O QUE ELAS TÊM A COMEMORAR?

DIA DAS CRIANÇAS

Exibições: 304

Responder esta

Respostas a este tópico

Oi Marcos,

que video bacana!

Vou divulgá-lo. Obrigada por compartilhar. Abs.

Mas, cadê a UNICEF se ainda nos deparamos com Crianças ultrajadas?

 

   O problema é esse. Não posso dizer que a UNICEF poderia fazer muito mais do que faz, porque não conheço a fundo esta Instituição.

   Mas uma coisa, eu sei... muita coisa tem que ser feita de forma individual.

   Começando por uma mudança de atitude dos próprios pais ( dos mais próximos).

  

As crianças estão ultrajadas por todo o mundo. Esse site mostra  situações absurdas.

http://operamundi.uol.com.br/conteudo/especial/INFANCIA+ENTRE+GRADE...

Li a notícia. Fico sem palavras para expressar meu sentimento de impotencia e tristeza.

Terezinha, 

Unicef  atua nos países como  parceiros . Vide este Programa anual para arrecadação de recursos. Mas  vou colocar aqui um texto da Net que  dará uma maior dimensão deste Organismo internacional. 


Desde 1950, o UNICEF trabalha no Brasil, em parceria com governos municipais, estaduais e federal, sociedade civil, grupos religiosos, mídia, setor privado e organizações internacionais, incluindo outras agências das Nações Unidas, para defender os direitos de meninas e meninos brasileiros.
O UNICEF atua na articulação, no monitoramento e avaliação e na promoção de políticas públicas na área da infância e da adolescência.
Entre 2007 e 2011, a atuação do UNICEF no Brasil tem como objetivo garantir a cada criança e adolescente os seus direitos a:
  • Sobreviver e se desenvolver;
  • Aprender;
  • Proteger e ser protegido do HIV/aids;
  • Crescer sem violência;
  • Ser prioridade absoluta nas políticas públicas.
A garantia desses direitos tem a ver com o reconhecimento de que alguns grupos de crianças e adolescentes estão mais vulneráveis à violência, à exploração e a várias situações de risco. Por isso, os direitos devem ser entendidos a partir de dois temas transversais fundamentais na universalização dos direitos: a promoção da equidade de raça/etnia e de gênero e a participação das próprias crianças e adolescentes nas decisões que afetam sua vida, sua família e sua comunidade.
Os esforços para a garantia dos direitos também devem ser entendidos a partir das históricas disparidades regionais. Desse modo, para universalizar os direitos, é preciso centrar foco em algumas áreas geográficas do Brasil. São elas:
  • o Semi-árido brasileiro, onde se encontram os piores indicadores sociais e onde 70% dos 13 milhões de crianças e adolescentes vivem na pobreza;
  • a Amazônia, onde vivem 9 milhões de crianças e adolescentes de considerável diversidade étnica e social, vivendo esparsamente em enormes áreas onde o desenvolvimento econômico, social e institucional é precário;
  • as comunidades populares dos grandes centros urbanos do País, onde prevalecem altos tipos de violência contra crianças e adolescentes

 

A Educação é um dos passos mais importantes na vida das crianças. O que lhes temos proporcionado neste segmento ? 

 

 

      Para dizer a verdade, considero que se tem feito pouco.

      Quando o próprio Estado não investe no sector da educação esta a renegar a Nação.

      Quando os pais não investem na eduçação dos filhos (tendo hipotese de o fazer) está a negar a Instituição familia.

     Não falando do nível de desespero ( falta de bens essenciais para o bem estar da criança, nomeadamente alimentação - mas não só..) e se perde tempo a discutir que a educação melhor é a do sector privado contra a educação pública. Algo está muito mal.

    Quando se impõe por via de lei - a escolaridade obrigatória, - algo está mal...

 

     Será que não se deveria seguir um outro caminho? - Demonstrar que o saber, o conhecimento é um beneficio para cada um. Seria um caminho longo, mas com melhores frutos..

 

    Assim, temos o Estado a pagar e a gastar com crianças que não gostam de estudar, sendo apenas obrigados a apresentar-se na escola e todas as consequências que resultam disso..

    Defendo que a educação passa sem dúvida pela escolaridade. O nível dessa escolaridade deveria ser a opção do próprio aluno ( opção dirigida pelos seus tutores).

    Este tipo de políticas, só têm a vantagem para o figurino - Dados Estatisticos.

     A escolaridade obrigatória dá sempre direito a que numa turma exista sempre um pistoleiro.

      Fazendo-se ver, desde cedo à criança que é importante para ela - estudar, acredito que qualquer aluno queria aprender. Sendo obrigação... os resultados nunca poderão ser bons.

     (Claro que este pensamento não se refere a outras realidades ... nomeadamente quando estamos perante crianças que até querem aprender e estão num ambiente de exploração de trabalho infantil. Aqui a questão é outra e obrigatoriamente terá que ter um tratamento diferente, cuidado e muito especial, na sua defesa).

 

    

     

A considerar o quadrinho, vemos que o último número da chamada presencial é o "trinta e oito ...", o que nos leva concluir que nem mesmo a quantidade de educandos suportáveis numa sala de aula é respeitada, daí o fato de o aluno responder à bala!

Depois que assisti ao Filme Iraniano "O JARO", passei a questionar o jargão muito comum no nosso País, segundo a qual "isso é coisa do Brasil", ou "só podia ser no Brasil", etc, no sentido de enaltecer os americanos e outros.

O JARO é um filme impressionante. Ele mostra claramente o descompromisso do Estado com a Educação, no sentido de que os problemas desde os estruturais até os de conteúdos são universais. E assim, cada vez mais penso que a educação deve ser uma questão tratada como fundamental pelos Pais e só assim teremos mudanças qualitativas, na medida em que os Professores não dão conta desta demanda sozinhos.

 

Gostei de ser lembrada dessa musica. Vou divulgá-la.

Marlí, sempre vamos lembrar....( rsrsrsrs)

E pensar que a  idéia de infância foi uma transformação social e histórica, e, segundo Philippe Ariès, surgiu apenas por volta do século XIII.

e olha  este pensamento de Hesíodo , 720 a.C.)

"Não tenho mais nenhuma esperança no futuro do nosso país se a juventude de hoje tomar o poder amanhã, porque esta juventude é insuportável, desenfreada, simplesmente horrível."



Então... como a vida é ciclica, acho ( penso) que como diz uma amiga..

pior num fica( rsrs)

sei lá...

seria mió dizer pra esta fessora num desesperar não!!

O Desespero da Professora...

 

Numa escola, em algum lugar no Brasil, a professora pergunta a um aluno:

- Wandercleison, diga aí um verbo.
- Bicicreta.
- Não é bicicreta... É bicicleta!

E bicicleta não é verbo.
Depois, perguntou ao segundo aluno:
- Helvispresli, diga aí um verbo.
- Prástico.
- Não é prástico... É plástico!

E plástico não é verbo.
A professora, desesperada,

 perguntou ao terceiro aluno.

- Janedílson, diga aí um verbo.

- Hospedar.
- Muito bem!

"Hospedar" realmente é um verbo!!!

 Agora diga-me uma frase

com o verbo que escolheu.
- Hospedar da bicicreta são de prástico!...
Incrível!

RSS

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço