Dinheiro para promover evento católico sairá do bolso do carioca

Gente, só fiquei sabendo disso hoje. Tô passada! Aguém do RJ pode me dizer se essa emenda foi mesmo aprovada?

Emenda da deputada Myrian Rios destina R$ 5 milhões para jornada que trará Papa ao Rio

Marcado para acontecer em 2013 no Rio de Janeiro, a Jornada Mundial da Juventude, um evento católico que trará o Papa Bento 16 ao Rio de Janeiro, provoca polêmica e já arranca críticas da população. O Aterro do Flamengo será o palco principal, mas ocorrerão atividades paralelas em diversos pontos da cidade.
Os cariocas já reclamam do possível caos que toda essa movimentação deverá trazer a cidade. Mas o que chama mais a atenção dos cariocas é que a Jornada Mundial da Juventude poderá ser financiada com dinheiro público, recursos que poderiam ser destinados a hospitais, escolas e outros benefícios.

A emenda que prevê esses recursos foi apresentada pela deputada Myrian Rios e aprovada na Assembleia Legislativa do Rio em 28 de novembro. A emenda determina que o governo do Estado gaste R$ 5 milhões do orçamento do ano que vem para a Jornada. A deputada faz parte do movimento da Renovação Carismática ligado à Igreja Católica.

Para a verba ser liberada, só falta a sanção do governador, que tem até o dia 22 deste mês para aprovar o orçamento para 2012. São 8.000 emendas para serem analisadas, incluindo a da Jornada Mundial da Juventude. De acordo com o teólogo Rubens Teixeira, “é um absurdo privilegiar uma religião em detrimento de outras”.

O texto é claro: são R$ 5 milhões para a realização e divulgação da Jornada. O deputado estadual Édino Fonseca é contra a utilização do dinheiro do contribuinte para a promoção de um evento católico, advertindo que o Estado é laico. A deputada Myrian Rios, autora da emenda, foi procurada, mas não se pronunciou sobre o caso.

Fonte: R7

Exibições: 501

Responder esta

Respostas a este tópico

Analú,

Não vi nenhum concerto ao ar livre aqui no Ibirapuera, vazio e com pouco público. Sempre muito variado, atento e gostando do que vê.

É evidente que tem que haver uma certa adaptação de repertório para estes concertos, até por serem ao ar livre. Gosto, como tudo o mais se forma. É preciso ao menos dar a chance.

Há música popular de alto padrão técnico e de gosto popular (seja lá o que for isto).

Se você só oferece axé, é axé que vai ser popular...

.

Que sacana, hein, Alexandre? Tentando empurrar meus tópicos lá pra baixo... Atitude de petista.

Gunter( e demais claro né rsrsr)

gostei aqui do topico,  vim reler  os comentários..

a gente ,  no inicio fica assim..  querendo pautar , né..

mas  realmente o Gunter fez uma excelente análise./

Ah! tava aqui de bobera , vi  esta figurinha e trouxe pra cá.. sei lá.. distrair..um pouco rsrsr

kkkk que bonitinho! 

Vamos abrir mais tópicos culturais e/ou de lazer? Ah que maçada estar com pouco tempo por esta temporada...

Um de charges seria legal... 

Viva ele! Benvindo de volta! Abs

@Gil, acima: Gil, concordo que deva ser oferecida uma programaçao com preocupaçao de qualidade. Mas nao só, e sobretudo o povo tem direito a escolher o que quer ver. É preciso oferecer várias coisas para que ele possa ter escolha. Mas nao pode ser imposto um padrao de "bom gosto". 

Você sabe que Adorno já achava o jazz uma merda comercial? Boa para ele era a música dodecafônica... Meus pais achavam Beatles barulho puro (e eu confesso que tendo a achar uma merda a música brasileira pós Djavan, já com boa vontade...). Mas estamos ficando velhos, sabe? E os jovens gostam de coisas novas, que os reflitam. Detesto funk e rap, mas reconheço que tem um valor positivo para a auto-estima de alguns grupos populares. A realidade é dinâmica, Gil, e nao devemos nos pôr no lugar de quem sabe o que é bom para o outro... 

Analú,

Não quero indicar o que é bom para os outros. Quero que todos tenham oportunidade de conhecer, tirar suas conclusões e fazer uma REAL escolha. A música clássica tem quebrado alguns parâmetros, o sucesso da orquestra de Heliópolis demonstra o que eu estou falando. Existem, felizmente, outras iniciativas semelhantes. 

Concordo com que devam ter oportunidade de ouvir. Mas tb funk, e até axé (que eu detesto, mas muitos gostam). E, francamente, mais importante do que música clássica, para mim, seria música brasileira de diferentes tipos, nao só a música comercial de hoje:   samba, choro, mambo, maracatu, baiao, xote, frevo, tropicália, bossa-nova, funk, axé (rs, rs). Muito Brasil na veia. 

Analú,

Nazareth, Villa-Lobos, Pixinguinha, Cartola, Jobim para mim são clássicos populares. Manuel de Falla, Bartók, para ficar em dois exemplos estrangeiros são clássicos populares. Toda a boa música, será um clássico algum dia... 

Meu tio diz que essa é a definiçao do que é ser clássico. 

Agora, que sua lista ainda é um bocado elitista... é. Pô, pelo menos um Novos Baianos... 

RSS

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço