Assunto: (PSB) ERUNDINA prefeita + (PT) HADDAD vice (última chance)

 

             Prezados, quem gostar, por favor publique, divulguem. É um apelo.

 

             Pode ser a nossa última chance.... reproduzo aqui, um post que enviei ao portal em 27/3 pp.

 http://blogln.ning.com/forum/topics/psb-erundina-prefeita-pt-haddad...

 (PSB) ERUNDINA prefeita + (PT) HADDAD vice =  um Brasil democrático e popular

“Com confirmação do ex-governador SERRA candidato, o PSB de São Paulo dispõe dessa única e melhor solução para a eleição da Prefeitura de São Paulo em 2012. A deputada LUIZA ERUNDINA com HADDAD vice, é viável, útil e a melhor estratégia para se evitar o pior para São Paulo e para o Brasil, sem falsa modéstia paulistana: retirar do limbo o ex-governador com seus compromissos e ambições nacionais. Com SERRA, a candidatura de HADDAD poderá ser derrotada no 1º turno. “
Publicado por José Roberto Ferreira Militao em 27 março 2012 às 23:09 em Política

Continua: http://blogln.ning.com/forum/topics/psb-erundina-prefeita-pt-haddad...

 

        Nassif e demais,

 

        Decorridos três meses, desde março pp, agora, enfatizo, na última hora, estão tentando impor à Deputada ERUNDINA (PSB) uma condição quase que humilhante, à nossa mais idônea Deputada Federal, que dificilmente aceitará: emprestar seu nome e conceito, na condição de candidata a VICE-PREFEITA para uma candidatura desconhecida sem qualquer teste eleitoral e sem chances de vencer uma difícil disputa municipal de características bem diferentes da disputa nacional, em que um Presidente popular, preparou por três anos, a eleição de uma candidatura nova.

 

        Na eleição para prefeito o eleitor vota no que conhece e precisa conhecer bem para confiar o futuro de seu dia a dia, da escola dos filhos, do transporte público, da calçada e iluminação da rua, do posto de saúde, enfim, do seu bem-estar cotidiano.

 

        Ser candidato a VICE é condição para quem, em início de carreira, não tem voto e prestígio suficiente para ser o titular e vincula o seu nome a uma expressão de maior grandeza. Não pode ser o inverso.

 

        Na conjuntura eleitoral e política de São Paulo, a condição natural, seria num gesto espetacular HADDAD e LULA (PT) junto com EDUARDO CAMPOS, MARCIO FRANÇA e ELISEU GABRIEL (PSB) reconhecerem que a única viabilidade para derrotar a candidatura do ex-governador SERRA será a inversão, em que o PT e PSB prestarão uma qualificada reverência à Deputada LUIZA ERUNDINA, com seu prestígio e honorabilidade para uma disputa com o apoio necessário para uma vitória que interessa ao Brasil.

 

        Seria um gesto extraordinário, com grande impacto na mídia e na opinião pública, de quem não pensa em si mesmo, mas pensa na melhor solução para a cidade com reflexos evidentes para 2014 tanto no plano estadual quanto no plano federal. Uma nova eleição de SERRA em São Paulo, altera profundamente o tabuleiro eleitoral de 2014.

 

Se, entretanto, encaminharem dessa forma ora colocada pelos caciques (ERUNDINA – VICE) e receberem um não da Deputada o baque na campanha de HADDAD será fatal.

 

Por uma série imensa de fatores, depois de 27 de março, decorridos quase três meses a situação ficou bem pior para HADDAD:

 

1) Candidato desde setembro/2011, continua desnutrido nas pesquisas, pois é inteiramente desconhecido na periferia de São Paulo;

 

2) o que a Senadora MARTA disse, com seu respeitável gesto na ausência na festa de lançamento do seu algoz é que não está disposta a queimar seu prestígio popular a favor de um candidato fraco imposto de cima prá baixo;

 

3) Em São Paulo LULA e o PT, além de rejeição igual ou maior que a de SERRA, com um candidato desconhecido não chegará aos 30% de votos petistas;

 

4) A decisão do Supremo Tribunal colocará o ´mensalão´ na pauta eleitoral e o candidato do PT que integrava o governo federal, principal acusado, passará a campanha obrigado a defende-lo abertamente em todos os debates e entrevistas;

 

5) restam somente 100 dias para as eleições e a contagem regressiva não viabiliza fazer com HADDAD o que LULA fez com DILMA em 1.000 dias.

 

6) Em seis meses de campanha, HADDAD não conquistou novos apoios de outros partidos;

 

7) o PT sempre alcança 30% dos votos na Capital, embora todo petista já saiba bem que será o candidato do partido, continua com apenas 5%.

 

De outro lado, a candidatura da Deputada ERUNDINA, com apoio incondicional do PT e da forte lista de candidatos a vereadores na Capital, em poucos dias, desfrutará de uma série de vantagens competitivas:

 

1)      Se a Deputada ERUNDINA for convocada para essa missão, será consagrada pela população de São Paulo;

 

2)      No lançamento da campanha poderá contar com o apoio ostensivo da Senadora MARTA, da Presidenta DILMA, dos diversos governadores do PSB e PT, de CIRO GOMES e do ex-Presidente LULA;

 

3)      Erundina poderá contar com a vinda de CIRO GOMES para uma campanha fantástica num segundo turno com SERRA;

 

4)      Erundina (e o PSB) possuem boas relações políticas com o governador do Estado, e a aliança com o PT, assegura um governo municipal alinhado com o governo do estado e o governo federal;

 

5)      O próprio governador ALCKIMIN não precisará se empenhar muito na eleição de seus desafetos/adversários em potencial da aliança SERRA/KASSAB;

 

6)      PT e PSB numa campanha animada, elegerão grandes bancadas e pela primeira vez a esquerda poderá governar com base sólida na Câmara indispensável para aprovação dos grandes projetos urbanos e sociais que MARTA e ERUNDINA não conseguiram;

 

7)      Será a única candidata mulher com fortes vínculos com os direitos sociais: no município é onde o cidadão desfruta dos bens e direitos sociais.

 

8)      Erundina, possui taxa de rejeição igual a de Serra e igual taxa de conhecimento do eleitorado, próximo de 100%

 

9)      Apresentará seu VICE como um jovem, competente professor, a quem confiará grande parcela da responsabilidade administrativa;

 

10)  Poderá anunciar com credibilidade que HADDAD será o seu sucessor daqui a quatro anos;

 

11)  Poderá afirmar, com toda convicção, que não sonha com outras candidaturas, pois com 78 anos, não terá disposição para tentar exaustivas campanhas para ser candidata a governadora ou Presidente da República.

 

12)  Será a única candidata nordestina com fortes vínculos com as dificuldades dos migrantes;

 

13)   O PSB é um dos poucos partidos que não tem nada a ver com a história do ´mensalão´. Nem com qualquer escândalo de corrupção  tanto a nível municipal, estadual ou federal, e a candidata em si, é uma reconhecida reserva moral da nação.

 

14)   Com base parlamentar forte, ERUNDINA poderá realizar um governo extraordinário, pois, com sua credibilidade, poderá convocar qualquer nome respeitável, como fez com PAULO FREIRE e MARILENA CHAUI para conduzirem as políticas públicas de São Paulo.

 

Eis, senhores dirigentes de nossos partidos, PSB e PT, a oportunidade extraordinária para serem Estadistas que o Brasil tanto espera.

 

Pelo bem de São Paulo, e por interesse nacional:          

ERUNDINA (PSB) PREFEITA – HADDAT (PT) VICE

 

José Roberto F. Militão,

Presidente do PSB – ZONAL LAPA/Capital

Direitos Civis,  Direitos Sociais e Direitos Humanos

- ativista contra o racismo e contra a ´raça´ estatal

 f. (11) 3837-9959 cel. 7456-7412

minha página em  http://luisnassif.com/profile/JoseRobertoFerreiraMilitao

´Numa sociedade com a cultura de ´raça´, a presença do racista, será, pois, natural.´

 FRANTZ FANON, 1956  (foi o primeiro grande ativista contra o racismo)

 

Exibições: 645

Responder esta

Respostas a este tópico

Uma grande amiga de Manu, PCB de gerações, família PCB, diz que quem critica a esquerda é de direita. Então, isso não é crítica, é....qualquer coisa.

PSOL:

Segundo Chico Alencar, nosso eterno candidato de esquerda, o PT alou-se à direita:

http://www.socialismo.org.br/portal/politica/46-entrevista/365-chic...

"Com o Zé Dirceu já tinha tido alguns arranca-rabos. Por ali começou, dois anos depois teve uma intervenção direta pra tirar a candidatura de Vladimir Palmeira e impor a aliança com o PDT do Garotinho. Vai criar cobra pra te picar lá no Butantã... Em 2002, quando me candidatei a deputado federal, a gente viveu uma contradição. Havia um movimento de base, de ruptura com o peleguismo, e o Lula candidato mais uma vez; dessa vez vitorioso.

Também houve a nossa célebre reunião, na qual até acabei sendo protagonista quando perguntei para o Delúbio (tesoureiro do PT): “senhor tesoureiro, e esse tal de Marcos Valério?” Sabia apenas que a Articulação (tendência majoritária do PT) tinha esquemas, algumas campanhas pareciam milionárias. "É apenas um amigo meu, que quer colaborar com o partido." Então - disse eu - na próxima campanha eleitoral, em 2004, vamos colocar todas as nossas contas de campanha em tempo real”. E ele falou uma frase que ficou famosa: "Ô, Chico, transparência demais é burrice". Norberto Bobbio (cientista político italiano) diz: "A democracia é o regime da transparência e nela não pode haver nenhum segredo". É ou não é uma contradição?"

Mais Chico do PSOL:

"O PSOL é um partido político em formação. Nasce do acúmulo de contradições e decepções sobretudo com o PT. A gente tem alguns elementos fortes do PT pré-delubiano, vamos chamar assim, em termos de organizar um partido por núcleos, ter uma interlocução muito forte entre as direções e a base, um chamamento à participação, sobretudo, os setores da juventude, uma busca de inserção não diretiva nos movimentos sociais, aprendendo com eles, para romper com aquela idéia do partido condutor, do partido de vanguarda. Uma revisão, inclusive, de certas categorias que a esquerda marxista-leninista consolidou muito, mas que no século 21 não têm mais cabimento. Porque a estrutura de classes da sociedade, embora ainda haja opressão, exploração e alienação, não é a mesma do século passado, de vinte, trinta anos atrás. O que é a classe operária hoje, o que é o povo, essas categorias todas? Então, o PSOL está nesses setores, está em constituição. Realizou seu primeiro congresso em agosto passado, no Rio, e aprovou o primeiro documento básico, se propondo a enfrentar o desafio de um partido que se quer socialista, mas reconhece que não há um paradigma socialista no mundo de hoje."

Desculpas aos paulistas, porém essa "discussão dialética" comigo  mesma não é apenas carioca. Basta lembrar quem seria o vice do Hadad e quem é o vice de Dilma.

Porém, O PSOL:

-Está se flexibilizando:

http://sul21.com.br/jornal/2012/02/psol-flexibiliza-politica-de-ali...

"O afrouxamento que o PSOL vem sinalizando em sua política de alianças já provoca duras críticas por parte de seus tradicionais aliados de esquerda, como o PSTU, partido que apoiou Heloísa Helena (PSOL-AL) na disputa pela Presidência da República em 2006.

O afastamento entre PSTU e PSOL não chega a ser uma novidade. Já nas eleições de 2008 em Porto Alegre, não foi possível uma aliança entre os dois porque o PSTU não concordou com o fato de a então candidata Luciana Genro ter aceitado receber R$ 100 mil da Gerdau.

A notícia de que o PSOL estaria se coligando com o PPS em Macapá este ano despertou reações no PSTU. Vários artigos no site do partido analisam a conduta do antigo aliado e apontam que o PSOL estaria “se transformando mais rapidamente que o PT”.

http://guerrilheirodoentardecer.blogspot.com.br/2012/02/psol-segue-...

Uma confusão? Ou democracia, retórica democrática é assim mesmo?

Rio de Janeiro. Freixo e Chico Alencar  pediram a cabeça de Sérgio Cabral, porém pouparam a de Eduardo Paz. Freixo e Garotinho não param de falar em Cabral.

Conclusão: o Rio, quem sabe em outros cantos também, continua pregando o blá-blá cansei lacerdista. Moral, costumes e valores cristãos. O capitalismo é sempre pessoal na fita. Do mesmo modo que Angela Merkel, cadê o cara do tópico? , chama seus "devedores" de indolentes. Aqui todos são ladrões, querem as cabeças dos ladrões, como a polícia queria a dos traficantes. Fim da corrupção com medidas objectivas e fim do tráfico estão sempre no fim do filme, quando todos morrem. 

Conclusão: Manu não vota em ninguém, muito menos em papos udenistas. Chega de pré-golpe, quase golpe.

Por que Chico não saiu, se era para sair, nessa furada de fazer coligação com Garotinho? Saiu no "mensalão". Obrigou a votar no Garotinho, menos eu do Morro de Amores.

Manu virou de repente fã do  Delúbio. Um cara de partido.  Se é para ter partido, o meu é o Delúbio, sem hehe, kkkkk, sério.

Votarei naquele candidato que resolver acabar com esse papo de financiamento. 100 mil do Gerdau? Uau, mião, isso é pré-mensalão. É covardia, arre. Voto nos ecologistas, porém se espalharam em todos os partidos. Votei algumas vezes. No PV e no PT. Agora só votarei se Delúbio vier para o Rio de janeiro. Vou para a fila dos Correios.

Que tristeza! Para fazer aliança com Maluf (e sobretudo DO MODO como foi feita...), perdemos Erundina! Às vezes tenho medo de que a política no Brasil já esteja tao gangrenada que nao haja mais jeito. 

          AnaLú,

          Vc. não imagina a nossa decepção, do grupo no PSB que lutou para não ir a reboque do Serra. Foram meses de ativismo nesse sentido, buscando respaldo na direção Nacional para a coligação e a possibilidade real de ganhar as eleições. A Deputada resistia com grande desconfiança na direção local do PSB e também do PT mas com esperança de uma maturidade política tão necessária.

          A aliança com o PP era admissível, porém, a forma imposta por Maluf e aceita pelo PT e Lula, foi desconcertante.

          Enfim, temos alguns poucos dias para melhorar o ambiente.

abç.

Eu que nem sou de Sao Paulo estou uma arara com isso, imagino como devem estar se sentindo os militantes daí, vendo essa aliança FEITA DESSE JEITO... Depois de toda a luta deles de sempre contra Maluf. Essa foto do Lula com o Maluf, foi um tapa na cara dos militantes; foi o mesmo que dizer "vocês nao importam, o que vale sao os publicitários, uns minutinhos a mais de TV". É assim que o PT pretende fazer política? Francamente... Dá uma revolta na gente... 

E sobre a possibilidade do PCdB compor oferecendo Leci Brandão como vice? (Possibilidade também oferecida ao Chalita, parece) Eu estava gostando da ideia, mas uma notinha disse que o PT refuta a ideia. Não sei se são coisas reais, há tanta fofoca circulando estes dias.

Eu não sou politizado como vocês aqui do Portal em geral, mas de um modo ou de outro acabo afetado por tantas notícias.

E o que eu tenho a dizer no momento: O PT anda chaaato! E eu sem grandes vontades de ficar apoiando acriticamente. Já não votava no PT pra legislativo mesmo (a última vez foi lá atrás, quando Erundina era do PT), só pra cargo executivo ou Senador.

Passo a dedicar-me a simplesmente ser contrário a Serra. Pronto, mais fácil, menos decepcionante. Quem é o candidato com mais chances de derrotar Serra no 2º turno, já que a ideologia e programas ficaram nas gavetas dos marqueteiros?

Amigos já tinham me convencido que Chalita seria um candidato inconsistente e mais fraco que Haddad. Mas agora ando com dúvidas. Tirando a bobagem do voto no código florestal ele anda dando menos escorregadas. Tímido acerta menos, mas também erra menos... Talvez seja algo assim capaz de unir a classe média emergente e tradicional em S.P.

Também sei que a classe política (de nenhum lado) não dá muita atenção ao que LGBTs falam. Sempre são tidos como "grupo não-prioritário", aqueles que podem ser deixados pra depois. Ok, somos poucos mesmo, e espalhados por todos os grupos políticos e classes sociais tal qual nossos parentes. Ficamos mesmo invisíveis. Indignadamente invisíveis. Só Russomano e Soninha não inventaram desculpa para não aparecer na parada Gay.

Mas o 2º colocado (entre Haddad, Chalita, Russomano e Netinho, este se concorrer) pode ser decidido na margem...

Pode parecer estranho considerando que Chalita pertence à Canção Nova e Russomano é católico praticante com ligações na Igreja Universal. E eu me surpreendo com isso. Mas, frequentando grupos LGBT em redes sociais vejo que a rejeição a eles (acompanhada pelo número de comentários negativos) é muito menor que a Serra ou Haddad (em relação a Netinho não noto rejeição nenhuma.)

Estou mais "cansado" que em qualquer outra eleição, mais até que a de 2008. Eu vou votar em um LGBT que me pareça confiável para vereador e o resto que se vire...

Eu ia dizer "o resto que se exploda", mas não consigo perder meu jeito rsrsrs.

Aqui em casa está assim:

No comecinho do ano ambos íamos votar no Haddad.

Eu me incomodei muito com o discurso de conveniência (segundo algumas leituras, mentira) em relação ao kit antihomofobia, mas meu companheiro considerava Haddad ainda viável.

Ele gostou de ver Erundina como vice e eu cogitei voltar a apoiar Haddad.

Por outro lado, eu (talvez por ser mais novo ou por já não apoiar a chapa) não fiquei tão cabreiro com a foto com Maluf, mas meu companheiro sim, achou que passou dos limites.

Final da história: esse jeito PT de fazer política está afastando eleitores pelos variados motivos, ao tentar agregar, reduz. 

Nós acabamos de fechar em Gianazzi pra primeiro turmo e Haddad ou Chalita no 2º turno. é o que dá pra fazer sem se sentir usado.

Pode até ser que o PT consiga, no final das contas, somar votos junto à classe média emergente, mas na classe remediada há mais tempo não me parece estar convencendo. São Paulo não é a média do pensamento político brasileiro, não dá pra tratar a eleição municipal como a nacional.

Acho que chega, vamos aguardar se surge alguma notícia nova relevante, senão até o dia da eleição talvez eu prefira não pensar mais no assunto.

Lembro do quanto amigos petistas falaram pra votar no Covas em 1998 (eleição versus Maluf). Eu fiquei na Marta mesmo, mas acredito que teve gente que, sem precisar (porque era eleição em dois turnos) ficou no Covas já no primeiro turno. E no fim faltaram só uns 70 mil votos pra Marta ir pro 2º turno (na realidade, 35 mil pessoas se considerarmos que a migração aumenta em um e diminui no outro.) E Marta teria ganho de Maluf em 1998 (como ganhou em 2000.)

Eu acredito em "voto útil", mas só pra turno definitivo.

      É isso Gunter. Política e eleições que aprendemos em n/geração, anos 70/90, nos faz exigentes de emoções. O pragmatismo retira isso... Nos resta espernear. Você diz bem o pensamento médio de quem não esta alienado embora não seja militante partidário. Uma certa desolação.

      Isso é muito ruim.

      

RSS

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço