Portal Luis Nassif

O oligopólio da imprensa brasileira; liderada pela Vênus Platinada da família Marinho, associada a dois jornalões das famílias Frias e Mesquita, e ainda a revista lixo da família Civita; conseguiu colocar o povo brasileiro dentro da caverna de Platão.

Os brasileiros só conseguem ver as sombras do mundo através da fresta da caverna platinada que são refletidas pela rede globo.

Imaginem uma nação inteira distante do mundo real, totalmente manipulada e sem um dos mais evidentes direitos de uma democracia: o direito da informação verdadeira. As opiniões podem e devem ser diferentes, mas a verdade é uma só. O povo é tão manipulado que até na hora de protestar não se apercebe que está sendo teleguiado, protestam por uma pauta traçada nos porões da caverna, tão bem desenhados para beneficio dos barões que os manifestantes com ares de leões não se dão conta de que estão protestando contra seus próprios benefícios, auferidos a ferro e fogo pela luta dos que conseguiram enxergar fora da caverna.

O poder de fogo é tão grande, que esse pequeno grupo de barões intitula suas opiniões de “opinião pública”, quando na verdade é opinião publicada com o veneno de quem quer entorpecer a nação, tudo isso feito sobre o patrocínio oficial e a sangria de recursos financeiros do povo brasileiro.  Somente a Rede Globo leva aproximadamente de sessenta por cento da verba publicitária do país.

A força política é significativamente maior do que os três poderes constituídos, eles fazem os poderes reféns dos seus diabólicos planos. Elegem governantes, interditam governantes, caluniam auxiliares, provocam demissões indevidas usando um puritanismo irreal ao mesmo tempo se aliam aos grupos políticos potencialmente mais corruptos. Nos parlamento não é diferente, parlamentares se tremem diante do poder chantagista. É triste ver a atuação no judiciário, eles se aproveitam da vaidade de alguns narcisistas de plantão, agraciam com o close das câmeras para fazer moeda de troca e assumir literalmente o poder de julgar.

Não temos o que esperar de uma nação que tem uma população anestesiada, os poderes constituídos submetidos a uma camisa de força ou encantados pelo reino platinado. Não poderemos chegar a nenhum lugar sem sabermos sequer onde estamos, sem conhecermos a verdade. É preciso estar consciente. Como vamos sair desse círculo vicioso?  De onde virá a nossa libertação? Teremos algum dia um Avatar? Existe algum salvador da pátria?

Acho que a força está dentro de cada um de nós, devemos lutar pela democratização da informação, pelo direito de conhecer a verdade, debatendo nas ruas, nas redes sociais. O fim do coronelismo midiático significará o começo de uma grande nação onde os nossos problemas e nossas soluções serão discutidos dentro de uma completa transparência, bem longe da manipulação.

Exibições: 264

Responder esta

Respostas a este tópico

Simplesmente verdade, mas eu acredito que vamos conseguir desta caverna!

Olá Francisco,

Qual seria a solução para essa força política que você atribui a imprensa. Como evitar que ela se imponha sem ferir a liberdade dos jornalistas? Come impedir que haja exceção por parte de profissionais e que eles apenas exerção sua função falando com isenção, seja apenas expondo os fatos? são questões que me deixam meio confuso...

gd abraço.

Capa Dura

Sua pergunta requisita uma difícil resposta. Não tenha dúvida que esse quadro só mudará se houver movimento e luta. O caminho já está escrito na própria constituição, que sem dúvida é a constituição mais democrática entre as que vigoraram no país. A Constituição prevê que a mídia seja regulamentada, esse debate tem que ser levado em frente.  O norte da comunicação no país não deveria está sob as rédeas dos grandes grupos que a dominam. Assim como houve luta em favor da constituinte, não deveria ser necessário, porém deve havê-la também para se fazer cumpri-la.

Já que os poderes constituídos estão amarrados pela camisa de força dos barões da mídia, a iniciativa dessa pressão deveria ser organizada e concatenada pelos movimentos sociais. A pressão popular advinda das forças populares deve focar, principalmente, o legislativo e o executivo para que a regulamentação venha de fato acontecer. Posteriormente cobrar que o poder judiciário, na condição de guardião da lei, que a faça ser cumprida.

Há interesse no executivo e em parte do legislativo em favor dessas reformas, mas o medo dos barões é maior, portanto a pressão popular é benéfica para reduzir as dificuldades em pautar esse debate.

O acirramento político, o denuncismo, a artilharia da mídia, o sofisma do controle etc. são fatores que dificultam esse intento. Um trabalho de esclarecimento deve ser feito para remoção do estigma que cerca esse tema.
           A imprensa regulamentada é livre e dentro de padrões desejáveis de convivência.

A Imprensa sem regulamentação é imprensa controlada pelo que existe de pior: poder econômico, crime organizado, políticos corruptos, jornalistas mercenários, interesses anti-nacionais etc.

Esse imbróglio leva a sociedade a viver sob a situação de ditadura da mídia, pior que ditadura dos militares, por que o ditador é oculto e manipulador. Esse poder esdrúxulo leva o cidadão a sentir insegurança jurídica, a ponto de se frustrar com o tão sonhado estado de direito pelo qual tanto lutou.

Ola,

Mas o controle da mídia, não é simplesmente uma expressão politicamente correta, para censurá-la? Analisando mais friamente, em todas as ditaduras que existiram e existem no planeta, os ditadores controlam as opiniões, justamente por meio da imprensa amordaçada pelo poder político que vigeram e vigem neste Estado ditatorial. Cá pra nós isto fere de morte o direito de liberdade.

Gde Abraço 

Caro Francisco 

Desse mal, não existe sociedade que se mantenha ilesa, domínio econômico desde que o homem saiu das cavernas e conseguiu acumular alimentos, ferramentas, conhecimentos,  deu-se inicio ao poder econômico. 

Podemos sim tentar controlar esse poder, porem isso passa invariavelmente pela educação, elevação da capacidade intelectual da população, com regras claras de direitos mas principalmente de DEVERES.

Os "deveres" está marcado com letras maiúsculas, pois penso que nos falta muito, e essa tão decantada constituição de 88, com muita sinceridade, não passa de um rosário de direitos, direitos de toda ordem, imaginem que existe na constituição direito de captar empréstimos financeiros com juros tabelados a 12% ao ano. Sem comentários.

Quanto aos domínios dos meios de comunicação, as novas tecnologias eletrônicas tem promovido uma verdadeira revolução, mudando drasticamente o poder principalmente dos meios escritos, porem o televisivo de massa esta cada vez mais poderoso.

Considerando essa revolução da tecnologia, se continuarmos com uma população sem educação, sem a noção de direitos e deveres, de nada valerá restrições aos meios de comunicação atual, mesmo porque essas novas formas de comunicação nos possibilitará trocas de informações independentemente das grandes redes.

Apenas para exercício imaginativo, vamos pensar na hipótese de neutralização completa da rede Globo e o aparecimento da rede Capilé. Dá pra encarar ?

Ótimo domingo

abraços

 

 

Ola,

Pois é, a pior das ideologias é a ignorância, como já dizia alguns filósofos do século XVII, XVIII a religião é o ópio do povo. Digo hoje, sem ser filósofo, claro, que as ideologias é a cocaína das massas. Ah! e de muitos acadêmicos e muitos outros profissionais da arte, da escrita da psicologia e das ciências políticas.

Gde Abraço.

Ola,

O oligopólio da imprensa brasileira; liderada pela Vênus Platinada da família Marinho, associada a dois jornalões das famílias Frias e Mesquita, e ainda a revista lixo da família Civita; conseguiu colocar o povo brasileiro dentro da caverna de Platão.

Será? seja qual seja a intenção do post, existe controversas. O jornalismo atualmente, do meu ponto de vista, deixa muito a desejar, mas justamente por enveredar ou pela ideologia ou pela busca inconteste de sucesso econômico. A rede Globo, por exemplo, trás intrinsecamente, para quem leu o estatuto do PT, todas as propostas ali contidas. Os programas de entretenimento ostentam um baixo nível impressionante e, o faz com o intuito explicito de propagar os programas partidários mais a esquerda.

A imprensa escrita, excetuado a revista veja, comunga cinicamente com 90% de tudo que os mandatários atuais festejam. 

Se o post fosse dirigido a academia, eu estaria plenamente de acordo. Nesta sim, o tempo parou em 1922, com raras e excludentes exceções, a visão de progresso estancou no aplauso à paralisia perversa da mão do Estado e seu domínio por um partido.

Gde abraço.

RSS

Publicidade

© 2018   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço