Cada vez mais fico assustado. Sou mesmo muito ingênuo para ficar me assutando a toda hora: ainda não entendi que o mundo mudou; que neste novo mundo não há mais lugar para a antiga divisão entre  direita x esquerda; que eventuais discordâncias se resolvem em um ambiente confortável, com ampla discussão entre pares civilizados, igualmente imbuídos no propósito de savar a natureza ... e por vai.

Não sei, e quero me penitenciar, como pensei coisas horríveis de pessoas como a Senadora Kátia Abreu até bem pouco tempo atrás. Além de promover a paz no campo, de distribuir terras conseguidas com sacrifício, de batalhar contra o trabalho escravo, a Senadora está também muito empenhada em salvar o "meio-ambiente", diria até que o "ambiente inteiro". Não bastasse toda essa demonstração de amor ao próximo e à natureza, e ainda bem que o faz com total desinteresse, atesta, com total fervor e senso de justiça, a qualificação moral, ética, ideológica, política etc.  do Deputado Aldo Rebelo. Penso que agora o país pode dormir em paz. Que os "esquerdistas" tomem consciência de sua importância para o desenvolvimento da nação; que dêem os braços aos nossos tão injustiçados parceiros de "direita",  e sobretudo aprendam com seu sentimento de solidariedade, desprendimento e humildade.

 

Um abraço fraternal a todos.

Francisco

 

Em tempo: para maiores esclarecimentos leia "A coragem moral de Aldo Rebelo" por Katia Abreu, página A3 da Folha de São Paulo de 24/06/10, e "Musa do trabalho escravo, senadora Kátia Abreu comanda....", por Leandro Fortes, Carta Capital, em 27/11/09.

Exibições: 473

Responder esta

Respostas a este tópico

ahhhhhhhhhhhhhhhh
quéisso, vc não pode faltar....
Ah, se vc não for não vou também.
admirador da Katia....conseguiu no sacrifício tadinha né? pena que o serra não quer ela assim afundariam mais rapido
hã, hein? qualquié?
Ops. Depois da piadinha, papo sério:
http://www.brasilianas.org/blog/gustavo-belic-cherubine/aziz-nacib-...
Ab'Sáber mais uma vez...
"Os relatores do Código Florestal, falam em que as áreas muito desmatadas e degradadas poderiam ficar sujeitas a “(re)florestamento” por espécies homogêneas pensando em eucalipto e pinus. Uma prova de sua grande ignorância, pois não sabem a menor diferença entre reflorestamento e florestramento. Esse último,pretendido por eles, é um fato exclusivamente de interesse econômico empresarial, que infelizmente não pretende preservar biodiversidades. Sendo que, eles procuram desconhecer que para áreas muito degradadas, foi feito um plano de (re) organização dos espaços remanescentes, sob o enfoque de revigorar a economia de pequenos e médios proprietários: Projeto FLORAM. Os eucaliptologos perdem éticos quando alugam espaços por trinta anos, de incautos propr ietários, preferindo áreas dotadas ainda de solos tropicais férteis,do tipo dos oxissolos, e evitando as áreas degradadas de morros pelados reduzidas a trilhas de pisoteio, hipsométricas, semelhantes ao protótipo existente no Planalto do Alto Paraíba, em São Paulo. Ao arrendar terras de bisonhos proprietários, para uso em 30 anos, e sabendo que os donos da terra podem morrer quando se completar o prazo. Fato que cria um grande problema judicial para os herdeiros, sendo que ao fim de uma negociação as empresas cortam todas as árvores de eucaliptos ou pinos, deixando miríades de troncos no chão do espaço terrestre. Um cenário que impede a posterior reutilização das terras para atividades agrárias. Tudo isso deveria ser conhecido por aqueles que defendem ferozmente um Código Florestal liberalizante."
Excelente, Mario, vc ter trazido o texto do professor Ab'Sáber para essa discussão. É muito claro e coloca os pingos em todos os is.

Aqui rolou uma pequena discussão sobre a reformulação do Código: http://blogln.ning.com/profiles/blogs/proposta-de-novo-cf-e . Muito interessantes as opiniões do Eduardo, do Instituto de Botânica do Estado de São Paulo.
Fernando,
Interessantes mesmo. Apesar de ser um pouco fora de pauta, vou repetir um trecho aqui: "Milhares e milhares de horas de trabalhos de pesquisa realizados por muitas e muitas pessoas e muito conhecimento acumulado não foram levados em conta. Conhecimento este que foi bancado com o dinheiro dos impostos de todos brasileiros."
Deixo uma pergunta/provocação: até que ponto não é a própria comunidade científica, que não dá o mínimo valor (acadêmico, bem entendido) para esse tipo de colaboração, também responsável por isso?
Caro Mario
Como escrevi em recente resposta a Hermê, podemos dividir nossos antagonismos em dois grandes grupos os conservacionista e os desenvolvimentistas, obviamente como em tudo nessa vida achar o equilibrio para as coisas as tornam mais saudaveis e menos conflitantes, então podemos perguntar: Porque não conciliar desenvolvimento com conservação ? Creio nisso como a melhor solução para tudo.
O inicio da nossa discunsão se deu pelo fato de uma pecuarista tambem envolvida com politica tida como "direita", apontar elogios aos trabalhos de um deputado dito e conhecido pelo seu passado "esquerda", isso causou estranhesa no autor do topico Francisco Xavier.
Tenho procurado encaminhar meus argumentos no sentido de que para nos brasileiros não importa esquerda ou direita, temos um adversario muito maior que seria no meu entender a maquina economico/financeira mundial, e que se conseguirmos nos desatar desse complexo "nó" caminharemos com muito mais facilidade. Pois resumindo tudo, o que todos nós brasileiros queremos certamente deve ser condições de vida mais confortavel e prospera, e para isso somente conseguiremos com aglutinação dos interesses que apesar de parecer antagonicos convergem para o mesmo ponto.
Nesse quesito que, apesar de nunca ter votado no Lula, me rendo á sua magnifica capacidade de aglutinação do povo brasileiro, com alguns discidentes aqui ou ali, porem maioria da população concorda com essa qualidade, assim somente juntos consiguiremos atingir metas.

Abraços , otimo final de semana
vc leu o texto do aziz?
ele não me parece não querer desenvolvimento...
Cabocla
Vou postar para voce aqui o que acabei de escrever para a Herme acima, é mais ou menos o que penso do tema desenvolvimento / conservasionismo , o assunto girou sobre as ONGs que operam em nosso pais.:

Caro (a) Hermê
Como voce bem escreveu, existem ONGs e ONGs, porem como lembrado por voce mesmo, para que uma ONG obtenha dinheiro internacional, tem-se que apresentar projetos que como disse são "disputadissimas, exigindo apresentação detalhada do projeto", pois bem só recebem essas verbas os projetos que apontam interesse dos governos que as fornecem, exemplifico com o questionamento:

- Voce já viu algum projeto de ONG com recurso externo que tratar de desfavelamento, saneamento basico, coleta e tratamento de residuos, energia eletrica para população mais carente, habitação, etc, etc... ?

Porque coloco essa questão, todas as ONGs, invariavelmente, todas que recebem dinheiro do exterior praticam ações que sistematicamente vão contra o desenvolvimento humano, são sim, favorabilissimos às populações indigenas com a condição de que elas pernameçam indigenas, areas quilombolas, com a mesmo condição de que grupos de pessoas continuem morando em comunidades quilombolas, preservação da condição de vida dos ribeirinhos amazonicos, como dizem "são a alma da floresta" contanto que continuem vivendo da forma miseravel que vivem.

Assim, Hermê, sei tambem que os brasileiros que nisso trabalham não são "corjas de safados" como voce lembrou, porem elaboram projetos de forma que possam receberem as verbas, e para isso tem que trilhar os interesses de seus financiadores. Sei que são pessoas do mais alto grau cultural, curso superior, mestrado, doutorado, gente que na sua maioria tem participação efetiva nos governos, infiltrados nos ministerios, diretores, cientistas, engenheiros, advogados, porem para receber as verbas que remetem para cá, tem inexoravelmente "rezar na cartinha" daqueles que querem nos ver continuar pobres a pedir esmolas para as instituições fincanceiras que em sua grande maioria são as mesmas que custeiam essas ONGs, obviamente deveremos retribuir com os tantos juros que já pagamos.

Repito o que já escrevi outro dia, hoje, graças a perspicacia do iletrado Lula, conseguimos nos desatar dessa rede que podemos chamar de governaça global, porem não estamos totalmente libertos, nem nunca estaremos, essa atenção devera ser permanente.

Existem duas vertentes ou rumos, podemos chamar de conservacionistas e os desenvolvimentistas, essas ONgs que "tanto bem" nos quer promover, certamente estão ai para nos conservarem assim como estamos, pobres e subjulgados aos ricos,. e não pense que não pagamos por isso, cada dolar que vem para uma ONG dessas tenha certeza nós já pagamos muito mais de mil.

Na sua ultima frase, "solidariedade internacional", eu lhe pergunto de ingleses e americanos? É GRANA - pra ficar bem no popular.

Abraços otimo domingo
eu li sebastião, mas tb li o aziz e o tópico indicado pelo fernando luiz, me parece que essa divisão desenvolvimentistas e ambientalistas não é tão simples.]
há exageros lado a lado, mas me desculpe, entre katia abreu e agrobusiness e aziz, tenho a maior tendência a acreditar no aziz...

RSS

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço