PADARIA DO SORIPES EM FESTA!!! ANIVERSÁRIO!!!!!!! E VIVA O FLUMINENSE!!!!

 

Sinto que, muito provavelmente ficarei muito tempo sem abrir um tópico aqui no portal. Mas este eu não podia deixar de abrir porque é um presente, um presente pra uma pessoa muito especial que sempre está por aqui: Eurípedes Ribeiro, o qual, carinhosamente,  chamamos de Sôripes.

Antes de inaugurarmos o espaço, permitam-me uma breve retrospectiva. Eu cheguei por aqui exatamente no dia 21 de setembro de 2009, trazida pelas mãos do acaso.  Lembro-me bem porque era início da primavera, a minha estação predileta. Caí de pára quedas, nem entendi como funcionava e onde estava. Meu primeiro post foi lamentando profundamente a indicação de Lula pela  última indicação que fez para o STF. Silêncio sepulcral.

Aí a Helô, que à época era assídua por aqui abriu um tópico sobre Drummond. Mineiro, poeta,  pensei: vou colocar o melhor que tenho dele aqui: um áudio dele falando sobre quando descobriu que, na simplicidade de sua vida, era mais feliz que  Robison Crusoé. Uma  tal de Luzete, que fala pouco que só vendo,  me respondeu, foi a primeira pessoa que falou comigo aqui. A Helô nem ligou pra mim.... pensei que ela devia ser  inacessível....  como estava enganada....que criatura mais  simples e afetiva é esta Helô! O segundo foi o  Hermê , com seus binóculos. Eu doida pra puxar assunto com um monte de gente, mas receosa: gente tem medo de gente. Ainda por cima sou tímida. Ninguém acredita, mas quem já me conheceu pessoalmente já viu que isto é verdade. Falei das três primeiras pessoas sobre as quais pensei algo a respeito. Depois foram vindo outras dezenas. Teria um caso pra contar de como foi o primeiro contato com cada uma. Lembro-me de todas, sem exceção.

Depois das eleições dei uma sumida do portal. Primeiro porque tive uma cirurgia de urgência, um abdômen agudo que me sugou a energia que já andava pouca  e segundo, porque logo depois  fiz uma longa viagem,  elegi outras prioridades e perdi o tesão. Fui pra outras bandas.

Há pouco mais de um mês , um dia tive vontade de voltar e pensei: vou montar uma cozinha mineira pra eu receber os novos e velhos amigos. Tirei um monte de fotos do fogão de lenha onde cozinho nos fins de semana, e pensei em como seria  e resolvi  começar com uma conversa com alguém aqui do portal. Mas quem? Quem? A resposta me veio clara como o dia: Sôripes. Um mineiro, septuagenário, marido de D. Gladys, com o coração do tamanho do mundo, uma cultura  que não passa desapercebida, um senso de humor, muitas vezes “politicamente incorreto”, jamais grosseiro. E aí eu lhe mandei um e mail perguntando se ele topava. Ele me respondeu:

“ Uai, Vera. Podemos tentar bater um papo, como se estivessemos "aquentando fogo". Era assim que minhas tias diziam, quando aconchegadas ao rabo do fogão de lenha falavam da vida alheia. A coisa que mais gosto é de conversar. Inclusive, aqui em Tupaciguara, carrego a pecha de falastrão. Acusam-me de ser "garganta", metido a entender de tudo e às vezes, até culpam-me de algum "diz-que-me-diz". Estou às tuas ordens.  Abração!”

E o papo começou. Passado uns dias me vem Sôripes com a seguinte pergunta:

Olá Vera! Respondi tua pergunta, mas fiquei cá comigo matutando. Por que cargas dágua? Por que eu? Afinal, sou apenas um dentistinha do interior, metido a besta, que se vale do fato de ter um olho em terra de cegos. No Portal que frequentamos, tem gente muito mais interessantes do que eu. Tem o ....... que compõe, produz, canta e escreve que é uma beleza. Tem aquele outro lá, que se assina apenas ....... que me parece uma sumidade. Tem o ...., meio sofisticado e às vezes até esnobe, mas um "grande cara". Tem o Serjão,( deste eu estou deixando o nome porque estamos todos saudosos dele)  que eu gostaria de conhecer pessoalmente e deve ser um companheirão.( E É MESMO!)  Quer dizer que tem os chatos também, mas esses a gente deixa pra lá. Estou aproveitando e mandando efusivos abraços.  

E eu respondi:

Sôripes, vc mesmo respondeu porque. A sua beleza e grandeza está em ser o que é, e o que é é encantador. Sim, há muitas pessoas interessantes no portal, mas nem mais e nem menos que vc:  o são de forma diferente. E esta diferença é que faz nossa riqueza. Mas tudo em ti é genuíno, é fruto de aprendizado de quem vive curioso pela vida e desafia barreiras de tempo e espaço para buscar aprender. E porque eu sou apaixonada por Soripes e a cozinha vai começar é com ele. Precisa mais algum motivo?  


Adiei “sine die” a abertura da minha, que queria nossa cozinha mineira. A última semana me consumiu energia, entristecida que estava. Parei minha conversa com Sôripes que tava tão boa.... Ele não me perguntou nada, Entendeu, eu sei, minha pausa. Não me sinto motivada a tocar um tópico, porque sempre cuidei dos tópicos que abr muitoi de perto. Mas também não queria que o pouco/muito  que tenho  do Soripes  ficasse retido comigo,  ficasse esperando outro momento. Porque dá um bom início de prosa.Vou colar o que tenho nos próximos dias.

Então amigo querido, acabas de ganhar uma padaria, que seja muito mais bonita que aquela que a D. Gladys te manda ir comprar pão todo dia kikiki. Quando morei em São Paulo eu entendi o que era uma padaria. Isto é uma instituição tipicamente paulistana, acho. Quando me sentia sozinha, morando no Paraíso, ia pra padaria encontrar outras solidões. Pão na chapa, um pingado,um suco  ou um almoço, TV ligada no futebol ou na novela, todo mundo no balcão, alguns com saudades de casa, como eu. Papos rendiam nas padarias de Sampa.

Por favor, continuem de onde eu parei, vou colando aqui o que perguntei. Perguntem mais, acolham quem chegar – é difícil chegar, sei bem como é isto. Andaram aparecendo umas figuras tão bacanas por aqui: O Sr Miloch ( um pouco formal, mas eu gosto tanto dele....figura instigante, me lembra um dos professores que mais admirei e ao qual sou muito grata). Tem também um tal de Emílio,,,, que fala meio feito estrangeiro.... Tem uns novos com cara de antigos: Isabeau, ( que tá com tudo e não tá prosa, é a única que o Sr Miloch chama de senhorita);  Da Lama, Suely Farah e até uma tal Samantha Stephens, a feiticeira. Esta é muito minha amiga. Tem gente sumida e gente que tá tentando manter a chama aqui acesa.....  gente que sei ainda vai voltar. Tem a Cabocla, nossa agente 99, sei lá se não é ela o Stanley Burburinho kikiki. E mais um monte de gente sumida, que uma hora aparece, um monte de gente que não falei, mas pensei e mais Zezita, aquela desclassificada que , prá mim, estava em cárcere privado por imposição do primo, mas voltou hoje.

Daqui a pouco eu volto, a gente vai revezando, mas como disse Cabocla, o espaço é nosso, de todos, todos que queiram construir conhecimento e afetos, porque não?



 

 

 

Exibições: 1606

Responder esta

Respostas a este tópico

Aumentando minha lista de "não comento".

Já tinha mencionado que não comentava textos sobre Battisti, caso Sean, mais recentemente Bin Laden.

Agora "não comento" também textos sobre o ex-gov-SP. Não vejo como vá sair algum coelho dessa cartola.

Uai Gunter! Tomou birra do Ademar de Barros? Ou foi do Lucas Garcez? Do Laudo Natel? Não me lembro de mais nenhum outro....  Ah!... Peraí! Lembrei: do Carvalho Pinto, né?

kkkkk

E não me referia ao que foi operado hoje para safena, que acho bem sonso também.

Nos anos 80 aqui em S.P. o Jornal da Tarde cismou de implicar com o Paulo Maluf, e era artigo sobre ele dia sim e outro também, cheios de caricaturas.

Vejam a que ponto as coisas podem chegar : do falecimento de Covas para cá, meu ex-gov-SP favorito é Claudio Lembo.

Incroyable!

Ai, que esse homi me mata!

eu gosto do lobo porque ele é absolutamente discreto!

e gostei do carão que a cláudia te passou, ali embaixo: germana, nem pensar! toma!

não precisa ser água gelada. pode ser natural, seu tanço! (gelada é quando é bacalhau!)

limpou a carne todinha, foi?

não deixou nem um filete de gordura, prá gente fritar e dar um sabor especial à carne?

ai meu deus! não acompanhar todo o processo de produção dá este tipo de desenredo!

(depois eu mando a música!)

isto, cláudia, dá duro!

Meu Deus!!! E eu aqui tão distante e jejuando para um exame médico amanhã pela manhã! Isso não se faz...

E nem que quizesse conseguiria comer um "arrumadinho" nos próximos dias. Por falta quase total dos devidos ingredientes...

 

Eu fiquei devendo minhas considerações sobre gordos e aviões. Hoje cheguei um pouco mais cedo em casa!

 

É assim. O problema : um dia destes li no jornal de manhã que duas mulheres (mãe e filha) haviam sido impedidas de embarcar em um avião porque se recusaram a comprar uma outra poltrona. No mesmo dia ouvi no rádio outro caso, aí de uma pessoa sozinha.

Não sei no Brasil, mas parece que nos EEUU isso é um problema, e que as empresas áereas não estão lidando bem com a situação.

 

Há um pouco de culpa de ambos os lados, mas mais das áereas. Na minha opinião, a falha de quem compra a passagem é não informar antecipadamente sua condição, deixar pra resolver no embarque. Se o espaçamento entre poltronas é de 60 cm, o que inclui os braços, é claro que alguém com muito peso não entra ou requer não baixar os braços da poltrona e reduzir o conforto dos vizinhos.

 

As áereas entram com a mesquinharia: aproveitam a situação para empurrar uma venda de assento ao lado. Só que isso não é justo, pois a refeição é a mesma (bom, se alguém paga duas passagens recebe dois lanches e pode levar o dobro de bagagem?), o serviço de transporte é o mesmo e o excesso de peso de uma pessoa não faz gastar 100% a mais de combustível e coisa e tal. No mínimo tal assento devia receber um belo desconto.

 

Daí que fiquei matutando no trânsito e pensei que uma ideia podia ser transformar as 2 últimas fileiras de 6 assentos em fileiras de 4 assentos. Macrobióticos e cadeirantes informam antes suas necessidades, não é? Assim, os 8 primeiros com muito peso que comprarem bilhetes primeiro poderiam ficar com essas cadeiras. E se criaria o hábito de avisar as aéreas do espaço necessário.

 

 

 

Para pessoas de mais de 200 quilos, até acho que seu raciocínio funciona. A questao é que as aéreas fazem assentos estreitos demais até para pessoas simplesmente gordas. A soluçao seria impedimentos legais para isso, exigência de uma largura mínima compatível com pessoas variadas, dentro pelo menos de uma larga margem de variaçao.

Também acho, precisa voltar ao que era há uns 20 anos. Poltronas com 70 cm. 10 cm a mais.

Se for o caso que aumentem em 15% as passagens, a aviação não é só pra quem trabalha na SP Fashion Week...

 

Só com legislaçao se conseguiria, eles jamais abririam mao dos lucros por conta própria.

RSS

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço