Portal Luis Nassif

Aécio ataca empréstimo do BNDES a Cuba que FHC iniciou

No programa de TV do dia 25/09/2014, o candidato Aécio Neves faz duras críticas ao governo do PT por investir dinheiro do BNDES no Porto de Mariel, em Cuba (1). É uma crítica curiosa que demonstra que a campanha do PSDB optou pela irracionalidade em prol do imediatismo eleitoreiro. Seria mais negócio para a campanha tucana deixar que a mediocridade dos que falam em “mau negócio em Cuba” ficasse restrita à ultradireita; às chamadas redes sociais na internet e aos comentaristas da velha mídia que, por falta de informação ou má-fé, maldizem o “desperdício do dinheiro público num país ditatorial”. Digo que é irracionalidade porque o investimento do BNDES em Cuba é assunto batido e se iniciou no governo do então presidente Fernando Henrique Cardoso (2). E não foi empréstimo apenas para Cuba, mas também para a Venezuela de Hugo Chávez – quando no ano 2000 o BNDES do governo FHC emprestou, só para as obras do metrô de Caracas, US$ 107 milhões (3) (4). Vale ressaltar que o contexto em que foram feitos os empréstimos do BNDES na ‘Era FHC’ era a profunda crise que o Brasil atravessava – uma realidade bem diferente da atual.  

 

Mas voltando ao empréstimo para o Porto de Mariel, em Cuba, a pequenez da crítica de Aécio Neves pode ser demonstrada numa entrevista que Thomaz Zanotto, diretor de infraestrutura da Fiesp, concedeu à Record News. Nesta entrevista, Zanotto explica em detalhes por que o financiamento do BNDES é um golaço estratégico do Brasil (5). Na entrevista de quase 10 minutos, vale destacar alguns pontos:

 

1-     A inserção econômica do Brasil no Caribe ainda é pequena e o porto é uma oportunidade para suprir isto;

2-     Cuba está experimentando uma abertura econômica nos moldes do que a China fez. E quem estiver na vanguarda desta abertura (no caso o Brasil) colherá os frutos não só em Cuba, mas nas exportações para todos os países da região.

3-     O porto em si foi financiado pelo Brasil, mas foi construído por empresas brasileiras;

4-     80% de todo material; de todo equipamento usado na construção são brasileiros;

5-     A garantia do pagamento do empréstimo (do BNDES) são as próprias receitas do porto;

6-     O porto será administrado pela PSA  (Port of Singapore Authority) - "Autoridade Portuária de Singapura", que é um dos portos mais bem administrados do mundo;

7-     Mariel é um porto de profundidade considerável, apto a receber navios de grande porte;

8-     Com a ampliação do Canal do Panamá para a passagem de navios maiores, isto aumentará ainda mais a importância do Porto de Mariel;

9-     No local, já há mais de 300 empresas brasileiras;

10- Tal qual acontece na China (“um país; dois sistemas”), as regras (trabalhistas, comerciais etc) no Porto de Mariel serão mais flexíveis; alheias às leis Cubanas;

11-  Cuba é um país de pessoas bem educadas e com boa estrutura de saúde. Com a liberalização da economia, o país estará preparado para um grande salto;

12-  O embargo econômico dos EUA à Cuba tende a terminar, haja vista que empresários norte-americanos – pela vastas oportunidades que enxergam no Porto de Mariel – estão pressionando Washington nesse sentido;

13-  No empréstimo a Cuba, há “créditos alimentícios”, ou seja, créditos dados ao governo cubano para comprar alimentos no Brasil. Isto não é novidade, pois começou com o governo do presidente Fernando Henrique Cardoso;

14-  Até hoje, não se tem notícia de um atraso sequer de Cuba no pagamento dos empréstimos;

15- Fala-se muito na questão: “em vez de investir no Brasil, está investindo em Cuba”. Isso não é verdade. O BNDES tem o dinheiro para investir, mas as secretarias estaduais,  municipais etc dentro do Brasil não apresentam projetos – além do fato de faltarem projetistas e de existirem grandes empecilhos burocráticos, ambientais etc para que os investimentos sejam realizados.

 

Além dos pontos acima destacados da fala do diretor da Fiesp, vale ressaltar que, no âmbito estratégico para fomentar o desenvolvimento das empresas nacionais – e é esta a razão de ser do BNDES –, não é difícil para o leitor julgar o que é mais vantajoso para o Brasil: o BNDES financiar a construção do Porto de Mariel ou ter financiado a construção de metrô em Caracas. Evidente que o objetivo desta provocação à reflexão do leitor não é incitar o debate mesquinho sobre se o empréstimo do “governo X” está certo ou errado; ou que o empréstimo do “governo X” é melhor ou pior que o do “governo Y”. Cada governo teve lá sua razão que, no contexto da época, julgou que seria coerente com a existência do BNDES. A provocação é só para que se perceba a pequenez da campanha do candidato Aécio Neves, enveredando naquela demonização de Cuba que deveria estar restrita à direita tacanha.

 

Em artigo (6) publicado recentemente sob o sugestivo título “Ao PSDB só cabe perder ganhando, ou perderá perdendo”, Ion Andrade lembra que, com a provável derrota eleitoral dos tucanos no âmbito presidencial, restaria ao PSDB manter íntegra sua coerência como “social democracia” e tentar com isso angariar o eleitorado conservador – uma vez que, nesta campanha eleitoral, tais eleitores estão perdidos ante tantas contradições de alguns partidos como o próprio PSB que, na base do imediatismo, achou por bem moldar suas propostas ao sabor dos oportunistas (religiosos, lobistas etc) de plantão que unem o que há de mais retrógrado no país. Ao que tudo indica, a campanha tucana está se lixando para isso, ficando o PSDB apenas como ‘mais um’ partido conservador incoerente – e menor que o PSB.

 

 

Fontes:

 

1- Campanha de Aécio na TV critica investimento do Brasil em Cuba

https://www.youtube.com/watch?v=QfUX7h5YVyQ

 

2- Memorando de 1998 dando conta do empréstimo do BNDES a Cuba no governo FHC

http://dai-mre.serpro.gov.br/atos-internacionais/bilaterais/1998/b_29/

 

3- Memorando do BNDES – Empréstimos para Cuba e Venezuela no governo FHC

http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/export/sites/default/bndes_pt/Gal...

4- Matéria que detalha os empréstimos do governo FHC a Cuba e Venezuela.

http://tijolaco.com.br/blog/?p=13150

 

5- Diretor de infraestrutura da Fiesp, Thomaz Zanotto, enaltece empréstimo do BNDES para construção do Porto de Mariel, em Cuba – Jornal da Record News.

https://www.youtube.com/watch?v=1qh-ZzjbvJc

6- “Ao PSDB só cabe perder ganhando, ou perderá perdendo” – artigo Ion de Andrade publicado no Jornal GGN.

http://jornalggn.com.br/fora-pauta/ao-psdb-so-cabe-perder-ganhando-...

 

 

Foto de Fidel, Chávez e FHC durante inauguração de uma subestação de energia, em Santa Elena de Uairén, na Venezuela – Crédito: site da Folha/ UOL:

 http://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/10689-fidel-castro-com-...

"Empréstimo do BNDES a Cuba começou com FHC" - Thomaz Zanotto, Diretor da Fiesp.

 

Exibições: 15917

Responder esta

Respostas a este tópico

Michel Arbache,

Parabéns por esse belo trabalho, inclusive, documentado por vídeo e fotos. 

Os investimentos no Porto de Mariel justificam-se do ponto de vista econômico, mas, também, são válidos como solidariedade ao bravo povo cubano que tem sido vítima de um criminoso embargo por parte dos EUA e de contantes ameaças, como o recentemente publicado projeto do Sr Kissinger, durante o governo Ford, para o bombardeio da Ilha de Cuba, devido à solidariedade que o povo de Cuba oferecia a Angola que se defendia das intervenções do criminoso regime racista da África do Sul apoiado pelos EUA que já desejava substituir Portugal de olho nas riquezas minerais de Angola.

Talvez, sem essa ajuda de Cuba, Angola, hoje, tivesse uma fatia do seu território ocupado pelos EUA como Cuba tem, até hoje, a Base/Prisão de Guatânamo.

RSS

Publicidade

© 2017   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço