O Supremo é maior que seus Ministros. É a soma dos grandes Ministros que fizeram história. Mas é maior do que fraquezas, erros ou omissões de cada Ministro individualmente.

Se tiver dados, fotos, trabalhos lembrando os grandes momentos do Supremo, por favor, ajude a engrossar o grande coro para impedir a desmoralização do STF.

Exibições: 281

Responder esta

Respostas a este tópico

Impedir a desmoralização, infelizmente, será difícil. Enquanto os presídios estão super-lotados de presos que já cumpriram suas penas e não são soltos pela lentidão quelônica da Justiça, bilionário é solto na madrugada. E só não foge para o exterior se não quiser, já que nem precisa passar por aeroportos oficiais (apesar que com um passaporte recheado de euros, passaria também).
Realmente, precisamos estudar o STF do passado, porque o atual nada tem a nos ensinar. Ou melhor: tem sim. Tomara que o povo aprenda e reaja, como fonte de todo o Poder, que é.
Vejo na atual composição do STF a própria cara do Brasil, assim como é a cara do Brasil a nossa Constituição. É necessário aplaudir o Supremo de hoje, cujos magistrados associaram, em seus julgamentos, a idéia de justiça social.
Mouro,
Tive a oprotunidade de conhecer pesoalmente o Evandro Lins e Silva por ser avô de uma colega de Residência Médica, aqui no HC.
Ele era um homem impressionante.
Foi um cara sempre pouco preocupado em enfrentar as marés adversas, e não fugia de temas polêmicos.
Na década de 40, durante o Estado Novo, defendeu mais de 1.000 presos políticos. No período da ditadura militar, como ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu habeas corpus que desagradaram aos militares.
Foi Procurador-geral da República (1961 a 1963); chefe do Gabinete Civil (1963); ministro das Relações Exteriores de João Goulart (1963); ministro do STF (1963 a 1969), de onde foi deposto pelo AI-5.
Defendia a liberalização das drogas e a proibição de armas a civis.
Foi da ABL de 1998 até sua morte em 2002.
Foi o advogado do impeachment do Collor.
Ai Mouro, tô sentimental demais, vou colocar aqui duas coisas bem legais para quem se interessar, senão vou fazer como outro dia do Capistrano e começar a chorar...

http://www.academia.org.br/abl/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=91

http://revistaepoca.globo.com/Epoca/0,6993,EPT419708-1666-1,00.html

Onde foram parar os grandes e honrosos nomes dessa Nação?
Ops, corrija-se : oportunidade e possibilidade hehehehe, desculpem aí /:o)
Este é um espaço democrático, por isso cabe a divergência. O STF foi e continua sendo grande, composto por dignos Ministros, como é o caso do Min.Gilmar Mendes, que honra a toga pela cultura e seriedade. O HC em favor de Daniel Dantas, demonstra sua altivez, que não se deixa intimar por um quadro de caça às bruxas criado por interesses inconfessos, onde se difunde a versão que interessa a essa situação, através de veículos de comunicação vinculados a tais interesses. A decisão de primeira instância não tinha sustentação legal, daí a concessão do HC,instrumento legal que o Direito, ao longo do tempo, acolheu e preserva. eis que se constitui numa garantia contra a arbitrariedade praticada em detrimento do Estado Democrático de Direito. João Batista Neto
Deja vu . Veja na matéria da folha do dia 22/07/2000, discussão muito parecida com as atuais....
http://www1.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc2207200016.htm
ATON, muito obrigado e puxando a brasa para minha sardinha, como vc. lembrou-se, com orgulho, do Dr. Evando Lins e Silva, como ´grande socialista´, tive tb. a honra de ser compartilhar como esse ilustre jurista, humanista e socialista (acho que nessa ordem) a re-fundação do Partido Socialista Brasileiro - PSB - "um ideal de socialismo, democracia e liberdade que ainda não se realizou", nas palavras dele - e que temos o dever de perseguir, sempre, do qual ele foi nosso Presidente de honra até o falecimento, sucedido à altura pelo eterno governador de Pernambuco, Miguel Arraes.

Enfim, vc. me deu um bom motivo para não pensar no atual STF e não tecer apreciação a respeito de seu Presidente que não nos deixa esquece-lo como o ex-advogado geral do governo da privatização dos bens públicos acumulados em 70 anos e que elevou o Dr. Daniel Dantas à condição de ser um dos poucos bilionário da república. sds.socialistas.
O Brasil não precisa de juristas apenas, mas de juizes com amor a justiça, a democracia e a república, Felizmente para um gilmar mendes temos um De Sanctis e no Supremo um JOQUIM BARBOSA.
Os meandros, as firulas, o rococó, a descabida erudição com citações fora do contexto de onde foram sacadas, só servem para os advogados dos bandidos ricos livrarem seus clientes, para juíses com fortes indícios de desonestidade darem benefícios como habeas corpus, engavetamentos etc, que afrontam qualquer bom senso.
É interessante como os advogados conhecidos como defensores desses grandes bandidos se transformam rapidamente em “jornalistas”, ocupando espaço na mídia e colocando-a sob uma certa suspeição. Esses advogado usam de argumentos difíceis de engolir, como restrições ao direito de defesa, provas descabidas, procuram sempre desqualificar a polícia, agem como braços dos desvios, servindo de intermediários na corrupção, sabem em qual tribunal, em qual vara, qual juiz, os seus processos devem tramitar e serem julgados com sentenças favoráveis ou simples “gavetas” se forem de difícil absolvição. Tem também a mídia prestando inestimáveis serviços a estas quadrilhas, citam e/ou “entrevistam” os advogados, juristas “indicados” pelos indiciados ou seus representantes para desviarem o foco da essência da questão, para desqualificarem os oponentes, para criarem factóides, enfim uma enorme gama contra-informações, preenchendo todo tempo e espaço possível, até que outros fatos ou escândalos novos venham substtuí-los, até o “esquecimento” da opinão pública.
Nic,
vc tem razão -acho...
Dos atuais Ministros do STF não conheço nenhum maior que o Joaquim Barbosa...
No fim das contas quem roubou a cena foi o Ministro Gimar Mendes.
Um fato que eu não sabia a respeito do STF. Nem todos os juízes são concursados, nem todos são juízes de carreira. Aliás, basta ser advogado para poder pleitear um cargo no supremo. Curiosidade: um dos juízes do Supremo, antes de ser nomeado juiz, trabalhou como advogado em um daqueles programas de auditório, se não me engano o "Aqui e Agora"!! É mole?!
Sim, Carlos a indicação dos ministros é política; Aliás, nem precisa ser advogado, basta ter "notório saber jurídico" para poder ser indicado. Isso e ser brasileiro nato entre 35 e 65 anos e ter "reputação ilibada". É indicado pelo Presidente da República e passa por "aprovação" do senado. Até hoje, desde sua criação em 1890, somente durante a presidência de Floriano Peixoto foram rejeitadas indicações. Eram um médico e três generais.

Já que é político, seria justo que fosse eleito pelo voto. Se não fosse para ser político que fosse juíz de carreira. O modelo atual favorece isso daí.

RSS

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço