A coligação tucana quer a cassação de registro da candidatura de Dilma Rousseff

A coligação “O Brasil pode mais”, do candidato do PSDB à Presidência, José Serra, protocolou nesta quarta-feira (1º) no Tribunal Superior Eleitoral ação contra a adversária do PT, Dilma Rousseff, por causa da quebra de sigilo fiscal do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge e de outras pessoas ligadas à legenda, inclusive a filha do candidato tucano, Verônica Serra.

Na ação, a coligação de Serra pede que a Justiça Eleitoral apure a prática de abuso de poder político e uso da máquina pública por parte da campanha da petista.

Segundo o advogado da campanha de José Serra, Eduardo Alckmin, caso a Justiça Eleitoral entenda que houve abuso, pode aplicar pena de inelegibilidade e até de cassação de registro da candidatura de Dilma Rousseff. A ação contra a candidata petista foi encaminhada ao corregedor-geral eleitoral, ministro Aldir Passarinho Junior.

A coligação tucana pediu a abertura de uma investigação dentro da Justiça Eleitoral, que deve ser feita com base em depoimentos de testemunhas e juntada de documentos. A coligação requer decisão liminar do TSE pedindo o encaminhamento à Justiça Eleitoral das investigações que estão sendo feitas pela Polícia Federal e do processo administrativo da Receita que apura as violações de sigilo. Também pede que computadores da Receita sejam periciados por técnicos indicados pela Justiça Eleitoral.

Disse Dilma-Em setembro de 2009 minha campanha não existia porque eu nem pré-candidata era. Eu acho interessante e julgo que é muito importante que nessa eleição a gente tenha cuidado com leviandades e calúnias”, disse Dilma.

 

 

Exibições: 277

Responder esta

Respostas a este tópico

Rogério dos pampas rsrs
a marina depois dessa vai passar o Serra rsrsrsrsrsr , o povo ta esperto com esses linchamentos.
Rogério, não estou dizendo que é para baixar o nível e sim para desconstuir tudo o que for mentira.
Rogério.

A casa deles caiu. Já não tinha telhado e agora ficou sem nada. Tentaram o tapetão e não conseguiram e agora partem para o desespero. Vai ser uma lavada...
Com certeza.
O mais engraçado é perceber que nem se esforçando o Serra é capaz de demonstrar um sentimento... Parece até um androide.
A quem interessa a quebra de sigilo de quem quer que seja? Em todas as campanhas do PSDB, e em todos os Estados, o receituário é o mesmo: baixaria. Premeditadamente esse partido, e seus aliados, armam situações geralmente ilegais, e com muita antecedência, para culpar seus adversários. Estes fatos existem desde quando esse partido disputou pela primeira vez uma eleição. Por que será? O que estamos a assistir é a revelação de que tudo isso eles aprontaram para acusar o ou a candidata da situação. Tanto é assim que o Serra já foi acusando Dilma. Sem escrúpulo, sem evidência, sem nada. Serra vira réu nessas condições. Além do mais é uma falta de respeito ao Povo Brasileiro, ao eleitor. Com isso Serra e seus "sócios" afirmam que subestimam a inteligência do Povo Brasileiro. Este aspecto precisa ser difundido para que este mesmo Povo aumente sua rejeição a este candidato anti-povo. Toda e qualquer ação contra a candidata Dilma é também ação contra o Povo. Serra será superado por Marina em breve e, se continuar desrespeitando o Povo, quem sabe fique no último pelotão com 1% dos votos válidos. Que assim seja para o bem do Brasil.
No começo, quando começaram com essa história...

Golpe adiado!

Corregedor do TSE arquiva pedido de cassação de registro de Dilma

Ação havia sido protocolada pela coligação do PSDB nesta quarta. Partido alegava ligação de Dilma com violação de sigilo fiscal de tucanos.

Débora Santos Do G1, em Brasília


O corregedor eleitoral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Aldir Passarinho Junior, arquivou nesta quinta-feira (2) a ação em que a coligação liderada pelo PSDB à disputa presidencial pedia a cassação do registro da candidatura de Dilma Rousseff à Presidência.
O pedido de cassação do registro havia sido feito pela coligação encabeçada pelo PSDB devido à violação dos sigilos fiscais de pessoas ligadas ao partido, entre elas o vice-presidente da legenda, Eduardo Jorge, e a filha de José Serra, Veronica.
Segundo o corregedor, as provas apresentadas pela defesa do candidato tucano na ação não demonstram de forma concreta que a quebra de sigilos fiscais de tucanos tenha beneficiado a candidatura de Dilma Rousseff. Além disso, o ministro avaliou que também não existem evidências de que o caso tenha provocado danos ao equilíbrio da disputa eleitoral.
Em sua decisão, o ministro entendeu que o caso trata-se de uma questão de cunho penal comum, que deve ser apurada por vias próprias, o que, segundo ele, está sendo feito inclusive com a participação do Ministério Público Federal.
"Não somos nós quem provamos, é quem acusa que prova."

Matou a pau e quem tem decência que se retire, preferencialmente com o rabinho por entre as pernas.
Alexandre, a festa deles acabou, que pena!!!(sic)

RSS

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço