Em mais um desdobramento da guerra surda que a direita trava nas sombras da política pela hegemonia do eleitorado conservador, o PSDB urdiu, junto à ala Alkimista do Ministério Público, a grande vingança contra Kassab pela ousadia de haver criado a contrafação do partido da socialdemocracia brasileira, o partido socialdemocrata.

 

Não havia lugar para duas siglas conservadoras em São Paulo, quiçá no Brasil, e o fortalecimento de uma implicaria necessariamente no enfraquecimento da outra.

O plano foi bem urdido. Teria que se mostrar como um raio em céu azul e mexer com as emoções das camadas médias naquilo que lhes parece ser o bem mais precioso que possuem na vida, superior à ela própria: o automóvel da família.  

Irritadíssima por quase não conseguir manter o carro, e sem outra alternativa que venha substituí-lo, dada  morosidade com que se expandiu  a rede de transporte público nos últimos 20 anos, sabiam os procuradores que se lançassem um pedaço de carne aos cães a matilha devoraria a vizinhança toda e o chamado “partido do Kassab” despontaria para a política como Lázaro para os hebreus, um verdadeiro lazarento.

Indício do sentido de cruzada contra Kassab em que se transformou o caso da Controlar, concessionária que realiza a inspeção de emissão de gases dos veículos na cidade de São Paulo, foi a copiosa análise que fez a nova porta-voz do oficialismo da Rede Globo, Madame Lo Prete, sobre os graves desdobramentos que o caso poderia ter, levando até mesmo à cassação do prefeito. Ressoaram no mesmo diapasão os demais clarins da grande mídia: Kassab pode cair!

Mas o disparo contra o alcaíde, que era para ser precisão, foi mesmo é de canhão e a explosão produzida vem detonando as paredes da fortaleza que se tentava construir para enfrentar o Partido dos Trabalhadores nas eleições de 2012.

Com a indisponibilidade de bens de Kassab e de outros 12 ruiu sobre a calva dos seus arquitetos a grande aliança PSDB-PSD que se desenhava para tirar o prefeito dos braços de Dilma e assegurar uma fixação tranqüila de Alkimin no trono do Bandeirantes até 2018.

Mesmo que Bob o construtor seja chamado a corrigir os estragos produzidos no ânimo e na confiança mútua entre os partidários das siglas dos pês, dos esses e dos bês, quem convencerá o leitor de classe média furioso a dar um passo atrás e perdoar Kassab e quem com ele haverá de consorciar-se?

Como acontece em todo terremoto, o time que está na quadra acabará ganhando por WO, pois o que estava a caminho não poderá chegar ao grande jogo.

Exibições: 933

Responder esta

Respostas a este tópico

Maria Tereza

 

Um dos problemas fundamentais para esse fortalecimento nacional é que não existe uma unidade. O PT é formado por inúmeras correntes, que são agrupadas e disciplinadas por um processo democrático de eleições internas e pelas regras do estatuto.

 

Até 2003 a rigidez do estatuto era maior. Hoje, além da flexibilização de algumas posições, o PT enfrenta disputas internas que muitas vezes interessam mais aos seus integrantes do que a disputa com outros partidos.

 

Nesse processo de desgaste interno, outros partidos aproveitam o espaço deixado.

vocês envergonham esse portal.
o que estão cobrando?
voto, votei e me decepcionei?
o pt tem que fazer isso aquilo, e quem chega junto?
monica bastos? Maria tereza? Luis Albuquerque?
Maestri não conta. É reacionário orgânico, Não vale nada.
Pergunto: o que querem vocês? O que estão cobrando?
"fortalecer os quadros a nivel nacional"? é bonito, mas agride até a gramática.
querem bater na política tradicional? conservadora?
kassab e alckmin são a mesma merda.
A MESMA MERDA!!!!
se Dillma se acertar com qualquer um deles, fodeu.
simples assim.

disputas internas o caralho.

Alto lá. Não se pode perder o sentido de direção por causa de efeitos conjunturais. Esse talvez seja o maior erro em política. O PT é uma grande nave que segue em direção ao cumprimento de sua missão histórica, que é a de democratizar as relações sociais e promover inclusão social com ainda maior qualidade. O PMDB teve seu papel que se exauriu com a democratização e também agora o PSDB, que de fato modernizou o Estado brasileiro e aprofundou as relações capitalistas no país.

O PT não operará seu papel por rupturas mas por transformações e como tais não irão nem tanto ao céu nem tanto à terra, porque isso é da política nos marcos da democracia. Haverá momentos de radicalização sim mas o PT será sempre como qualquer organismo vivo que faz a história repleto de contradições. Benvindos ao mundo real!

Menina!!! O que é isso? ... eu cai de paraquedas! Tô por fora do assunto! Costumo fazer alguns comentários sim, mas eles são superficiais. Eu não gosto de ser injusta, só isso. Entendi que meti o pau no tal kassab e depois fui ver que talvez o cara estivesse sendo injustiçado, sei lá! Eu venho ao Portal é pra entender alguma coisa mesmo. Agora me diga: o que vc quer dizer com esse negocio de "chegar junto"?  Também não concordei com as ideias do Luiz Fernando, mas quem sou eu?! Acho que ele poderia ser rebatido sim, mas numa boa e não desse jeito aí! Tu é carioca? desbocada! O Maestri pode ser "reacionário", mas é gente boa e encara as brigas sem agredir e debochar e se comporta como um bom companheiro! Ligia, posso estar enganada, mas com raríssimas exceções, estamos todos do mesmo lado aqui. Não sou filiada, mas sou capaz de matar pelo PT (só em período de eleição). Cometo gafes sim, por ignorância, por distração, mas não por arrogância.  Tá mais calma? Um abraço!

Alto lá. Não se pode perder o sentido de direção por causa de efeitos conjunturais. Esse talvez seja o maior erro em política. O PT é uma grande nave que segue em direção ao cumprimento de sua missão histórica, que é a de democratizar as relações sociais e promover inclusão social com ainda maior qualidade. O PMDB teve seu papel que se exauriu com a democratização e também agora o PSDB, que de fato modernizou o Estado brasileiro e aprofundou as relações capitalistas no país.

O PT não operará seu papel por rupturas mas por transformações e como tais não irão nem tanto ao céu nem tanto à terra, porque isso é da política nos marcos da democracia. Haverá momentos de radicalização sim mas o PT será sempre como qualquer organismo vivo que faz a história repleto de contradições. Benvindos ao mundo real!

quando pt não servir mais aos propósitos do avanço popular, delenda pt.
esse é o mundo real.
disputas internas? quando não houve? desde que pt é pt. convergência, libelu, teve briga boa, e necessaria.
tem que ter disputa interna, desde que saia todo mundo falando a mesma lingua. a diferença de pt para essas porcarias que você cita é que não havia caciquismo no pt.
psdb "modernizou" o estado brasileiro? aliando-se a dem e lixos como pps? isso é moderno? alckmin é moderno?
inclusão social é papo furado da fiesp, do empreendorismo seletivo, babaca.
inclusão social é criar renda para emergentes burros votarem contra o pt. zé povinho é estúpido e consumista. estão com a cabeça feita por xuxas e jô soares.
"sentido de direção por causa de efeitos conjunturais"? traduza, por favor, pra uma pobre moça sem eira bem beira.
quero que kassab se dane. se pt achar ruim que kassab se dane, quero que pt se dane.

não estamos todos do mesmo lado, mônica, e cada vez que caracterizam as diferenças.
não me bloqueio porque se falar alguma coisa vai ser aproveitado pelos reacionários como maestri.
eles acham que venceram, mas não sabem o que fazer, porque todo o esquema de bolsa de valores e agronegócios está furando.
os imbecis ficam xingando ambientalista como se todo o mal do mundo fosse cometido por ambientalistas. querem impor o pensamento unico aqui. e pergunta quem se interessa em questionar esses sujeitos? que ainda falam em "primeiro mundo"? existe coisa mais atrasada?
a partir do pt tem que ser pt à esquerda, nunca á direita. seja o nome que tiver, gente como reacionários camuflados de progressistas não estão dentro.
são o inimigo. só isso.
quer que eu responda educadamente? peça educação a eles, aos direitistas enrustidos.

kassab paga pau, armação de alckmin.
danem-se os dois.
são paulo é nossa jóia da coroa. são paulo e rio.
o resto palpita.
a política nacional vive entre são paulo e rio, e como rio.

Cara Senhora Ligia Moreira.

 

Vi que nos últimos tópicos o meu nome vem parecendo nas suas intervenções.

 

Quanto a qualificativos dados a mim, pouco me interessam, entretanto, ao meu juízo, acho que estou muito longe de ser uma figura histórica para ter toda esta ênfase nas discussões. Se fosse uma figura pública, seria importante a todos que leem este fórum saber A ou B de meu posicionamento, mas acho que a senhora está superestimando a minha participação e influência na vida pública de nosso país e do mundo.

 

Este fórum não é uma discussão de comadres em que, além da novela da Globo, é importante a opinião da filha da vizinha do terceiro andar (estou me colocando com a importância de uma filha de uma vizinha do terceiro andar). Discutimos, aqui  idéias, e estas sim que são relevantes para todos, se a senhora não concorda com posições que tomo, excelente, contraponha-as da forma mais impessoal possível para que a sua posição se sobreponha a minha ou de qualquer outro e se construa algo.

 

Sinceramente, se a senhora continuar a fazer referências a minha pessoa, sabe o que irá ocorrer? Nada! Exatamente nada! Pois estas referências para mim são mais hilárias do que qualquer coisa. Continuarei me divertindo lendo-as e, além de motivos de riso, estas intervenções irão reforçar o meu ego, pois começarei a pensar que sou tão importante como a senhora me atribui.

 

Atenciosamente

 

Rogério Maestri

RSS

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço