Alguns membros deste Portal ficaram  estupefatos com o nível de ignorância e preconceito desses tipos da televisão contra o Paraguai. É estarrecedor. Segue um artigo esclarecedor aos que ignoram a história daquele país, especialmente certos "jornalistas" e "humoristas".
 
Mauro Carrara
 
 
Se a América Latina é forte, resistente, mais ainda é o Paraguai.
 
Em inúmeras ocasiões, sofreu ataques pesados dos vizinhos cobiçosos.
 
Eliminaram suas linhas de comunicação com o mundo. E o país restou sem saída para o mar.
 
Como em outras partes do coração do cone sul, no entanto, desenvolveu comunidades sustentáveis e harmônicas nas reduções jesuíticas, espaço da colaboração fraterna entre o europeu esclarecido e o indígena do interior do continente.
 
Eram esses agrupamentos civilizados que sofriam ataques bárbaros dos "Bandeirantes", aventureiros que viviam de fazer escravos, mas que acabaram sacralizados como heróis na mitologia brasileira, especialmente a paulista.
 
No século 18, a grande obra da potências européias foi a destruição da república comunal cristã dos guaranis.
 
Como tolerar que aqueles povos da floresta, tão cândidos e belos, fossem também ótimos fundidores, sapateiros, alfaiates, ceramistas, tecelões, relojoeiros, calígrafos e fabricantes de instrumentos musicais?
 
Esta parte do paraguai guarani, que era também brasileiro e argentino, foi destruída cruelmente. E seus melhores cidadãos, homens e mulheres, foram convertidos em escravos, servidores ou soldados.
 
A saga do povo paraguaio continua depois, resistindo à tentativa de anexação por parte da argentina.
 
Entretanto, no século 19, expressivas partes do território acabam cedidas aos vizinhos insaciáveis.
 
Entre 1865 e 1870, Argentina, Brasil e Uruguai, com suporte do Reino Unido, cercam e atacam ferozmente o Paraguai.
 
Campos são incendiados. Rios são contaminados.
 
Ao fim do conflito, mais da metade dos 500 mil paraguaios perderam a vida. Dois terços da população masculina foi sepultada nesses anos de terror.
 
E boa parte dos território acabou surrupiado por argentinos e brasileiros.
 
Espetacularmente, o Paraguai resistiu, e manteve-se como nação independente, nação singular.
 
Ainda hoje, 95% da população fala o guarani. São resistentemente bilíngues, peculiarmente atados a suas raízes, singularmente adeptos da diversidade e da mestiçagem.
 
Este sofrido, mas valente e belo país, costuma ser alvo de chacotas e insultos, especialmente no Brasil.
 
Cassetas, planetas, CQCs e outras trupes midiáticas valem-se do preconceito e da discriminação para constituir o chamado humorismo de desqualificação, sempre rasteiro, agressivo e altamente viral.
 
Se existe nestes midiotas verdadeira adoração servil pelas potências do Norte, há também enorme gosto em escarnecer e provocar o país vizinho. Trata-se de uma espécie de bullying midiático transnacional tão insistente quanto venenoso.
 
Desta vez, no entanto, o ataque covarde não teve origem nos programas de piadas ruins, mas na emissora Sportv, da poderosa Rede Globo.
 
Em vez de esmiuçar a excelente campanha do selecionado paraguaio, eliminado da Copa da África do Sul num jogo em que teve um gol legítimo anulado, os globais preferiram o lugar-comum estupidificante para ofender mais uma vez o povo vizinho.
 
Combinando imagens pinçadas e um texto cheio de ironias rasas, o "jornalista" da Globo chama o Paraguai de "paraíso obscuro do mundo".
 
Sua poesia de desqualificação segue afiada. Ridiculariza a gastronomia, a economia e a música locais. E chega a zombar das fisionomias dos paraguaios e paraguaias, num indisfarçado exercício de racismo.
 
Segue, aliás, o discurso ofensivo contra os vizinhos latinoamericanos, potencializado com as recentes agressões do político José Serra ao povo boliviano.
 
Se o futebol vem sendo propagandeado como instrumento do processo civilizatório, a Rede Globo de televisão o utiliza exatamente com propósito contrário.
 
Nas mãos e bocas da imprensa brasileira, o esporte bretão torna-se um recurso de perpetuação do preconceito ignominioso e do desprezo pela diferença.
 
Como brasileiro, me envergonha. Se vale alguma coisa, rogo aos irmãos paraguaios que aceitem nossas desculpas.
 
É responsabilidade nossa, dos brasileiros de bem, mas tristemente omissos, que a emissora líder continue a cometer desvarios dessa natureza.
 
 
Para assistir ao vídeo com a reportagem, clique aqui:
 

 

Exibições: 178

Responder esta

Respostas a este tópico

O problema básico é que determinado grupo de pessoas não estão gostando do que está ocorrendo.

O povo não aceita mais bobagens ditas por emissoras de TV ou por políticos que não representam a Nação Brasileira.

Quem somos nós para criticar outros países, eles tem os seus problemas e nós temos os nossos, e um deles é a Rede Globo.
uma das mais belas canções paraguaias: é só um pequeno trecho, mas faz bem lembrá-la:

" target="_blank">
Carta de Eduardo Guimarães,do Movimento dos Sem Midia, ao jornal La Nacion

Al pueblo paraguayo

redaccion@lanacion.com.py


El pueblo paraguayo ha sido insultado en una televisión brasileña, la SporTV, que pertenece a la cadena de televisión Globo. Fue un ataque injusto, estúpido, que ha dejado avergonzados millones de brasileños que no comparten del preconcepto de una elite criminal, racista, que no hace lo que hizo solamente con vuestro pueblo, pero con sus propios compatriotas pobres.

Quién firma este artículo es un brasileño, es importante que sepan. Escribo a nombre de la mayoría de nuestro pueblo, estoy seguro. Un pueblo que, también en su mayoría, es sencillo, alegre, amistoso como es el pueblo paraguayo.

Les pido a los paraguayos que entiendan que quién los insultó de esta manera brutal como ha hecho la Globo, fue solamente la Globo, una corporación que ha crecido haciendo favores a la dictadura militar brasileña entre los años 1960, 1970 y 1980, apoyando asesinatos y torturas de los patriotas que enfrentaran aquella dictadura, que se mantuvo en el poder por más de veinte años.

Soy un comerciante que viaja por Latinoamérica para vender repuestos y que ha aprendido a amar la cultura de los pueblos hispánicos de esta parte del mundo. En mis viajes, he hecho muchas amistades, incluso en Paraguay.

A mi me encanta desde la sopa paraguaya hasta el jacaré. La música, los costumbres, las señoritas hermosas, los hombres valientes. He torcido arto por la selección de Paraguay en el juego con España. Me quedé orgulloso de mis hermanos paraguayos, que vendieran caro su derrota a los españoles.

En resumen, mis hermanos, no tengo más palabras para pedirles perdón, no por mi pueblo, que jamás haría lo que hizo la Globo, que es una infección que contamina nuestro país con su programación estúpida, racista, vendida a los intereses del mundo rico y que el pueblo solo mira en la tele por falta de opción. Pido perdón, si, por este país tener esta enfermedad que se llama Globo.

En algunas semanas viajo a Paraguay a trabajo y voy a intentar hablar más a ese pueblo hermano, para que no crea jamás que lo que hizo aquella televisión criminal tiene algo que ver con lo que piensa y siente el pueblo brasileño por sus hermanos paraguayos, a los cuales un Brasil que no existe más hizo tanto mal en el pasado, pero que habrá de reparar tales crímenes en el futuro.

Muchas gracias y mil perdones, mis hermanos paraguayos. Que viva por siempre la amistad de Paraguay e Brasil.

Atentamente,

Eduardo Guimarães

São Paulo - Brasil
Não escrevo espanhol como nosso companheiro, mas quero que ele leve a minha solidariedade também, poderíamos até fazer um abaixo assinado eletronico para enviar ao povo Paraguaio.
eu realmente demorei a acreditar que era tão brutalmente preconceituoso quando me contaram.
mas ao assistir pelo you tube, me deu um mal estar danado.
NADA, nada engraçado e absolutamente humilhante, acabando com tudo que faz de um país uma nação: língua, povo, cultura, gastronomia.
é de lascar que ainda haja gente cujo maior sonho seja ver o brasil na américa latina como os eua no mundo.
justo numa competição que congraça os países, onde desde a rodada passada, os capitães lêem mensagens contra o racismo...

e como diz a carta do eduardo guimarães, não nos iludamos, o Paraguai nessa "brincadeirinha" representa toda a parte não tão cheirosa dos latinos, nós incluídos, esse malditos povos não arianos...


mas beth, vc fala em desculpas pedidas pela sportv, não vi isso...
está no video da cantora paraguaya, link embaixo à direita
http://www.youtube.com/watch?v=80OzeCc6Bfk&annotation_id=annota...
Assisti ao vídeo e, como muitos, fiquei chocado. É deprimente!! Que vergonha!
Acho que nossa resposta deve passar pelo uso racional e coerente do controle remoto de nossas televisões.
Pra mim, isso tem sido um processo de desintoxicação gradativo.
Confesso que, infelizmente, às vezes, não é tão fácil.
Mas estou progredindo: todos os jogos da copa a que assisti em minha casa foram em outra emissora.
Já há algum tempo me livrei do vício noturno do JN. E isso me faz um bem danado.

RSS

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço