O deputado federal Jean Wyllys (PSOL-BA) é a mais recente vítima do esgoto. No vídeo abaixo, ele comenta os ataques que sofreu do blogueiro da Veja Reinaldo Azevedo e também de determinados setores da mídia.



Para entender o caso...

Sob o título “Jean Wyllys, o deputado BBB, a Natalie Lamour da Câmara, acusa o povo brasileiro de ignorante” (clique AQUI), o blogueiro da Veja ataca o deputado. E publicou o vídeo que “prova” que o deputado “acusa” o povo de ignorante. E como sempre acontece, tal artigo abriu a porteira para que o deputado passasse a ser alvo de vários ataques insanos na internet por meio de blogues, redes sociais etc. Clique AQUI para assistir ao vídeo com a entrevista que gerou a polêmica.

No vídeo usado pelo blogueiro da Veja, Jean Wyllys dá uma entrevista em que fala do casamento gay e da inconveniência de se realizar no Brasil plebiscito para este assunto e outros temas importantes, já que “a população não é devidamente informada” para decidir, por exemplo, sobre a pena de morte, a redução da maioridade penal etc. Ao final da entrevista, ele fala da importância de se promover o debate para clarear a mente dos deputados que, segundo ele, “partem da mesma ignorância e preconceito [em relação ao tema] que a maioria da sociedade parte”.

Bom, no momento não tenho subsídios para falar bem ou mal do deputado Jean Wyllys. Mas posso afirmar que não achei absurdo algum no que ele disse. O problema consiste apenas na desonestidade do blogueiro da Veja, mestre em lançar mão do sofisma para atacar pessoas e jogar com seu esgoto. Em primeiro lugar, se eu ponho na boca de alguém (ainda mais um deputado), de forma descontextualizada, a frase “o povo brasileiro é ignorante”, isto de forma alguma refletiria o que o deputado quis dizer na entrevista. E Jean Wyllys usou adequadamente tanto o substantivo “ignorância” quanto o verbo “partir” para ilustrar o seu ponto de vista. Ou seja: o “partir” entra como o “ponto de partida” da discussão do tema que, uma vez oferecida aos que o ignoram, terá um longo caminho até chegar ao ponto de chegada, ou seja, o conhecimento. E pelo dicionário, o termo “ignorante” casa com o contexto: “aquele que desconhece a existência de algo; que não está a par de alguma coisa”. Ora, muito diferente seria alguém dizer simplesmente que “você é ignorante” ou dizer que “você está ignorante em determinado assunto”.

Parece que está virando moda atacar alguém por aquilo que não escreveu ou não falou. Colabora para isto o grave problema da falta de letramento de pessoas (inclusive jornalistas e intelectuais) incapazes de interpretar adequadamente um texto, como bem lembrou Weden num ótimo artigo publicado neste espaço (clique AQUI para ler) que toca na falácia em torno da “cartilha” (sic) do MEC que “ensina português errado para as crianças”.

Exibições: 605

Responder esta

Respostas a este tópico

Eu não disse que o blogueiro da Veja sofre da "falta de letramento". Longe disto. Ele sabe muito bem o que faz. O problema é que ele deliberadamente deturpa o realidade para moldá-la ao interesse de quem o paga. O que eu quis dizer ao final do meu texto é o seguinte: se é verdade que jornalistas e intelectuais sofrem da falta de letramento (para interpretar um texto, por ex.), imagine então um cidadão comum cujo ofício não é lidar com as letras. Então essas pessoas ficam mais vulneráveis quando se deparam com os textos de letrados imbuídos de má-fé.

 

Por exemplo: FHC anda defendendo a descriminalização das drogas. Pessoalmente, não simpatizo com FHC, mas simpatizo com a idéia e entendo a intenção do ex-presidente na provocação do debate. Mas se eu fosse desonesto, pegaria uma frase de FHC fora do contexto de uma entrevista - "Eu sou a favor da descriminalização de todas as drogas." - e escreveria um texto sob o título "FHC é a favor das drogas". E no artigo, faria firulas para ninguém entender o significado de "descriminalização" e diria que "FHC apoia que seu filho fume crack" - o que obviamente seria uma mentira; e convidaria os leitores a conferir diretamente na página da entrevista a frase, ou seja, a "prova do crime". Este exemplo não foi em vão, pois foi exatamente o que aconteceu na campanha eleitoral - quando a Dilma defendia a descriminalização do aborto. Alguns setores torpes da mídia não pestanejaram em deixar entender que "Dilma é a favor do aborto".

Michel, o internauta brasileiro e os leitores curiosos da Rede de Internet compreendem satisfatoriamente as mensagens publicadas e ao contrário de uns dois ou tres frequentadores deste Portal LN que se identificam como donos da cultura brasileira, sabem distinguir a mentira da verdade, tanto que, diante da avalanche de mentiras e entrigas feitas pelo José Serra e seu bando de terroristas políticos, tanto  do PSDB  quanto do  DEM, a Dilma foi eleita
NÃO SEI POR QUE SE DISCUTE TANTO A HOMOFOBIA NO GOVERNO QUANDO TEMOS UM SENADO FEDERAL QUE JÁ É UM GRANDE PROSTÍBULO COMO SE MOSTRA. 

Jean tem se saído muito melhor que a encomenda. Tende a ser o deputado mais atuante e coerente deste congresso em décadas.

Por conta disso será alvejado constantemente por Bolsonaros e seus cumpadres da Veja... Mas logo o Reinaldo Azevedo, aquele que sempre chama o povo de burro por "votar no Lula/Dilma", se ofende porque um gay falou da real ignorância da população sobre um tema que normalmente desconhece.

Tem gente aqui que também acredita em "conspiração gay", em sociedade monolítica cristã e heterossexual. E que tem morre de medo de ter que sentar ao lado de um gay, negro, mulçumano ou mulher - se for mulher, é capaz de nunca ter visto a própria genitalha, fonte de seu pecado original.

O que eu vejo é a tentativa vã de enquadrar as pessoas em caixotes nos quais nem os homofóbicos conseguem se expremer.

É de uma tacanhice as opiniões do tal de Reinaldo Azevedo , o sujeito não sabe interpretar  oque lê ou pensa que as pessoas são estupidas . Aquilo que Azevedo escreve não vale oque o gato enterra , é um sujeito com posições  retrógradas , por ele seríamos uma monarquia e ele com certeza seria o bobo da corte .

 

 

Mudanças de hábitos de comportamento e porque não culturais sempre são dolorosas e conflituosas mais inevitáveis, alguns vão espernear gritar se apavorar, conseguir adiar essas mudanças em alguns momentos mais no final vão ter que aceitar e se adaptar, afinal o verdadeiro e único objetivo é uma sociedade igualitária onde todos tenham os mesmos direitos e deveres. Mais infelizmente as armas dos que lutam contra isso sempre serão o preconceito a intolerância a violência e a mentira  essa é a pior  fase desse processo mais não desista deputado essa luta esta só começando e você não esta sozinho.

Descontextualizar, trocar substantivo por adjetivo é muito comum em determinada imprensa. Quanto ao blogueiro, o coroinha de Guarulhos, agitador de adolecente sem causa, moralista e mal educado que o trata de Tio, por ser filho único de pais que são filhos únicos, esse não tem jeito, sonha com Marcatismo ou Cruzadas, é um doente, precisa de tratamento. Com toda a religiosidade dele, ele não aprende nada ao tomar a óstia. É só um ritual vasio. Pena, os infernos o receberão de braços abertos. KKKKKKKKKKKKKK
este será mais um que terá cada palavra, cada gesto, cada ação, monitorada por esta nossa tão isenta imprensa.
Esse assunto que envolve parte do povo que quer implantar na Constituição direitos que ferem os preceitos bíblicos, não deveria ser alimentado mas o é, devido a mídia brasileira ser também pró prostituição como é o caso da Rede Globo de Televisão que implantou na sociedade brasileira uma verdadeira  escola de como fazer sexo livre e tantos outras ilicitudes. Às vezes me pergunto qual seria o regime político mais adaptado ao Brasil a fim de que o seu povo não fosse submetido à tanta desgraça por um Governo imoral, ladrão e bandido, que não dá atenção à dignidade de seu povo.

Ariston

 

Vou até fazer uma brincadeira sobre que tu falaste, mas que expressa a realidade.

Em zootecnia tinha ou tem, isto que vou falar tem muitos anos, técnicas de menejo de animais para junta-los para a procriação, colocava-se de uma forma que não me lembro como, os touros junto com as respectivas vacas para a procriação. Bem há muito tempo atras vi uma conversa entre dois fazendeiros sobre como eles fariam isto. O primeiro falou da técnica que utilizaria para maximizar o desempenho dos touros e o segundo disse que utilizaria a técnica Rede Globo. Quando foi questionado pelo primeiro de como funcionava esta técnica, pensando que ele tinha assistido algo no programa Globo Rural, o outro disse: Técnica coisa nenhuma, eu junto todos os touros e todas as vacas e depois vejo o que vai acontecer.

 

Parece (e é) meio grosseiro o exemplo, mas é só para demonstrar como a promiscuidade propalada pela Rede Globo, sem distinção de nada, permite que relações hetereo ou h*** afetivas, que deveriam ser baseadas no amor, fiquem comparadas com a reprodução animal.

 
Gostei Rogério, é isso aí e quanto ao meu texto censurado educadamente por quem detém os princípios da educação e eu respeito até mesmo quando a censura é desprovida de ética, pois o homem possui apenas duas maneiras de expressar suas idéias, expondo e impondo, expor, por princípio aquilo que tem e impor, nem sempre o que possui, sendo a maioria das vezes que o faz, forçado e sendo a cabeça humana um barco a vela que obedece ao seu comandante que nem sempre é o seu dono, a minha é uma cabeça dura de casco grosso que não tem nada que o amacie, o que acredito ser devido a isso o cometimento consciente de tanta bobagem. 
Ariston, o Estado é laico portanto sua Constituição garante direitos e deveres a TODOS. Cabe aos religiosos (padres, pastores, pai-de santo, rabinos.........) orientar seus rebanhos de acordo com a leitura dos preceitos blblicos, Torá, Alcorão, de sua religião. Cuidado, seus questinamentos podem leva-lo a um regime politico teocrático, portanto excludente, préconceituoso e ditadorial.Religião é uma conduta ética de um grupo, não pode se sobre por a todos, sociedade.

RSS

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço