No princípio eram os I.A.Ps. Uns melhor  gerenciados que os outros, mas no conjunto com uma enorme Poupança Interna que fazia os olhos dos governantes brilharem de desejos. A foto acima foi tirada quando tinha três anos num lambe-lambe da Praça da República de Ijuí, para a carteira do I.A.P.F.E.S.P, ao qual meu pai estava vinculado como funcionário público municipal.

Até aos dezoito anos, nunca  tivemos problemas com consultas médicas, ou internações(para o meu pai). O tempo passou e veio o golpe de 1964. Os militares até hoje afirmam que foi uma revolução. Foi um golpe de estado orquestrado pelos EUA em toda a América Latina, nos mesmos moldes de outras intervenções feitas por esse País em todo o mundo. Bom, servi ao Exército Brasileiro em 1965 até 1966. Comecei a trabalhar neste ano e foi neste ano que começou o I.N.P.S. que conforme a Wikipédia evoluiu para:

"Em 1964, foi criada uma comissão para reformular o sistema previdenciário, que culminou com a fusão de todos os IAPs no INPS (Instituto Nacional da Previdência Social), em 1966. Em 1990, o INPS se fundiu ao Instituto de Administração Financeira da Previdência e Assistência ... (IAPAS) para formar o Instituto Nacional de Seguridade Social. O INAMPS, que funcionava junto ao INPS, foi extinto e seu serviço passou a ser coberto pelo SUS."

Foi o início da era das privatizações. O governo parou de investir em saúde para que se abrisse espaço às prestadoras de serviços de Saúde que podem ser de cooperativas e até bancos e financeiras. 

Hoje as filas e as dificuldades são tanto para os portadores de planos de saúde como para o SUS. Não há diferença. Os únicos que se salvam, pois não pegam fila e nem problemas de leito, são os que têm condições de pagar à vista os serviços médicos e hospitalares. Porém, presenciei um fato que me deu forças para a defesa do S.U.S..

No decorrer de minha vida profissional sempre tive convênios bons de saúde. Assim quando precisei operar as amídalas e a vesícula, fui muito bem atendido. Em casos de doenças que podem ser tratadas ambulatorialmente, também, com bons médicos e atendimento. E aí vem o período em que não estou coberto por nenhum plano. Sou eu e o S.U.S. com ambulatórios médicos municipais, filas e espera. Como sempre tenho presente o exato tamanho de cada problema e o contexto em que estou inserido, isso para mim não foi problema até julho de 2008. 

Nesse ano, ao visitar uma filha em Foz do Iguaçu-PR, senti um mal-estar que me fez procurar recursos médicos pois poderia ser problema grave de coração. Como não tinha o cartão do S.U.S., o meu atendimento foi particular. A minha filha teve que desembolsar por volta de R$ 300,00 por uma consulta, um exame laboratorial de sangue e um eletrocardiograma, que na opinião do médico, não apontaram nada. Saí com um receita de AAS e a recomendação de procurar o meu médico para maiores pesquisas, o que foi feito quando do meu regresso à ITAARA. Consultei um cardiologista da empresa em que minha esposa trabalha e fiz uma bateria de exames inclusive o de esforço na esteira, diagnóstico: estava para infartar.

De posse dos exames, fui encaminhado ao HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DE SANTA MARIA - HUSM, assim maiúsculo, onde após os encaminhamentos burocráticos de praxe, fiz um exame com cateterismo e foi diagnosticado 95% de entupimento de uma das coronárias e 80% de outra. Três dias depois foram implantadas dois stends. Quinze dias depois foi implantado mais um. Preço da brincadeira: em torno de R$10.000,00. Como fiquei muito bem, cometi um pecado: continuei fumando e isso dois anos depois me trouxe novamente para os braços do SUS/HUSM com nova angina. Exames e exames e em fevereiro de 2011 fiz duas safenas e uma mamária.  Durante a minha recuperação ainda no hospital, houve um internamento na minha enfermaria, de um Advogado e fazendeiro de uma cidade vizinha a Santa Maria, que correu do Hospital Particular devido ao custo da mesma operação que a minha: R$80.000,00 (oitenta mil reais). Pois bem: dado os descontos o SUS deve ter desembolsado em torno de R$30.000,00(trinta mil reais).  Como iria arcar com a despesa se não houvesse o SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE? Vale lembrar que são feitas três operações semanais do mesmo porte com internação média de 10 dias. Estas operações são eletivas, programadas e necessitam de alguns meses para acontecerem. Elas são entremeadas de Cirurgias de Urgência como aconteceu comigo que já estava sedado entubado na mesa de operação e tive de dar o lugar para uma senhora de mais de 90 anos que estava enfartando.

Fora isso, a dedicação, o empenho e profissionalismo de todo corpo funcional do HUSM é exemplar e deixa a gente contente e satisfeito de ter um Serviço de Saúde desse porte. Filas, as notícias sobre os Planos Particulares de Saúde tão caros e tão, tão, tão... SUS  estão começando a pipocar.Filas e atrasos para consultas, internações em Urgências por não terem leito, médicos descredenciados, etc, etc, etc...

Então quando lerem, ouvirem ou verem alguma notícia sobre o atendimento do SUS lembrem dessa postagem e de que quase todos os meus remédios veem do SUS...

**************

Lembrei de outro fato: logo após  ter saído do HUSM, estava, com minha fiel escudeira e companheiríssima  esposa, no supermercado da cidade usando ainda um travesseiro para tossir e espirrar sem comprometer a recuperação do corte, quando uma senhora perguntou se tinha feito a operação de safena. Minha esposa respondeu que sim, faziam duas semanas. Ela disse levanta as mãos para o céu, por que o meu marido fez a mesma operação no Hospital Particular e ficou penando por 2 meses até morrer de infecção hospitalar...

 

Exibições: 1271

Responder esta

Respostas a este tópico

Cada um vê o que quer ver. E me desculpe, não coloquei dessa vez uma advertência que sempre escrevo nos meus escritos por achar que não há verdade absoluta:"Não acredite em nada que você ler neste escrito, pesquise, experimente, repita os experimentos" Parafraseando um Conceito de incredulidade Conscienciológico.>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> Leia também neste espaço THE OLD LIBERALISM  e acho que vais entender um pouco melhor.

 

Joel,

muito bom o topico.

aqui em Fortaleza,( Ce) temos o IJF,( SUS) em caso de acidentes com trauma.. não tem outro que se iguale... claro que tem a lotação. mas o serviçi é de peimeira.

Temos tb o HGF, ( especialidades) excelente..E no refeitório( pois acompanhantes do SUS,podem fazer suas refeições, enquanto nos hospitais particulares não.) os medicos se alimentam junto com os acompanhantes.)

temos o Hospital de Messejana( SUS) referência Nacional em transplantes cardíacos.Excelente.

E ainda digo..

Não tenho plano de saúde..e nem quero, e conheço muita  gente que  faz QUESTÃO de não ter...  tenho meus direitos e uso o SUS.., recebo remedios...

 

 

HGF é referência em transplante renal

Hospital Geral de Fortaleza.

Hospital Geral de Fortaleza.

O recorde de 99 transplantes renais no Hospital Geral de Fortaleza (HGF) este ano foi comemorado entre as equipes de profissionais e os pacientes. O número já é superior a 2008 quando foram registrados 94 transplantes de rins. Até o fim do ano, espera-se que sejam totalizados 110 transplantes. “O HGF se firma como referência Norte-Nordeste e ocupa o quarto lugar no Brasil em números de transplantes renais”, afirma o chefe da Unidade de Transplantes Renais do HGF, Ronaldo Esmeraldo.

--------------------------

Hospital de Messejana

A rede de assistência da Secretaria da Saúde do Estado avança na consolidação dos hospitais de ensino com o início do Doutorado em Cardiologia no Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes (HM)

De acordo com Ítalo Martins, coordenador do doutorado, o projeto vem sendo desenvolvido desde julho de 2008 e faz parte de um programa de reestruturação da pesquisa científica da instituição. “O Hospital de Messejana, que já tem know-how na área, terá mais condições para produzir novos conhecimentos na cardiologia”, avalia o coordenador.

 

 

 


Muito raramente eu uso instituições do poder público. Somente duas vezes recorri ao SUS, mas em todas as duas vezes, fui tratado por enfermeiras, paramédicos e médicos, como se eu os estivesse pagando regiamente. Passei por burocracias, é lógico, mas quando cheguei ao ponto, fui muito bem tratado. Como minha mulher é professora aposentada pelo IPSEMG, uso muito os serviços médicos desse instituto e lá também sempre fui tratado como se fosse o dono.
Olha no tempo em que fiquei internado(aproximadamente 2 semanas) vi e convivi com aproximadamente 20 exceções.  Atendimento em consultórios de postos de saúdes municipais financiados pelo SUS, são geridos na paróquia. Na minha, funciona muito bem. Tu tens razão quando fala no NqAP=QI (quem indicou) é aquilo que fomos moldados por muitos e muitos anos de lavagem cerebral que o nosso cérebro, através dos olhos, enxerga nossa imagem nos outros.
Eh...eh... Pervesso! Quando este teu rançoso fígado estiver carcomido por uma cirrose ou tua vesíula incorporada por um carcinoma, veras quão útil é o SUS. Atenção: não é máu desejo nem praga rogada. Apenas advertência.

Sôripes, é mais pior de ruim ainda. Qd o Per(ce)vesso tiver podrinho de tudo, vai procurar um hospital particular, que vai enfiar a faca. Nele e no SUS. E como os hospitais particulares dependem do SUS pra pagar tratamento de gente podre, mas não conta a história direito, ele vai achar q são os "beneméritos" do hospital particular q tão cuidando dele. E não sabe q quem tá pagando a conta da podridão dele é o povão sofrido q paga imposto (excluídos, naturalmente, aqueles empresários q torcem a legislação pra não pagar imposto nenhum).

 

E eu fico invocado tentando saber quem era essa china q o Per(ce)vesso dá tanto adeus. Uma quenga arranchada por ele? Vai saber....

 

Bem, vou dar um depoimento que corrobora de certa forma com o que foi dito explicando alguma coisa do que as pessoas concluem sobre o sistema.

Tenho um sobrinho que é médico, ele ficou com um problema no pé e procurou um jovem colega para que ele olhasse. Primeiro o colega cobrou a consulta (com desconto, é claro) segundo ele sentou frente a mesa do médico explicou a situação e sem olhar o pé ele passou um pedido de exame, meu sobrinho que é um bom médico e tem por hábito examinar os seus pacientes (SUS, Convênios ou Particulares) ficou p. da vida e deu uma bronca no colega perguntando se o mesmo não ia nem olhar para o seu pé, o médico inclinou-se na cadeira pediu para ele tirar o sapato e de longe deu uma olhadinha. Diga-se de passagem que foi a última vez que ele foi neste médico e agora só vai em médicos com mais de sessenta anos!

Passou o tempo em que a maioria dos médicos tivessem consideração com seus pacientes atendendo-os com cuidado e atenção, entrou no consultório é uma solicitação de ecografia, ou tomografia ou ainda uma ressonância magnética. Estão terceirizando os diagnósticos e ficando dependentes de exames mesmo para diagnosticar unha encravada.

Conclusão: A qualidade do atendimento médico está caindo como um todo, e como a maioria da população utiliza o SUS acham que o problema é localizado.

Rogério o Téco do Cangaceiro não tá funcionando por causa do "teco" que ele fumou. Mas ele tá melhorando, ele já consegue encarreirá uma frase inteira, ainda que inelegivel>
O problema é que o teclado dele é em Braille e aí demora para fazer a decodificação.

Ruinzinho (perverso era respeitar demais).

Número 1, não é primo, é sobrinho.

Número dois, não era unha encravada, era uma gota.

Número três, não é pegadinha é fato.

Número quatro, leia direito antes de dizer bobagem!

QUANTA BOBAGEM MEU DEUS!

RSS

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço