A Grande Mídia X Lula: Ódio, preconceito ou interesses inconfessáveis?

          A GRANDE MÍDIA X LULA: Ideologia, ódio, preconceito ou interesses inconfessáveis? 

                                           (14-11-2011)

 

 

  uns vinte dias li um texto interessante e inteligente no blog do Nassif, sobre O Protocolo dos sábios de Sião. A autora chama-se Katarina Peixoto, e discorreu com muita propriedade sobre o que chama de orgia semântica da mídia, incitando a população a acreditar na existência de um mal, uma conspiração, um inimigo do Brasil e dos brasileiros.

  Para quem não sabe (como eu não sabia...), esse Protocolo foi uma farsa criada à época do Czar Nikolai II, afirmando que um grupo de judeus queriam controlar o mundo, e conspiravam contra o império russo. Segundo o texto, em resumo, em muitos outros momentos da história, para justificar seus atos covardes e posturas totalmente anti-democráticas, diversos governos utilizaram-se desse método sórdido, criando no imaginário popular um inimigo fictício, contra o qual todos deveriam lutar – muitas vezes, quando o “mal” em si estava, na verdade, naqueles que criavam a farsa. Como Hitler e os nazistas fizeram na Alemanha.

  A leitura, bastante agradável, diga-se, do texto, me inquietou ainda mais sobre algo que é bastante comentado no blog, levantado inclusive com freqüência – o tema – pelo próprio Nassif: “Porque esse ódio todo contra Lula e o PT?” - e exemplos não faltaram, lembrando eu agora, daquele que achei o mais infame, o mais ordinário: a tentativa da Folha de São Paulo em imputar a Lula a pecha de “estuprador”, através de um artigo assinado pelo famoso inimigo do PT, o “Cezinha”, ex-amigo de Lula, que narrava o “fato”, absurdo nas circunstâncias, desmentido por todas as testemunhas. Impossível um jornal dito sério descer a esse nível, e, talvez, na imprensa ocidental nenhum presidente tenha tido um tratamento tão vil, quanto Lula teve da Folha, nesse episódio – e tantos outros.

  Adorei o termo “orgia semântica”, usado pela autora do texto citado acima, quando fala da confusão ideológica, desprovida de racionalidade mínima, quando a mídia e seus cooptados falam da tal “conspiração do mal”. Sim, é de fato uma verdadeira orgia semântica, onde ideologias, e sua total ausência, ódios, preconceitos, manipulação num nível rasteiro, farsas, exageros escolhidos a dedo (exacerba-se só o que interessa à manipulação), omissões, distorções tão cretinas que muitas vezes, o corpo da matéria desmente a manchete, enfim, tudo isso configura a idiotização do uso da palavra, numa miscelânea doida, absurda, onde emissores e receptores se misturam numa histeria psico-social-moral, em defesa da verdade, da ética, do próprio... “bem” – obviamente, no lado oposto, a mentira, a corrupção e a falta de ética, o próprio... “mal”.

  Semântica é tudo na vida de uma pessoa! Explico... É através do entendimento coerente, minimamente inteligível à própria pessoa, das palavras, frases, idéias, conceitos, ou seja, da soma das palavras tornadas idéias, que possa conceber e aceitar, que formo minha opinião sobre tudo! Isso interfere até mesmo no “outro lado”, o emocional, pois sem “idéias” do que sejam para mim as emoções e suas manifestações, me perco num oceano de impulsos ininteligíveis e sem sentido, portanto. Daí a nossa busca incessante, de conceitos “palpáveis” daquilo que aparentemente é totalmente abstrato, coisas como amor, sonhar, ódio, desejo, empatia, etc., etc.

  Por isso, o que a autora chama de “orgia semântica”, traz em seu bojo certamente o “mal maior”: A IMPOSSIBILIDADE DA FORMAÇÃO DE CONCEITOS MINIMAMENTE RACIONAIS E INTELIGÍVEIS, PARA TODO AQUELE QUE SE ENTREGA A ESSA ORGIA, A ESSA CONFUSÃO. Rebaixados à condição de papagaios insanos de farsas repetidas à exaustão, milhões de brasileiros fecham assim suas mentes, ao debate, à visão dos nossos problemas reais, à possibilidade da busca de novos caminhos, pautados na realidade – uma vez que essa realidade lhes é oculta, pela própria confusão semântica em que se encontram completamente perdidos!

  Mas, as conseqüências brutais, pessoais e sociais desse comportamento criminoso da mídia, mereceria um post em separado. A questão, hoje, seria tentarmos entender a primeira pergunta: “Por que...?” – Por que esse ódio, esse medo de Lula e do Lulismo, porque preconceitos tão arraigados e destilados com tanto rancor? – Ou, a pergunta feita pela autora: “Onde estão as fragilidades dessa gente...?”

  Nassif já escreveu – e eu assino embaixo... – em textos soberbos, sobre uma das maiores virtudes/capacidades de Lula: o “construir sem a necessidade de destruir”. Traduzo: a forma intuitiva, diplomática, humilde, genial mesmo, que Lula atuou, no exercício do poder, impondo sua agenda política o máximo que pôde – democraticamente... – sem criar no país, por palavra ou atitude sua, um clima de beligerância, de guerra, de: “tenho que destruir isso para construir aquilo...” – pelo contrário, foi um governo onde todos ganharam, a própria mídia que tanto horror tem a ele, não foi excluída das verbas publicitárias – apenas, essas foram pela primeira vez, divididas também entre os grandes e os pequenos, dando chance a todos de sobreviverem – analisando que órgãos de comunicação em geral, dependem parcialmente de verbas públicas para fecharem suas contas.

  Ora, sendo verdadeira essa afirmação – e acho difícil contestá-la... – se todos lucraram com Lula, o país cresceu, se transformou, se somos um país novo e melhor, com esperanças concretas pela primeira vez, devemos isso ao seu governo, resta a pergunta... qual a fragilidade dessa gente...? o que queriam que não receberam...? Porque seu ódio? Porque seus preconceitos, óbvios e incivilizados, até agora, num momento grave da enfermidade do presidente?

  Não tenho com clareza essas respostas! O que vou digitar agora, é um misto de intuição com especulação mesmo.

1 – Despeito e inveja de FHC, cuja derrota (no “corpo” de Serra, mas sua, também...) não foi “engolida” de forma alguma. Ele e seu séquito ajudaram a criar um eterno “terceiro turno” – e a mídia amiga, foi atrás...

2 – O antigo PFL, parceiro de FHC e dominantes de amplas áreas governamentais, perderam literalmente tudo com a chegada de Lula ao poder. Explica, em parte, o ódio que os “Borhausen” da vida tinham de Lula, porque com FHC, foi como se a extrema direita tivesse chegado ao poder, ideologicamente, o governo foi muito mais PFL do que PSDB – veja a sanha entreguista do Governo FHC, quase que Petrobrás, CEF e BB foram de roldão na época das privatizações. Entraria aí um rancor profundo, tanto ideológico, como pela perda de poder de setores fortes e representativos da direita brasileira.

3 – O despreparo moral e intelectual da atual geração das “famiglias” da grande mídia. Quase que ao mesmo tempo, os filhos assumiram o comando, e não têm nem de longe, a classe, os limites, uma certa ética civilizada demonstrada por seus pais. A decadência de Veja, Folha, Globo e Estadão é notória, é visível, é deplorável! Simplesmente me recuso a acreditar, voltando ao exemplo já citado, que o Otavio Frias “pai” tivesse deixado passar uma insanidade moral e jornalística como o asqueroso artigo do tal “Cezinha”, no seu jornal. Já o Otavinho... Se cavucarmos as comparações, não tem jeito: por mais restrições que façamos aos “velhos comandantes”, o fato é que o nível dos atuais é rasteiro, profissional e eticamente falando.

4 – Os interesses escusos, a literal venda de espaço e aluguel de jornalistas, como Veja, talvez, tenha feito mais acintosamente que os outros. Serra e Daniel Dantas, provavelmente só têm mando inferior no panfleto ordinário que se tornou a revista, ao próprio dono. Aí, certamente há uma mistura interessante (e podre) de política, grana e medo das verdades que poderiam vir à baila. Os tucanos não podem se orgulhar de gente que teve seu poder infinitamente multiplicado por obra de suas mãos, como Daniel Dantas e Gilmar Mendes. Ora, como se protegerem? Através da mídia, que por sua vez lucra com os anúncios e outros gastos dos governos estaduais tucanos e das empresas de Dantas, que por sua vez recebe a proteção especial de Gilmar Mendes, que por sua vez é bajulado pela mídia, que por sua vez...... Ocorre a “orgia de interesses”, onde “eu defendo o teu, você defende o dele, ele defende o nosso...” – e todos continuamos onde queremos: cada qual com seu naco de poder nas mãos!

5 – A brutalidade e ferocidade com que Serra agiu, quase como se dono fosse, de determinados segmentos da mídia, principalmente onde as polpudas verbas do estado mais rico do país lhe garantiam esse poder! A criação dos “blogs de esgoto”, as ordens para o assassinato de reputações, as demissões de jornalistas, a ação conjunta, maligna e asquerosa, de Serra e essas instituições, visando o controle total das informações a serem passadas à população, TORNOU-SE A MAIS FORTE ESTRATÉGIA DE SERRA PARA CHEGAR À PRESIDÊNCIA. Tanto, que sua campanha teve esse foco, as farsas, as mentiras grotescas, a intimidação de jornalistas. Serra encontrou caminho fácil, terreno fértil para seu autoritarismo fascista. Folha e Veja, ganharam as verbas e manipularam a cabeça fraca de uma classe média deseducada, pedante e tola. Nada mais fácil para a manipulação do que o ruído estridente de factóides criados e repetidos exaustivamente. Ainda mais se é exatamente isso o que parte da população deseja ouvir e ler. A verdade passa a não interessar mais, em absoluto. Como foi, de fato, na implantação do nazismo.

6 – Preconceitos mesmo, puros, que existiriam e se manifestariam, INDEPENDENTEMENTE da podridão dos interesses em jogo. Provavelmente, Lula não é nem será perdoado, por ser de esquerda, por ser nordestino pobre, retirante, operário que mal fez segundo grau, e chegou aonde chegou...

  Hoje, penso que “o hábito faz o monge...” – a grande mídia, seus profissionais e seus leitores cooptados, encontram-se já totalmente envolvidos nesse “lamaçal semântico”, ironicamente, tão perdidos que nem sabem exatamente como atacar, e até a quem atacar... Surtam ao menor indício ou criação de indício minimamente factível, e como matilha selvagem, rasgam a vítima da vez impiedosamente. Repararam que não perdem nunca o ar debochado e arrogante diante das câmeras? Como se eles fossem os ungidos com a verdade, os profetas, e nós, povo, os idiotas enfeitiçados pelo impostor, o incompetente, o “rabudo do Lula, que deu uma sorte danada de tudo dar certo prá ele...”

  Não têm agenda, não promovem debates, não levam, um pouco que seja, a sociedade à reflexão...

  Sonham em indispor Dilma com Lula, a até fazem uma catarse meio maluca, que “Dilma não é continuidade de Lula, Dilma é diferente!” – Medo de Lula tentar a volta em 2014? Doença psíquica grave da mídia, acreditando que por pressões e sua sensatez, Dilma se permitirá pautar e eles teriam finalmente um aliado no Planalto...? Não sei, para mim não há apenas mesquinharias, interesses imorais e ideologias, mas também um pouco de doença mesmo, e fortes limitações intelectuais, no comportamento dos “capos” atuais.

E nós, no meio disso tudo?

  Deixo o pensamento magistral de Milan Kundera, poesia pura, magia pura, num dos trechos impagáveis de “A Insustentável leveza do ser”, quando um amante de Sabina, não compreende em absoluto uma atitude dela, ao usar um chapéu dado de presente por Thomas, seu grande amor. Kundera então narra como aquele amor estava fadado ao fracasso, porque não havia entre eles “o murmúrio do rio semântico...” – ou seja, as palavras, os signos da vida, tinham significados distantes, desafinados aos ouvidos de ambos, tornando a comunicação das almas, impossível.

  Como amo essa expressão, uma das mais lindas do mundo literário! “O murmúrio do rio semântico...” - Que contraste com a apropriada expressão usada pela Katarina em seu texto: “orgia semântica”.

  Pois será inevitavelmente, no meio dessa tal orgia, dessa confusão, dessa manipulação, na atual idiotização da mídia em geral (e, muitas vezes, em órgãos e blogs que consideramos progressistas, mas não totalmente imunes à manifestações desse tipo...) que cada um terá que achar os “murmúrios semânticos”, daquilo que se busca, mas nunca encontramos plenamente: a verdade!

                ***************************



 

Exibições: 46

Responder esta

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço