1- Tudo é ideologia?


Antes da "resposta", uma in-certeza mais interessante sobre a política. Dona política é aviltada, desde Platão, por ações, gestos e retóricas que sempre aprisionaram a figura no clube dos cínicos ou dos sórdidos, cujo porteiro engalanado repete "eu não tenho nada a ver com isso".


Esse amontado de jes desenha o ideológico como o Adamastor, sem ocorrer que a ideologia tem mais de uma cara, e a régua molenga da política também é uma atividade  para exibir algumas delas.


Fora das grandes abstrações, dos grandes modelos ou dos máximos projetos, papel indispensável para os teóricos, "classe" em extinção, é possível pensar, não aqui, como a questão Haddad/Erundina/Maluf enquadra-se no processo democrático. Não se trata da democracia como tese. Essa já foi o pior e o melhor dos regimes, e mesmo que haja um gritaria do cacete contra ela, ainda abriga um desejo de justiça social. É a democracia presentificada que precisa de um arreio, de um novo e bom rabo de arraia.


Democracia? Presente!


É nova, mas não quer saber das pequenas novidades, como a discussão sobre economia sustentável, incluindo o carnavalesco tratamento carioca, em que um índio de arco e flecha põe para correr os seguranças do BNDES. Sem riso e o inusitado, não há povo, nem polvilho.


O carnaval se for perene, e não uma pausa, um banco de praça, desconhecerá o surto dos pequenos voyeurs distante do palco e  diante da grande sacanagem que a especulação imobiliária faz com as numerosos famílias sem voz. Silenciosamente expulsos das suas hortas pelos tratores da modernidade olímpica instaurada no Rio de Janeiro.


Eu voz deixo a paz, sem balas perdidas, porém a moeda de troca é ferrar ainda os pobres, rolados pelos tratores das novas estradas que levam os automóveis do Recreio dos Bandeirantes - que nome significativo, só carioca inventaria tamanha expressão- até a Baía de Guaratiba e suas invisíveis ilhas fiscais sem fiscais. Os crackudos de Sampa são a escória que ninguém quer saber das empresas que fornecem a merda do crack. Só aparecem na telinhas e nos discursos como espetáculo de degradação. Degradação do quê, mano? São nóias da USP? Porque não cercaram o Alckteu na esquina para cobrar do sorridente: como se faz isso com os filhos da rua? Não sabe não? Tem de saber, pombas.


Onde compraram o crack babies? Como o crack chegou aoos nóias? Por que os nóias são eles e não vós?


No arco da pobreza cabem não apenas os pobres artistas do espetáculo visu de sempre para o prezado público, metam aí os que vivem de aluguel, os pequenos comerciantes, as pequenas empresas, as pequenas coisas da paisagem da cidade, a cidade contra os homens, devora tudo, a hidra com um bocão sem cabeça cheia de garras.


Mais chato ainda nessa civil-nulidade é o carnaval apenas com a tristeza do palhaço.
Nossa política by web insiste que a mídia alternativa pode dispensar um tratamento mais sóbrio para aquilo que pensa que o "pig" trata como escândalo. Os gritos de execuções sumárias, associando a grande vazão, cachoeiras, cascatas, mensalão ao bagulhão ao lado do outro lado.


Os jornais espertos, o Globo está uma delícia, um pouco de tudo, leve como uma pena, mudam. Sabem quem foi Ivan Llessa, Millor Fernandes, jornalistas antes de qualquer coisa, que não se confundem com os domingos fantásticos. Choram a morte da porta-estandarte e reclamam das surras na USP, entre uma cascata e outra. Respiram, porque há quem trabalhe agora com mais graça, seus anunciantes poderosos migram gulosos os para blogues, para a internet. Na telelinha, alguma coisa acontece na TV Brasil, legal mesmo, e ninguém vai chegar de longe.


E o PIG?

http://veja.abril.com.br/tema/rio-20

2- Na moral

Perguntem ao MST se não aceitaria a grana dos tucanos para imediatamente após continuar mandá-los à merda?

Por acaso o PSB de Erundina é o MST? Não e não. PSB de Erundina é o mesmo do PSB do Ceará, do Cid e Miro, de Pernambuco. É o mesmo do PC do B que sempre foi hábil em farejar vazios no poder. Isso não é imoral, nem moral. É pura representação. A roupa de Yamamoto é divaine, cheia de vazios e amplidões, porém não nega seu lugar, a preciosa estética, gracias.

( um recadinho; não vai dar tão certo, nem para o PSOL, de cima não dá certo Adorno, por que o acerto não quer compromissos com o futuro).

A moça no Brasilianas foi deselegante ao falar da quimio de Lula. Foi mandada para o lugar onde guardam merdas. Porém gostei da pergunta. Ela traz algo, que talvez não fosse intenção da moça. Por que o ex-presidente, ainda convalescendo de doença grave, tem de correr para fazer aquilo que rola no esgoto? Por que quis salvar o Rio + 20, como se o governo e a diplomacia brasileira, historicamente competente, não poderiam enfrentar.

Só o fato de assentar líderes de uma cacetada de nações pobres diante da arrogância dos ricos já vale a festa. Os resultados magros não podem competir com a pujança da Cúpula do Povos, porém dedicado Lula, querido Lula, não esqueça da sua antiga solidão.

O espelho mascara as estranhezas no semblante, estranhezas de um desgaste causado pelo sistema, sorry, sistema sim:

“Em todo caso, por mais fortes que sejam as ilusões, as ambigüidades, as confusões “sobre o limiar”, a tentação de homologar imagens especulares e registros, basta recorrer ao experimentum crucis: reproduza-se um espelho numa fotografia, num enquadramento cinematográfico ou televisivo, num quadro. Essas imagens de imagens especulares não funcionam como imagens especulares. Do espelho não surge o registro ou ícone que não seja um outro espelho. O espelho, no mundo dos signos, transforma-se no fantasma de si mesmo, caricatura, escárnio lembrança.”

 

Ah, quando há ideologias em movimento, sem perspectiva de revolução imediata, a questão política no alto da escadaria é luta pelo poder. Antes desse óbvio, o problema do trono persiste. A rasa percepção de que há uma crise na democracia representativa patina na casca de banana, no caos da vontade pessoal da realeza - como se a realidade já não fosse um realeza perversa -, quando deveria destruir o que trava a democracia representativa, partidos, e não há quem nesse angu, preclaro público.

Perversa: quando inventa que o poder se distingue pelas ideologias, por oposições entre elas, ocultando que a luta pelo poder exige a clareza de como o poder é organizado, como o econômico é apropriado como desejo na infra-estrutura para sustentar, manter o alto, oh, céus!

Exibições: 253

Responder esta

Respostas a este tópico

                       a estranhIdade das minorIdades querem caçar nas neceCidades afins _

                                 con[de]struir paliçadas des-  virando imagens espe[tá maNu]culares

        e onde encontramos caciques invertidos + invertidos, maNu ? alckNosso alckTem alckVale _            

 náDegas     NÁDEGAS   diria o flexa ligeIRA   

                            o PIGuinho vai assim ou ASSADO conForme a receita _

                                       chucrutes sabem de pig[ca][ma]leões

 

                                      como era francês o meu GOSTOSO +++++ 

                                     esta prima opera, maNu, te diremos o nome
                                                       se não adiVINHAR

 Goiás, Goiânia

 

 

Imagens: Paulo Resende

 

“Inda o dia vem longe
na casa de Deus Nosso Senhor,
o primeiro varal de roupa
festeja o sol que vai subindo,
vestindo o quadradouro
de cores multicores.”

 

 

 

Casa de Cora Coralina

 

 

Goiânia by center by night by shopping

                                       lyGia PAPE

Aconteça o que acontecer, não olhe para baixo.

Perguntem ao MST se não aceitaria a grana dos tucanos para imediatamente após continuar mandá-los à merda?

Nao e não.... Jamais...

lembrei do jece valadão, que prometeu sei lá o quê, caso algum dia o muro de Berlim fosse derrubado..

Caramba! P.q.p. 

Valeu Jece! doeu?

Não importa, o mst, jamais vai receber dinheiro tucano...

e pensando assim lembrei tb. de frei tito (hoje niver de morte.. será morte?)

mas Tito não foi a unica vitima, todos somos... mas para matar Fleury, Tito tem que morrer, p.q.p.....3 vezes...

e esse é o grito, contra tudo que não deve acontecer... por falar em grito, já estamos nos mobilizando para o grito dos excluídos( p.q.p... agora a MIDIa perversa tá querendo se apossar dele..)

este ano vamos nos juntar as milhares.. de catadores do lixão.... e invadir estas ruas , para nos mobilizar e visibilizar.. vamos ver.....

sei lá

E o PSB daqui é uma merda... mas tive que votar nele... pois num tinha outos  jeito..p.q.p...mil vezes, e é prque aqui temos a CRITCA RADICAL ( uma maravilha!!,mas se eu pensar muito minha cabeça doi...Oh! )

e o manu sei lá andrei.. escreve que nem um amigo meu.. complicado.. mas eu leio duas VEZES...rsrsrsr

RSS

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço