As ondas de uma campanha feita nas sombras


por Rodrigo Vianna

O jornalista Tony Chastinet é um especialista em desvendar ações criminosas. Sejam elas cometidas por traficantes, assaltantes de banco, bandidos de farda ou gangues do colarinho branco. Foi o Tony que ajudou a mostrar os caminhos da calúnia contra Dilma, como você pode ler aqui.

O Tony é também um estudioso de inteligência e contra-inteligência militar. E ele detectou, na atual campanha eleitoral, o uso de técnicas típicas de estrategistas militares: desde setembro, temos visto ações massivas com o objetivo de disseminar “falsa informação”, “desinformação” e criar “decepção” e “dúvida” em relação a Dilma. São conceitos típicos dessa área militar, mas usados também em batalhas políticas ou corporativas – como podemos ler, por exemplo, nesse site.

Na atual campanha, nada disso é feito às claras, até porque tiraria parte do impacto. Mas é feito às sombras, com a utilização de uma rede sofisticada, bem-treinada, instruída. Detectamos nessa campanha, desde a reta final do primeiro turno, 4 ondas de contra informação muito claras.

1) Primeira Onda – emails e ações eletrônicas: mensagens disseminadas por email ou pelas redes sociais, com informações sobre a “Dilma abortista”, “Dilma terrorista”, “Dilma contra Jesus”; foi essa técnica, associada aos sermões de padres e pastores, que garantiu o segundo turno.

2) Segunda Onda – panfletos: foi a fase iniciada na reta final do primeiro turno e retomada com toda força no segundo turno; aqueles “boatos”  disformes que chegavam pela internet, agora ganham forma; o povão acredita mais naquilo que está impresso, no papel; é informação concreta, é “verdade” a reforçar os “boatos”  de antes;

3) Terceira Onda – telemarketing: um passo a mais para dar crédito aos boatos; reparem, agora a informação chega por uma voz de verdade, é alguém de carne e osso contando pro cidadão aquilo tudo que ele já tinha “ouvido falar”.

4) Quarta Onda – pichações e faixas nas  ruas: a boataria deixa de frequentar espaços privados e cai na rua; “Cristãos não querem Dilma e PT”; “Dilma é contra Igreja”; mais um reforço na estratégia. Faixas desse tipo apareceram ontem em São Paulo, como eu contei aqui.

O PT fica, o tempo todo, correndo atrás do prejuízo. Reparem que agora o partido tenta desarmar a onda do telemarketing. Quando conseguir, a onda provavelmente já terá mudado para as pichações.

 Há também a hipótese de todas as ondas voltarem, ao mesmo tempo, com toda força, na última semana de campanha. Tudo isso não é por acaso. Há uma estratégia, como nas ações militares.

O que preocupa é que, assim como nas guerras, os que tentam derrotar Dilma parecem não enxergar meio termo: é a vitória completa, ou nada. É tudo ou nada – pouco importando os “danos colaterais” dessas ações para nossa Democracia.

Reparem que essas ondas todas não foram capazes de destruir a candidatura de Dilma. Ao contrário, a petista parece ter recuperado força na última semana. Mas as dúvidas sobre Dilma ainda estão no ar.

Minha mulher fez uma “quali” curiosa nos últimos dias. Saiu perguntando pro taxista, pro funcionário da oficina mecânica, pro vigia da rua de baixo, pra moça da farmácia: em quem vocês vão votar? Nessa eleição, pessoas humildes- quando são indagadas por alguém de classe média sobre o assunto  -  parecem se intimidar. Uns disseram, bem baixinho: “voto na Dilma”, outros disseram “não sei ainda”. Quando minha mulher disse que ia votar na Dilma, aí as pesoas se abriram, declararam voto. Mas ainda com algum medo de serem ouvidos por outros que chamam Dilma de “terrorista”, “vagabunda”, “matadora de criancinhas”.

O que concluo: as técnicas de contra-inteligência de Serra conseguiram deixar parte do eleitorado de Dilma na defensiva. As pessoas – em São Paulo, sobretudo -têm certo medo de dizer que vão votar em Dilma.

Esse eleitorado pode ser sensível a escândalos de última hora. Não falo de Erenice, Receita Federal, Amaury – nada disso.

Tony teme que as  o desdobramento final da campanha (ou seja a “Quinta Onda”) inclua técnicas conhecidas nessa área estratégico-militar: criar fatos concretos que façam as pessoas acreditarem nos boatos espalhados antes.

Do que estamos falando? Imaginem uma Igreja queimando no Nordeste, e panfletos de petistas espalhados pela Igreja. Imaginem um carro de uma emissora de TV ou editora quebrado por “raivosos petistas”.

Paranóia?

Não. Lembrem como agiam as forças obscuras que tentaram conter a redemocratização no Brasil no fim dos anos 70. Promoveram atentados, para jogar a culpa na esquerda, e mostrar que democracia não era possível porque os “terroristas” da esquerda estavam em ação. Às vezes, sai errado, como no RioCentro.

Por isso, vejo com extrema preocupação o que ocoreu hoje no Rio: militantes do PT e PSDB se enfrentaram numa passeta de Serra. É tudo que o que os tucanos querem na reta final: a estratégia, a lógica, leva a isso. Eles precisam de imagens espataculares de “violência”, da “Dilma perigosa”, do “PT agitador” – para coroar a campanha iniciada em agosto/setembro.

Espero que o Tony esteja errado, e que a Quinta Onda não venha. Se vier, vai estourar semana que vem: quando não haverá tempo para investigar, nem para saber de onde vieram os ataques.

Tudo isso faz ainda mais sentido depois de ler o que foi publicado aqui , pelo ”Correio do Brasil”: uma Fundação dos EUA mostra que agentes da CIA e brasileiros cooptados pela CIA estariam atuando no Brasil – exatamente como no pré-64.

Como já disse um leitor: FHC queria fazer do Brasil um México do sul (dependente dos EUA), Serra talvez queira nos transformar em Honduras (com instituições em frangalhos).

Os indícios estão todo aí. Essa não é uma campanha só “política”. Muito mais está em jogo. Técnicas de inteligência militares estão sendo usadas. Bobagem imaginar que não sejam aprofundadas nos dez dias que sobram de campanha.

Por isso, o desespero do PSDB com as pesquisas. Ele precisa chegar à ultima semana com diferença pequena. Se abrir muito, até a elite vai desconfiar das atitudes das sombras, vai parecer apelação demais.

Por último, uma pergunta: por que o “JN” adiou o Ibope – que deveria ter sido divulgado ontem? Porque Serra estava na bancada do jornal.

A Globo não quis constranger Serra com uma pesquisa ruim? Imaginem as pressões sobre Montenegro, de ontem pra hoje? O PSDB precisa segurar a diferença em 8 pontos no máximo.Para que a estratégina de ataque final, na última semana, tenha chance de surtir efeitos.

Estejamos preparados pra tudo. E evitemos entregar à turma das sombras o que ela quer: agressões contra Serra, contra Igrejas, contra carros de reportagem.

O Brasil precisa respirar fundo e passar por esse túnel de sombras em que acampanha de Serra nos lançou.

http://www.rodrigovianna.com.br/plenos-poderes/as-cinco-ondas-da-ca...



Exibições: 121

Responder esta

Respostas a este tópico

Concurdo com tudo que o escrivinhador diz. Aliás, já falei sobre essa possibilidade em outro post aqui neste portal. Náo me lembro em qual. Desde 1950, que vivencio e percebo essas movimentações reptícias, feitas com estratégica militar, próprio da CIA, USAID, FBI e outras. O antigo PRP, depois UDN, depois ARENA, depois PDS e agora PSDB e DEM, são os mesmos ou herdeiros deles e os métodos são os mesmos. Tentaram, contra o Getulio, usando o Eduardo Gomes, depois, contra Juscelino, usando Juarez Távora, o mesmo que contrapos-se ao livro de Gondim da Fonseca, e disse que no Brasil não tinha petróleo. Tentaram, mas não conseguiram, graças ao Lott, derrubar JK. Em 1960, com os cobres do IBAD, deixaram o Juracy Magalhães, para apoiar o teatral "jeromo dos quadros", que mijou no prato que comeu e depois renunciou, dando início ao engendramento do golpe que havia sido abortado em 1954, com o suicídio de Vargas (não tem como depor um presidente morto) e concretizado em 1964. Temos que estar com as barbas de molho! Com a direita não se brinca! F da P..tismo não tem cura e nunca será erradicado.
Euripides esta reunião de FHC em Foz do Iguaçu, aguçou as antenas. O cara quer privarizar a Petrobras e isso todo mundo sabe. O que os empresários americanos estavam fazendo aqui nesta reunião?
Beijos
Marise,estes últimos dias de campanha serão tenebrosos;suspeito q/ por trás do Serra Abaixo está muita gente interessada na vitória da direita inescrupulosa,como os americanos e os sionistas.
Se eu fosse a Dilma n/ entraria num avião enquanto ele n/ fosse seriamente vistoriado.Remember Ulysses Guimarães,a morte nunca bem explicada de Tancredo e até aqui,na Bahia,duas mortes de candidatos a governador,uma nos idos de 50 e outra mais recentes.
Abraços
A Bala de Prata assumiu um papel de piparote. He he he he

E assim caminha a tucanalha!!!
Victor esta da bolinha de papel é vergonhoso.
Beijo
"A campanha do Serra mergulhou atrás do ódio. Tentou plantar na sociedade brasileira pelos métodos mais sórdidos a semente do ódio. Até o bordão de que comunista come criancinha voltou quase que literalmente, para sacrificar a mulher no altar hediondo de um moralismo medieval, como disse num texto para o Terra Magazine. Não importa que tantas mulheres, milhares delas, morram por ano no País devido à falta de atendimento por conta de abortos feitos em condições miseráveis, aviltantes, que atentam contra a dignidade humana. Não importa que ele mesmo, Serra, tenha, como ministro da Saúde, determinado o atendimento a essas mulheres. Ele mente, ele nega, e ele não cora ao mentir. É só lembrar o caso de Paulo Preto, que ele nega hoje, e amanhã o acolhe, temeroso da ameaça pública que o seu auxiliar lhe fez. O senso comum o compararia a Pedro, que negou Cristo três vezes, ou a Judas, que traiu Cristo, como diz a tradição bíblica. Talvez mais, muito mais Judas, do que Pedro. "

http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_i...
Luiza,

O que o Serra fez como Ministro foi assinar uma norma técnica que instruía o sistema de saude pública a atender a casos de aborto permitidos em lei. Isto ele não negou e dizer que ele o fez é no mínimo desonestidade intelectual.

Outro aspecto que caracteriza desonestidade é comparar, no caso do aborto, o que afirma serra e o que afirma a Dilma, são pensamentos completamente diferentes. Claro pra interpretá-los com decência é preciso se despir das ideologias.

Quanto ao ódio que os dirigente do PT tentam imputar a serra se torna claro e determinado de onde vem, basta ouvir os discursos de Lula, ele se supera a cada vez que fala suas bobagens, e os "intelequituais" aplaudem e se embebedam com as sandices dele.

Veja a norma técnica a qual a Dilma se referiu num debate na tv. tentando afirmar que por isto o serra era a favor do aborto, é a velha desculpa de vocês também fazem assim. Mas os que pensam entende isso como normal, para o PT o normal é a vítima ser acusada e o transgressor inocentando, desde que este esteja do seu lado, como já dizia Leon Trotsky: Essa pregação tão grandiloqüente quanto falsa tem sua base social de classe na pequena burguesia intelectual.

Linke para norma: http://www.providaanapolis.org.br/norviol.htm

Falou...
Claro pra interpretá-los com decência é preciso se despir das ideologias.

Ah, sim, claro. Você por exemplo é cara que já anda nú pelas ruas, tão sem ideologias que é.
"Cristovam"

Vê se não despe muito... cruzes!!!
kakaka,Luiza ele já se despiu a muito tempo.Vocês é que não viam
Beijão
Marise, me inclua fora dessa...rs... vc não vê que o danado não larga meu pé de jeito maneira?
Onde quer que eu vá, levo vc no olhar...kkkk

Beijos
Luiza ,o Serra é tão mentiroso que eu nunca tinha visto um politico assim. Viro Gomes é que tinha razão. Se preciso para ganhar ele mata a própria mães. É um cara extremamente baixo
Beijos

RSS

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço