproduzem o woodstock negro que rolou um ano antes em Los Angeles e que teve Hayes como sua atração principal. O evento foi organizado pela gravadora Stax para relembrar o sétimo aniversário dos conflitos de Watts (um bairro de LA) entre a polícia e a comunidade negra local, que deixou 34 pessoas mortas e milhares de feridos.

Hayes tocou três músicas para uma platéia de mais 100 mil pessoas no estádio Los Angeles Coliseum: o tema de Shaft, Soulsville e Ain't no Sunshine. Uma beleza. Vi o festival pelo DVD que comprei tempos atrás. Hayes é ovacionado quando entra com sua então tradicional jaqueta de correntes douradas. E manda ver no piano, alucinado.

Um dos grandes sucessos de Isaac Hayes é Never Can Say Goodbye (Black Moses, 1971). Realmente, muito difícil dizer adeus para um cara como esse. Dá uma conferida nos vídeos aí embaixo e vê se estou exagerando - no primeiro, ele canta o grande sucesso; no segundo, sua apoteótica entrada em Wattstax, apresentado pelo reverendo Jackson para tocar o tema de Shaft:





(Ah, também estiveram presentes em Wattstax: Carla e Rufus Thomas, Albert King, Staple Singers, The Bar-Kays, Eddie Floyd, Little Milton e Jimmy Jones, entre outros. Não à toa foi considerado à época como a resposta negra para Woodstock. Na boa? Pelo naipe dos convidados de ambos os festivais, fico com Wattstax. Fácil.)

Exibições: 109

Responder esta

Respostas a este tópico

Ele dublava o personagem Chef do maravilhoso South Park.
é sim, Luciene. Mas acabou saindo por um motivo prosaico: disse que o desenho debochava demais da Cientologia, religião da qual era adepto...

Ninguém é perfeito, né mesmo?

;)
Isaac Hayes, um dos nomes clássicos da soul music, também foi muito sampleado por rappers e utilizado por djs na construção de colagens musicais. Seus grooves e levadas são exemplo máximo de uma época profícua da black music. Clássico. Boa lembrança Jorge.
Ricardo, cito um clássico do Portishead (Glory Box) e Jorge da Capadócia, de Jorge Ben pelos Racionais, que tem a mesma música de Hayes sampleada.
POis é Bento, esses caras sao usinas de grooves, batidas e melodias...

RSS

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço