Uma morte de pessoa responsável acostumada a trilhar a linha da retidão e da justiça, realmente sempre deve ser repudiada e tudo se deve fazer para apresentar a justiça o autor do crime. O que não consigo entender – na verdade entendo, embora não aceite – é que quando as vítimas são juízes ou promotores, vem o chororó e clamam por proteção. Ora, e quem vai cuidar da proteção dos policiais que cotidianamente prendem, ou na defesa de sua vida ou da de outrem, acabam por ferir mortalmente os criminosos. Há algum tipo de proteção por parte do Ministério da Justiça ou de qualquer órgão público nesse sentido? Ou alguém acha que o simples brasão que o policial ostenta, quer esteja personificado em um distintivo ou através de uma farda, seria suficiente para proteger sua vida e da de seus familiares? Não me venham com aquela argumentação que o policial sabe que sua profissão é de risco, pois isso também se estende para os Juízes e Promotores, bem como para outras tantas, como fiscais, agentes sanitaristas e oficiais de justiça. Admitir o risco é uma coisa, aceitar seu suicídio (morte) é outra completamente diferente. Pensem bem vocês enquanto povo, como haverão de se sentir seguros se aqueles que deveriam protegê-los, não se sentem protegidos. Já se falou e nada se fez para tornar um agravante, com aplicação do rigor da lei, sem admitir benefícios para os criminosos que venham a cometer crimes contra os agentes do estado, que agem em favor da sociedade, como os já elencados, e a  outros à serem listados. A tolerância zero começa por aí. Escrito Por Fred -  O Escrivão.

Exibições: 33

Responder esta

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço