Portal Luis Nassif

A AMEAÇA BRITÂNICA A ASSANGE E AO EQUADOR É GRAVÍSSIMA. COMO REAGIRMOS?

Todas as instituições, entidades e cidadãos que defendem a liberdade e o respeito à soberania das nações devem posicionar-se da forma mais contundente possível contra a arrogante e inaceitável CHANTAGEM do governo britânico, que ameaça invadir a embaixada equatoriana em Londres para SEQUESTRAR Julian Assange, utilizando como PRETEXTO uma estapafúrdia e retalatória denúncia FORJADA na Suécia, caso o governo de Rafael Correa tenha a coragem de conceder-lhe asilo (obs.: acabou de fazê-lo, às 9h desta 5ª feira, 16 --ousarão os britânicos cumprir a ameaça?).

É extremamente insultuoso ao Equador que um país do 1º mundo reaja com tamanha virulência ao mero BOATO de que Correa já estaria decidido a asilar o porta-voz do WikiLeaks, que nada fez além de expor os podres de altas autoridades, principalmente dos EUA, revelando aos cidadãos comuns as monstruosidades cometidas na surdina pelos poderosos.

O ridículo leão desdentado pensa que ainda está rugindo, mas a mensagem que entregou à chancelaria do Equador (vide íntegra aqui) não passa de um miado servil, de gatinho que tudo faz para merecer as carícias do amo estadunidense.

Na carta que o chanceler equatoriano não deveria sequer ter-se dignado a receber, devolvendo-a de pronto como desrespeitosa e descabida, os britânicos se dizem dispostos a "cumprir com as nossas obrigações legais, descritas na Decisão Marco relativa à Ordem de Detenções Europeia e à Lei de Extradição de 2003 (Extradition Act 2003), de levar o Sr. Assange à prisão e extraditá-lo à Suécia".

Ou seja, estão prontos para cometerem UMA FLAGRANTE E GROTESCA VIOLAÇÃO DAS LEIS E CONVENÇÕES INTERNACIONAIS (a Convenção de Viena, de 1961, garante a inviolabilidade do território das embaixadas e missões diplomáticas), a elas sobrepondo um mostrengo jurídico pactuado UNILATERALMENTE pelo Reino Unido com os EUA de George Bush, na onda de histeria e de abusos contra os direitos dos cidadãos subsequente ao atentado contra o WTC.

O mundo precisa dar um basta a esta escalada de arbitrariedades. E a hora é agora!

LEIA TAMBÉM ESTES TEXTOS RECENTES DO BLOGUE NÁUFRAGO DA UTOPIA (clique p/ abrir):

USTRA ESPERNEIA, MAS CONTINUA COM O "TORTURADOR" CARIMBADO NA TESTA

O ÓBVIO ULULANTE: AS TORTURAS FORAM POLÍTICA DE ESTADO

ALERTA VERMELHO: ITÁLIA TENTA FORÇAR A DEPORTAÇÃO DE BATTISTI

Exibições: 300

Responder esta

Respostas a este tópico

Bom, isso significaria ao menos, claramente, que as leis internacionais nao valem nada. E que a perseguiçao a Assange nao tem nada a ver com pretensos estupros (claro que já sabíamos disso, aliás de ambas as coisas; mas, a elas serem verdadeiras, melhor que sejam claras... Espero que o Brasil proteste contra esse tipo de conduta, se ocorrer. Mas o que está sendo pensado como reaçao?  

Se o Reino Unido fizer o mais provável --apenas negar a Assange o salvo-conduto para deixar o país, obrigando-o a ficar mofando na embaixada--, creio que a reação será frouxa.

Neste caso, os países-irmãos cá da América deveriam, ao menos, lançar um comunicado condenando a arrogante pressão britânica. Onde já se viu ameaçar cometer um ato de guerra por causa de algo tão banal?!

Agora, se ousarem mesmo invadir a embaixada, espero que a Dilma, desta vez, não vacile como no caso paraguaio. Teria de haver uma pressão mundial para que o sequestrado fosse invadido.

Se for negado um salvo conduto, veículos das embaixadas nao têm imunidade tb? Ele nao poderia ser retirado de helicóptero e levado até um aeroporto neutro próximo? Se houver esse aeroporto... 

Celso

Acho que não dá para glorificar Assange. Ou, torná-lo mártir de causa nenhuma. Ele vazou na internet documentos roubados e, sobretudo, mexeu com poderosos. E, desde o início, sabia dos riscos que corria. Ele é um fugitivo de pendências legais na Suécia. Estupro creio eu. Verdade ou não, sua escolha de fugir só corrobora a ideia de que ele não seja tão inocente assim. Em relação ao estupro é claro. 

Assange está na embaixada do Equador, que fica em solo inglês. Nesse sentido, os ingleses não estão desrespeitando nenhuma lei em não permitir que ele saia da embaixada. O fariam se invadissem a embaixada.

Não creio que vá haver mudanças no roteiro. Ele, Assange, não conseguirá sair da Embaixada. Na verdade irá fixar, lá, permanentemente, residência. Ou, ser preso.

Enfim, a Inglaterra está dentro de suas premissas legais e, do mesmo modo, está o Equador. Em virtude disso, não há nada a ser feito por nenhum governo em, especial da Dilma, posto que não há nada que prejudique o sr Assange. Muito pelo contrário.

Nenhum país, sério, irá  protestar por que o sr. Assange está asilado na embaixada do Equador e, tampouco, forçar a Inglaterra a deixá-lo, Assange, ir para o Equador sem , a priori, responder a processo legal, contra ele, Assange, na Suécia. 

Em suma, Assange sabia no que estava se metendo. E, não há nada que possa, legalmente, ser feito para ajudar o Assange a sair dessa.

Abs.

Lero lero de direitista mesmo. Documentos roubados, sim. Que revelaram os horrores das guerras, que o governo americano queria manter escondidos. E dar salvo-conduto a asilados é a prática corrente, que até ditaduras normalmente respeitam. 

Anarquista

Documentos roubados.

Um dos soldados americanos que roubou documentos, e os passou para o Assange, está preso. Isto é, a ação do Assange prejudicou  alguém e não "mudou" o mundo. Assange não é uma pessoa que sofra perseguição politica e, até divulgar documentos, não raro, roubados não tinha nenhum problema em ir e vir.

Na verdade, Assange, até prova em contrário [de inocência ou culpabilidade], é acusado de estupro na Suécia. E, grosso modo, fugitivo da justiça daquele país, ou seja, Suécia.  

A embaixada do Equador, portanto, asila um fugitivo da justiça da Suécia na sua embaixada - em solo inglês. Ao dar salvo conduto para que Assange vá para o Equador a Inglaterra estaria descumprindo acordo de extradição com a Suécia e, sobretudo, livrando um fugitivo da justiça sueca da cadeia.

Por outro lado, a embaixada do Equador, ao levar Assange para o Equador,  estaria desrespeitando leis internacionais de dois países: Inglaterra e Suécia. 

Assange, é, com efeito, um criminoso comum que está com problemas com a justiça da Suécia e quer fugir para o Equador. Está certa a Inglaterra em não permitir que ele saia do país. Estará errada se invadir a embaixada do Equador. Coisa que não creio que o governo inglês o faça. Enfim, Assange, ficará mofando na embaixada do Equador até se cansar e se entregar. Será vencido pelo cansaço.

Abs. 

Sabe que mais? Passe bem, Antonio, nao vou perder tempo discutindo com alguém com a sua cabeça. 

Anarquista

Em seu comentário, no seu blog, Paulo Moreira Leite, ao defender Assange, cita a "liberdade de imprensa", no entanto, mesmo a imprensa tem regras e está sujeita a sanções.

1. Assange é acusado de estupro na Suécia. Isso já tira a aura de perseguição politica - o cara está, na real, fugindo para não ser preso;

2. Asilo no Equador, consequentemente, o livra de cadeia na Suécia;

3. Se eu, Antonio, conseguir, não importa por que meios, documentos/fotos ou informações suas, Anarquista, à sua revelia e os/as publicar na internet, eu, Antonio, estarei cometendo uma contravenção penal/crime e, em razão disso posso responder na justiça por isso. Algo mais ou menos como ocorreu com a atriz da Globo. Efetivamente, é isso que o Assange faz. Só que, no caso dele, chamam isso de "imprensa";

4. Não vi, por ocasião do Pan-americano no Rio, nenhuma defesa aos cubanos que pediram asilo no Brasil e que foram deportados para a Ilha de Fidel.

Abs. 

Passe bem, Antonio. 

Caro Antônio.

É hilária a sua intervenção, procurando ignorar os fatos, distorce as palavras e ignora o que lhe convêm, pois então vamos aos fatos.

Os documentos obtidos pela organização de Assange, foram verificados e divulgados em primeira mão por grandes jornais (inclusive alguns conservadores) que durante semanas os verificaram. Cabe a pergunta, porque nenhuma ação foi feita contra estes jornais? Se o ato fosse tão ilegal como descreves, por que nenhum processo foi feito contra eles.

A forma de combater um inimigo POLÍTICO, como Assange, tem longa tradição no mundo moderno. O primeiro campeão negro de pesos pesados norte-americano (1908) Jack Jonhson, que devido ao título se transformava numa afronta a sociedade racista norte americana, foi preso duas vezes pelo Mann Act, lei contra o tráfico de escavas brancas (criada em 1910) por transportar Lucille Cameron, na época sua namorada e posteriormente futura esposa, de um estado norte americano para o outro, ou seja, o tipo de inimigo é outro, mas a forma de combatê-lo é a mesma.

Como Jack Jonhson, Assange é acusado de um crime que consiste em romper uma camisinha durante um ato sexual de consenso entre dois adultos. Todos sabem que este crime não vai ser aceito por qualquer juiz Sueco, mas como o objetivo é extraditá-lo para os USA, a acusação serve.

Pelo que eu saiba, e pela tradição dos últimos cinquenta ou mais anos, nenhuma embaixada é invadida por forças policiais de qualquer país, havendo acordos internacionais que ratificam isto, e o Equador deu asilo a Assange, somente após a Inglaterra oficialmente declarar que invadiria a embaixada do Equador.

Os motivos da perseguição a Assange são claros, as intensões deste ato são mais claras ainda, só não vê ou não tem inteligência para isto ou simplesmente não quer ver.

Parabéns, você teve um saco de filó para explicar o óbvio a esse americanófilo de má fé (apesar de tanta fé...). Nao tive paciência, já ando me desgastando muito em discussoes no blog-mae, que está invadido de trolls novos atacando os funcionários públicos. 

Bom dia Maestri!

Acho que não dá para comparar a situação de Jack Jonhson, negro americano que viveu o pós escravidão nos EUA, e que sobretudo sofreu com o racismo [muito pior] e não com perseguição politica.

Jonhson, viveu em uma época, nos EUA, em que na maioria dos estados ser negro já era motivo para ser morto e queimado em praça pública como exemplo para outros negros. E não era preciso fazer nada para ser linchado - bastava ser negro. Jonhson era negro. Isto é, não tinha escolha. Assange, ao contrário, escolheu fazer o que faz, isto é, criar o Wikileaks e hackear documentos e, sobretudo, conhecia os riscos.

Ademais, na maioria dos estados americanos, em especial na região do país onde  Jonhson viveu, era crime negros terem contato com muheres brancas. O casamento de mulheres brancas com  negros era crime e dava cadeia.

Por outro lado, Assange, na real, é um dandy que se auto exilou da Austrália [país rico] e foi correr mundo a procura de aventuras.

Comparar Assange com Jonhson é, com efeito, desrespeitar a memória de uma vitima do racismo, Jonhson. Racismo que ceifou a vida de vários outros negros que sofreram com perseguições, humilhações  e muita violência.

 

Abs. 

 

RSS

Publicidade

© 2018   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço