Gen Heleno envia “recado” ao novo ministro da defesa, Celso Amorim.



No Jornal da Noite da Band de 05 de Agosto de 2011, o Gen. Heleno comentou a demissão de Nelson Jobim e enviou um “recado” ao novo ministro da defesa, Celso Amorim:
Lembro ao novo Min da Defesa, que as Forças Armadas são instituições de Estado, apoliticas, apartidarias. Comprometimento ideológico tem repercussão altamente negativa no meio militar.

 

Notícia completa em: Band

Exibições: 507

Responder esta

Respostas a este tópico

Para mim é simples, no exército não há mandar recado para superior, pune ou prende.
Não é bem assim Rogério, as Forças Armadas brasileiras, nem todos os seus seguimentos, usaram a força e abusaram do Poder no período da ditadura militar, assim como a classe política civil sempre o fez e continua fazendo com a corrupção que aí está e tudo isso em nome da democracia e se levarmos em consideração as desgraças causadas ao país e a todos nós pelo Governo brasileiro, vamos ter aí as de responsabilidade do militarismo bem menos nocivas do que as que foram, são e serão eternamente causadas pela sociedade civil governante e o Congresso Nacional é prova disso.

Caro Ariston

 

Nunca pensei que as Forças Armadas fossem um depositário de golpistas e torturadores, tenho na minha família (várias) pessoas que fizeram parte das forças armadas e nenhum poderia ser classificados como anti-democratas, logo, por justiça aos meus antepassados nunca pensarei desta forma. Entretanto, durante longo tempo da Guerra Fria, gerações de oficiais foram bombardeados por informações falsas dizendo que da Norte-América só vinha democracia e respeito a pessoa, coisa que a própria história desmente, pois de cada guerra em que os USA entra em defesa da democracia, há no mínimo vinte outras com objetivo de TERMINAR COM A DEMOCRACIA, logo que fique claro, que opiniões claras pró outro país estrangeiro, como as emitidas pelo ex-Ministro da Defesa, beirando ao que se poderia se chamar espionagem, nunca tiveram qualquer voz das forças armadas contra isto. Agora antes mesmo de qualquer pronunciamento oficial há advertências ao novo ministro.

 

Por ser de família militar, considero que tanto meu avô como os meus tios, dariam voz de prisão para pronunciamentos sediciosos como este, pois antes de tudo numa FORÇA QUE É ARMADA O PRIMEIRO PRINCÍPIO A SER RESPEITADO É A HIERARQUIA.

Esse General Heleno tem mostrado sua posição em nome das Forças Armadas, com sensibilidade, sensatez,  inteligencia e responsabilidade e não seria ele portador de uma mensagem que ferisse preceitos da democracia a qual defende com lisura e dignidade e mesmo, em se tratando de uma substituição necessária de um Ministro militar que como Governo se blindava com a farda, numa afronta à cidadania civil brasileira, colocou em suas palavras o que todos os brasileiros gostam de ouvir de um militar, respeito.

Ariston

 

A própria fala do Gen. Heleno se alto-contradiz, se as Forças Armadas são uma instituição de Estado que não devem opinar politicamente, por que ele sai antes de qualquer coisa a dar recados a um superior. Quando houvesse quebra dos princípios constitucionais e se procurasse aparelhar essas instituições para fins políticos partidários, que ele se manifestasse, entretanto o que há é a escolha de um ministro da defesa com melhores condições de desempenho em outras funções que o anterior e bom conhecimento do cenário internacional.

 

Talvez o recado que alguns militares estejam querendo mandar é exatamente ao contrário que se pensa, que as forças armadas não devem estar preparadas para o inimigo externo, que é a sua função primeira. Talvez o que estejam querendo dizer é que preferem o alinhamento automático a política de defesa Norte-Americana e não a uma política autônoma e própria do país.

 

Me desculpe, o pronunciamento do Gen. Heleno, para mim é uma insubordinação pois não cabe a um general da reserva ficar mandando recados a ministros, e principalmente a ministros da área militar.

Marco

 

Quanto à passagem para a reserva, desconhecia o fato, pensei que o mesmo continuava na ativa e continuava com suas intromissões políticas que sempre fez, e que na época deveria ter sido punido.

 

Agora compreendo porque da não punição, acho que a Presidente Dilma não será tão tolerante a insubordinação militar como foi o Lula, acho que FORÇAS ARMADAS não devem ser tratadas com a mesma complacência que civis principalmente por serem ARMADAS.

 

E mais, o título deveria ser

 

O GENERAL DA RESERVA......

Gostei Rogério, mãos armadas contra mãos vasias não dá.
Meu querido Rogério, o dever pátrio contido na nossa Carta constitucional, não exclui o cidadão ativo ou inativo de sua prática e em sendo esse General Heleno um cidadão antes de mais nada, capacitado que é, sensato e corajoso, conhecendo bem as limitações a que está sujeito, fez o que devia e é de homens como ele que o Brasil é carente e por isso, atrazado em sua viagem rumo ao futuro.

Perfeito Maestri.  O pronunciamento do Gen. Heleno é contraditório.  Se ele diz que comprometimento ideológico tem repercussão altamente negativa no meio militar, ele deveria ser o primeiro a silenciar.  Não o fez porque, como a maioria da oficialidade das Forças Armadas, principalmente os mais antigos, há uma evidente e declarada doutrinação pró USA.

Ele foi infeliz, inoportuno e preconceituoso no pronunciamento, embora possa fazê-lo na reserva.  Se estivesse na ativa, seria dígno de punição. 

muitos serão os recados, fabricados pela mídia.

tudo como antes, no quartel de abrantes...

enquanto for um governo que luta, luta, para dar uma feição mais popular, ou menos elitista, os recados se sucederão, sobretudo por causa dos acertos!

Caros

Como disse o Marco, o gen. Heleno, passou para a reserva e hoje é um "reporter" contratado pela rede Bandeirantes, para assuntos de segurança, tem dados uns pitacos em diversos assuntos, tenho acompanhado, e como disse o Ariston, tem falado com muita sensatez os mais diferentes temas sobre segurança.

Pelo que me lembro ele passou para a reserva, quando na aprovação da reserva Raposa Serra do Sol, ele na ocasião como general, discordou das medidas que por sinal foram atraves de votação do STF, e logo depois disso, colocaram pijama nele.

Quanto as ações das forças armadas que o Rogerio sitou na ocasião da revolução 64, não tenhamos duvidas, ela foi estimulada, instigada e patrocinada pelo tio San, assim como a desmoralização das forças armadas na decada de 80, com patrocinio da mesma fonte.

 

abraços

Meu prezado Sebastião, esse General Heleno como voce bem lembrou sua posição frente a assuntos que foram contestados por ele com muita coragem, integridade e valor moral, coisas que raramente acontecem no Governo, é um homem que na idade e disposição que tem, jamais deveria ter sido jogado de lado e poderia muito bem agora no Governo Dilma colaborar muito com o país colocando a serviço da presidencia suas magníficas idéias. Sabemos que nas Forças Armadas brasileiras existem muitos graduados competentes e sensatos, porém sem coragem para enfrentar situações como a que esse Generala Heleno tem enfrentado, nesse homem se pode confiar, ao contrário do Nelson Jobim que recebeu do Lula e da Dilma todo um prestígio para fazer as bobagens que fez. 

RSS

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço