Dia 1 de agosto - PROTESTO NACIONAL CONTRA A CORRUPÇÃO

Recebí em meu email uma convocação para um protesto nacional contra  a corrupção. Independente de preferências partidárias, ladrões existem em todos os lados. A ocasião e certeza da impunidade, levou o brasil para um patamar jamais visto. Popularizou a corrupção. Acredito que mais de 60% das cidades desse pais estão sendo saqueadas pelo grupo no poder. Posso estar errado, mas se for é para menos.

Achei boa a convocação porque era anômina. Assim não ha lider. Há uma idéia.

Alguem recebeu esse email?

Exibições: 1035

Responder esta

Respostas a este tópico

Primeiro peço desculpas ao nonato. O buling fechou o ciclo. Mas questionar a suiça e achar que se vive ali de banco e dinheiro roubado é estar no mínimo alienado dos fatos.

Mas o dia vai chegar e nada vai acontecer. O boom economico que o brasil vive pode ser usado para o bem das instituições ou dos companheiros.

Pessoal, agora vai estourar a corrupção no ministério da agricultura. Controlado pelo pmdb e pp. Segundo juca, irmão do deputado, o rombo na conab é muito maior que no denit.

E aí.....como foi o protesto??  Deu quórum??
Pois é, como bem disse a Dilma, não dá para o governo se pautar por demandas midiáticas.

 

Caro

EMÍLIO

e demais comentaristas

deste tópico,

o que podem dizer

desta denúncia?

 

CURIOSO!   CURIOSÍSSIMO!

 

Porque ninguém aqui no

PORTAL e também no

NASSIF ONLINE, bem

como no JORNAL NACIONAL

tocou nesta manchete de

primeira página da Folha?

 

Quanto a mim, estou duvidando

da veracidade disso aí.

Agora, o que me INTRIGA

é saber dos motivos que

levaram a Folha a divulgar

tudo isso contra esses

militares?

Quem a incentivou a

divulgar?

Sabemos que quem

manda na Folha são os tucanos e

a "elite" paulista.

Assim sendo, JOBIM, o grande

amigo do tucanos, sabia que

esta denúncia seria publicada.

Por que, JOBIM, como grande

tucano deixou que publicasse?

Quem estará  sendo  "costa

larga" da Folha?

Há muito mistério

nesta história.

Ou não?!

 

Marco Nogueira

 

 

 

 

31/07/2011 - 05h34

Comandante do Exército vira alvo de investigação

 

Publicidade

 

DE SÃO PAULO

O comandante do Exército, general Enzo Martins Peri, e mais sete generais viraram alvo de investigação da Procuradoria-Geral de Justiça Militar sob suspeita de participação em fraudes em obras executadas pelo Exército, informa reportagem de Marco Antônio Martins, publicada na edição deste domingo da Folha (a íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).

Leonardo Carvalho - 18.jan.2010/Folhapress

 

O comandante do Exército, general Enzo Martins Peri

Os oficiais comandaram o DEC (Departamento de Engenharia e Construção) e o IME (Instituto Militar de Engenharia) entre 2004 e 2009, período em que o Exército firmou vários convênios com o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) para realizar obras em rodovias.

Um grupo de engenheiros e contadores chefiados pela promotora Ione de Souza Cruz, do Ministério Público Militar, apontou indícios de fraude em 88 licitações feitas pelo Exército para executar obras do Ministério dos Transportes e apontou desvios de recursos públicos no valor de R$ 11 milhões.

Em nota, o Centro de Comunicação do Exército afirmou que não tem conhecimento da investigação e que "não cabe à Força e nem aos militares citados emitir qualquer tipo de posicionamento sobre o assunto".

Leia mais na Folha deste domingo, que já está nas bancas.

 

 

Editoria de Arte/Folhapress

 

 

 

Marcos, os tucanos acusam a folha de ser petista. Quando a notícia é contra todo mundo chia.

Mas se o materialimo dialético é válido, não somos só nós, deste forum, que estamos de saco cheio. Esse movimento contra a corrupçao é de mentes e teclados. O mundo continua mudadndo.

Tanto faz se quem esta roubando seja do psdb ou do pt ou da pqp. Pegou, tem que ir preso e devolver a grana.

Há dois tipos de impunidade. A do bandido que não vai preso e a da autoridade que não consegue prender. Acho que o movimento contra a corrupção não se deve objetivar só os políticos. Deve ser contra o sistema, contra a ineficiência dos órgãos que tem o dever de agir.  

Penso que é válido fazer referência ao Materialismo Dialético, notadamente ao Materialismo Histórico, nesta questão da corrupção. Entretanto, não me parece que a dicotomia feita entre "nós" e o mundo  que "continua mudando" seja válida. Se se concebe o Materialismo Dialético se concebe que há um conjunto de relações, de interações, multi-determinações e multi-dependência entre todos os fenômenos. Se há um movimento de "mentes e teclados", de um forum, contra a corrupção é porque já há uma relação entre os fatos de corrupção e pessoas que se opõe a esses fatos e que estas reagem usando o teclado. A outra forma seria o uso do AK-47. 

Pelo que entendi do que foi escrito por algumas pessoas, um grupo de "harckers" espalhou Brasil inteiro uma suposta manifestação de atos públicos em várias capitais brasileiras. Ora, essa é uma prática da direita conservadora, reacionária e neofacista não só no Brasil. Aqui esse bando tem nome, endereço e DNA.

Um outro ponto que me chama a atenção, todas as vezes que se fala em corrupção, é a unilateralidade. Só se fala do corrompido como início, meio e fim de um sistema de corrupção. Ora, a corrupção, depois da exploração da força de trabalho, é o meio importante para o sistema capitalista se manter. A corrupção não nasce do corrompido, nasce do corruptor. Só o corruptor tem os meios para a corrupção. Judas foi corrompido pela elite dominante. Em Roma a corrupção era o meio mais usado para o aparecimento de líderes. Nenhum Consul, que eu saiba, se fez sem corrupção. Na modernidade o sistema capitalista se nutre da exploração da força de trabalho e a mantêm através da corrupção. 

Os candidatos do sistema têm discurso mentiroso, enganam os eleitores e estes não sabem porque após as eleições os candidatos que mentiram com seus discursos de bondade e soluções, que compraram votos,etc., sumiram. Nas casas legislativa e no executivo defendem outros interesses.

Não ouvi, não li e nem vi e ouvi na televisão alguém que ao abordar a corrupção abordasse o corruptor. Por que será? Este é tratado, desde a antigüidade, como o inominável, aquele que é, sem rosto, sem nome. Simplesmente é aquele que é.

Ninguém toca nas empreiteiras e nem no sistema financeiro. Verdadeiros centros de corrupção. Os sujeitos corruptores. Por que? Não seria porque a mídia é por eles sustentada? E aqueles que tem na mídia suas únicas fontes para conhecer o que se passa no mundo e por isso ao abordarem a corrupção o fazem de forma unilateral? O que eles esperam? Por que fingem gritar? Por que fingem indignação? Ou como na fábula das Uvas estão apenas desdenhando? Não esqueçam a questão do aborto durante a campanha eleitoral para presidente da república. Havia o desdem,  o sujeito do desdem que acusava era o aborteiro.

Excelente comentário Nonato. Quanto a matéria acima postada pelo Marco Nogueira em seu comentário, referente a suposta corrupção na construção de obras pelo exército brasileiro divulgado pela Folha, tenho minhas profundas desconfianças. Como engenheiro, já construí no passado obras com o batalhão de engenharia do exército, cujos custos saíram pela metade dos preços apresentados em propostas de empreiteiras e ainda com a boa qualidade exigida nas especificações e normas técnicas.  

 

WEBSTER,

 

Você quase chegou onde

eu esperava.

Pra mim esta matéria da

Folha tem por objetivo

atenuar as DENÚNCIAS

de CORRUPÇÃO contra

as EMPREITEIRAS.

Ou não?!

Isto que você diz sobre

o preço das obras executadas

por batalhões rodoviários, e

ferroviários, há décadas tenho

ouvido de um tio que foi

Engenheiro do DNER.

Marco,

Fui tb engenheiro da RFFSA e como tal lutávamos com todas as dificuldades, principalmente com a falta de verbas para o setor ferroviário e ainda assim tínhamos que manter os trens rodando graças a paixão e abnegação de muitos ferroviários. Tínhamos que ser criativos com o pouco que nos restava, trabalhando e recuperando ferrovias com o trabalhador da própria RFFSA e qdo acontecia danos na via de grandes proporções, formávamos equipes de reconstrução com o pessoal da RFFSA e do batalhão de engenharia do exército. Apropriávamos todas as despesas executadas nos serviços e qdo comparávamos com propostas apresentadas por empreiteiras, constatávamos que nossos custos eram menores, em alguns casos em mais de 50%. Apresentei à época, inúmeros trabalhos em reuniões de diretoria da empresa, mas a nossa falta de recursos era crônica em todos os governos.  

      

Caro Webster,  eu também tenho minhas dúvidas quanto essa questão relativa ao Exército. Como os preços das construtoras são superfaturados, os preços do BEC acabam por denunciar o assalto feito pelas construtoras aos cofres públicos...penso que daí vem todo esse discurso. Que fique claro que tudo é possível, desde que não seja afirmar que a parte é maior do que o todo.

 

Caro Emilio

Li não sei onde, nem me lembro o autor, uma cronica que dizia mais ou menos isso:

Fazemos movimentos com mobilização de massas humanas monumentais, para conclamar gays, como essa ultima na Paulista com mais de 2 milhões de pessoas, marchas evangelicos com mais de 3 milhões, marchas até mesmo das mulheres protitutas reivindicando seus direitos de fazer o que bem quiser de seus corpos ou coisa parecida, com centanas delas, creio que ate mesmo chegando aos milhares.

Essa convocação que voce relata, creio que não conseguiu algumas dezenas de pessoas, quem pode responder porque ?

 

Ao ultimo comentario do Webster, relatando sua vida profissional junto a RFFSA, tenho a dizer que nosso pais nunca teve interesse nessa modalidade de transporte, não por vontade propria, porem, porque os paises que sempre nos dominaram não quiseram, e até mesmo hoje não querem que formulemos uma logistica que nos tire desse atraso, com nossa imensa produção se arrastando sobre pneus pela modalidade rodoviaria.

 

abraços

 

RSS

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço