Cada vez mais fico assustado. Sou mesmo muito ingênuo para ficar me assutando a toda hora: ainda não entendi que o mundo mudou; que neste novo mundo não há mais lugar para a antiga divisão entre  direita x esquerda; que eventuais discordâncias se resolvem em um ambiente confortável, com ampla discussão entre pares civilizados, igualmente imbuídos no propósito de savar a natureza ... e por vai.

Não sei, e quero me penitenciar, como pensei coisas horríveis de pessoas como a Senadora Kátia Abreu até bem pouco tempo atrás. Além de promover a paz no campo, de distribuir terras conseguidas com sacrifício, de batalhar contra o trabalho escravo, a Senadora está também muito empenhada em salvar o "meio-ambiente", diria até que o "ambiente inteiro". Não bastasse toda essa demonstração de amor ao próximo e à natureza, e ainda bem que o faz com total desinteresse, atesta, com total fervor e senso de justiça, a qualificação moral, ética, ideológica, política etc.  do Deputado Aldo Rebelo. Penso que agora o país pode dormir em paz. Que os "esquerdistas" tomem consciência de sua importância para o desenvolvimento da nação; que dêem os braços aos nossos tão injustiçados parceiros de "direita",  e sobretudo aprendam com seu sentimento de solidariedade, desprendimento e humildade.

 

Um abraço fraternal a todos.

Francisco

 

Em tempo: para maiores esclarecimentos leia "A coragem moral de Aldo Rebelo" por Katia Abreu, página A3 da Folha de São Paulo de 24/06/10, e "Musa do trabalho escravo, senadora Kátia Abreu comanda....", por Leandro Fortes, Carta Capital, em 27/11/09.

Exibições: 473

Responder esta

Respostas a este tópico

Monsanto brasileira só no gol do Luís Fabiano, contra a Costa do Marfim.
Hermê, heheh isto agora foi gol de placa...
não amigo, lá foi o negócio que ele abriu:
chapelaria luis fabiano, produtos artesanais confeccionados à mão...
mas que papelão, hein? mesmo dentro do "mundo capitalista"

ainda somos produtores de grãos, desde sempre. arrasamos o meio ambiente, destruímos a perspectiva de desenvolvimento sustentável, entupimos as estradas de caminhões, que se transportassem óleo de soja, por exemplo, estariam reduzindo o "custo Brasil" (transporte, seguro, saúde). e ainda por cima, ou por baixo, a grana preta ficaria nas mãos do agricultor, pois sabe-se que o preço é determinado pelo país de destino. e pra que campesinato, essa coisa demodée?

nossa participação na ciranda de concentração de renda internacional é de um protagonismo histórico.
sebastião. sebastião!
sabe o que eu acho? que você não entendeu direito o caminho pelo qual trilhamos.
você diz:
"que transgenicos faz mal para o ser humano, que a poderosa industria dos herbicidas são nocivas á saude humana, são conceitos que estão nos colocando "guela" abaixo, pois sem esses setores seguramente estariamos nas mãos dos maiores produtores de cereais do planeta, EUA."

pois, então: é exatamente disso que se trata, só que... só que... com o sinal trocado. é exatamente a poderosa indústria dos transgênicos, dos herbicidas, que nos atam as mãos, que nos colocam no colo de setores do agronegócios, este que nada tem de naciona. e,veja bem, não se trata apenas disto, ou disto, pensado ingenuamente. mas, trata-se de coisa pior. trata-se de um empreendimento que, além de querer impor um modo de agricultura e o seu absoluto controle, se alia a certos tipos de nacionalismos que, como a simone alerta, se contenta em exportar o cereal, bruto, sem qualquer valor agregado.

vendemos soja e importamos óleo de soja. é mole?!

não se trata de ser brasileiro. não se trata de ser contra o agrobusiness, mas se trata de ter terras que mantenham nossa soberania, de uma agricultura sustentável e saudável. só isto!
Caros (as)
Apenas para constar, quem sugeriu que Monsanto é uma industria brasileira não fui eu, isso para que fique bem claro.
Vamos aos fatos, é inegavel que o Brasil cresceu no setor agropecuario, esse crescimento ajudou e ajuda a balança comercial brasileira, tanto isso que conseguimos superavits sucessivos da balança comercial, que nos possibilitou reservas suficientes para dar como quitada nossa impagavel divida, (lembrem-se da famosa divida impagavel).
Posto isso, coloco o seguinte raciocinio, multinacional não é governo, multinacional anda atras de lucros, se é lucrativo na China, vamos para a China, se o Brasil é lucrativo vamos para o Brasil, agora, para a politica governamental americana se porventura a Monsanto vier para o Brasil e apesar de conseguir monstruosos lucros, posibilitar que o Brasil se destaque naquele setor que ira comprometer os concorrente americanos, a politica governamental americana quer que a Monsato se arranje pois suas baterias irão soar no sentido contrario até mesmo à sua multinacional. Cito exemplos:
A Cargil (americana), investiu em um terminal graneleiro de cargas fluvial, que se não me engano na foz do Tocantins ou já no Amazonas, o que encurtaria a viagem maritima para o hemisferio norte no minimo 4000Km, as ONGs ambientalistas "cairam de pau" pelo que me consta conseguiram a paralisação do projeto gigantesco, não sei qual o andar da carruagem hoje, mas tenho essa noticia de 1 ano atras.
Ecomonia de um pais funciona mais ou menos como a economia familiar, se uma familia esta endividada, com montes de carnes de casas Bahia para pagar no final do mês, essa familia é refem da situação, fica impossibilitada de efetuar algum bom negocio que possa aparecer durante o periodo pois sua renda esta totalmente comprometida.
O Brasil sem caixa, devendo, tinha possibilidade de negociação zero, voce imagina o presidente do Brasil em anos atras fazendo negociação de paz com Irã, Turquia, totalmente impossivel pois não tinha "grana" para falar mais alto, e quem não tem "grana" fica apenas escutando.
Essa grana só veio porque o Brasil esta mais agressivo comercialmente, e se formos imaginar entrar no mercado internacional com agricultura familiar, "saudavel" esqueçam vamos ficar aqui em nosso estilo de vida, não pensem que estaremos muito longe do modelo africano.

PS - voce sugeriu que o Brasil importa oleo de soja ? De onde ?
ai
ui!
mas deixa eu responder prô bastião (leia direitinho, viu!)

"Por incrível que pareça, o Complexo Soja foi o grupo de produtos que mais cresceu na pauta de importações paranaenses, aumentando em 430,21% seu volume de compras nos primeiros sete meses do ano em relação ao mesmo período do ano passado. Deste grupo, 32% correspondem à importação de óleos de soja, cuja expansão de janeiro a julho de 2008 alcançou o estratosférico nível de aumento de 61.582,58%.

O Complexo Soja é, ao mesmo tempo, o grupo de produtos que lidera as exportações paranaenses, com 33,05% de participação nas vendas para o exterior, tendo se expandido 107,58% nos sete primeiros meses deste ano, fruto da boa safra agrícola do Estado e dos altos preços internacionais. A comparação demonstra que o Paraná permanece exportando soja in natura e importando produtos beneficiados."

fonte (só vou te dar uma e dali prá cá não mudou muito, não!)
http://jornale.com.br/mirian/?p=2023
aiui
aiaiuiui
E antes que isso vire samba sincopado, Sebastião, lembre-se do que eu disse lá em cima: se nem todo ruralista é escravagista e predatório, tem ruralista que é.
só um registro:
A Guiné-Bissau, um dos países mais pobres do planeta, na África, (expectativa de vida de 49 anos; 2 em cada 3 habitantes, em estado de pobreza absoluta) tem como base da sua economia a exportação bens primários: mariscos, peixes e castanha de caju (40% do PIB, 85.000 ton por ano, maior peso na balança comercial de um dos maiores devedores em termos relativos dos bancos internacionais), sem desenvolvimento de qualquer indústria de processamento, nem de doces ou sucos.

a pescaria é predatória e a plantação dos cajueiros devasta o solo etc etc etc de uma população de coletores, aqueles caras da pré-história.

RSS

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço