Ou no governo de quem aumentou a carga tributária?

Ou o impostômetro como quantitativo da sonegação!

Costumo, ao ler algum comentário de qualquer natureza, verificar o maior número de informações possíveis. É assim até com assuntos mais triviais. Faço questão de ler também os contraditórios para ter um balizamento equilibrado. É do meu feitio. Por mais que não goste de alguns jornalistas, procuro ver se há algum fundo de verdade no que afirma. Quando vi o estardalhaço em torno da marca do impostômetro atingida neste mês, fui a campo. Há muitas surpresas. Assim que durante anos ouvia ministros se manifestarem sobre a sonegação (só sonegação) dizendo que para cada 1 unidade de moeda recolhida, 1 deixava de ser, numa sangria nunca estancada pelos governos Legais ou Ditatoriais. Sempre havendo um conluio empresarial/político que se sustentavam. Quem ousou quebrar isso, foi deposto ou morreu (excluindo-se Collor). Se as condições perdurassem até hoje, poderíamos afirmar que o Impostômetro é igual ao Sonegômetro.
Mas não, a situação melhorou muito. Mas mesmo assim aquele poderá servir de base para o segundo! Há meios de verificar qual o percentual de sonegação! Tenho alguns números que irei colocar aqui. É um estudo que foi elaborado por entidade alheia ao governo e aí podemos calcular o rombo efetuado por quem mantém o impostômetro.
Não achei estudo sobre a evasão de divisas que deve aumentar ainda mais a relação!
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
ESTUDO SOBRE SONEGAÇÃO FISCAL AS EMPRESAS BRASILEIRAS
Gilberto Luiz do Amaral
João Eloi Olenike
Letícia Mary Fernandes do Amaral
Fernando Steinbruch
05 de março de 2009
ESTUDO SOBRE SONEGAÇÃO FISCAL
- Sonegação das empresas brasileiras vem diminuindo, mas ainda corresponde a 25% do seu faturamento;
- Em 2000 o índice de sonegação era de 32% e em 2004 era de 39%;
- Faturamento não declarado é de R$ 1,32 trilhão;
- Tributos sonegados pelas empresas somam R$ 200 bilhões por ano;
- Somados aos tributos sonegados pelas pessoas físicas, sonegação fiscal no Brasil atinge 9% do PIB
- Cruzamento de informações, retenção de tributos e fiscalização mais efetiva são os principais responsáveis pela queda da sonegação;
- Contribuição Previdenciária (INSS) é o tributo mais sonegado, seguida do ICMS e do Imposto de Renda;
- Indícios de sonegação estão presentes em 65% das empresas de pequeno porte, 49% das empresas de médio porte e 27% das grandes empresas;
- Em valores, a sonegação é maior no setor industrial, seguido das empresas do comércio e das prestadoras de serviços;
- Com os novos sistemas de controles fiscais, em 5 anos o Brasil terá o menor índice de sonegação empresarial da América Latina e em 10 anos índice comparado ao dos países desenvolvidos.
- - -
ESTUDO E PESQUISA DE RESPONSABILIDADE:
IBPT – Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário
Entidade criada em 11/12/92, cujo objetivo é a difusão de sistemas de economia legal
de impostos; divulgação científica do tema; estudo de informações técnicas para a
apuração e comparação da carga tributária individual e dos diversos setores da
economia; e, análise dos dados oficiais sobre os tributos cobrados no Brasil.
www.ibpt.com.br
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
Como o PIB de 2008 foi de 3.851.490.000.000 de reais podemos calcular em 1.407.334.446.000 os impostos arrecadados (36,54%) e a Sonegação em 200.000.000.000
Conforme tabela na página 7 do documento acima.
1.407.334.446.000 => 100
200.000.000.000 => x = 14,2 %
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
Já sabemos então qual é o valor que o nosso Sonegômetro atingiu:
Quase 150 bilhões de reais
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
Ou no governo de quem aumentou a carga tributária?
Agora gostaria de falar sobre o aumento da carga tributária:

Evolução da Carga Tributária no Brasil

 Em 1947 = 13,8% do PIB;

 Em 1965 = 19% do PIB;

 Em 1970 = 26% do PIB;

 Em 1986 = 26,2% do PIB;

 Em 1988 = 26,4% do PIB;

 Em 1990 = 30,5% do PIB;

 Em 1991 = 25,21% do PIB;

 Em 1992 = 25,85% do PIB;

 Em 1993 = 25,72% do PIB;

 Em 1994 = 29,46% do PIB;

 Em 1995 = 37,3% do PIB;

 Em 1996 = 28,97% do PIB;

 Em 1997 = 29,03% do PIB;

 Em 1998 = 29,74% do PIB;

 Em 1999 = 32,15% do PIB;

 Em 2000 = 33,18% do PIB;

 Em 2001 = 34,7% do PIB;

 Em 2002 = 36,45% do PIB;

 Em 2003 = 34,92% do PIB;

 Em 2004 = 35,88% do PIB;

 Em 2005 = 37,37% do PIB;

 Em 2006 = 34,23% do PIB.

 Em 2007 = 35,3% do PIB.

 Em 2008 = 36,54% do PIB.

Em 2009 = 34,85% do PIB.

 Em 2010 = 35,04% do PIB.

Era Ditatorial e Transição.

Começou com 19%, teve as maiores variações dos períodos- o que indica sonegação – e terminou com 28,97%.

Era FHC como presidente.

Começou com 37.3%, teve variação intensa – o que indica sonegação - e terminou com 36,45%.

Era Lula como presidente.

Começou com 34,92% e terminou com 35,04 %, sendo o período mais estável, com pouquíssima variação. Foi o período em que mais cresceu a arrecadação, mas com a mesma evolução do PIB, o que demonstra que o percentual (números relativos) foi mais ou menos constante! >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Carga tributária por países.

Olhando a tabela de carga tributária colocada na Wikipédia, podemos deduzir que estamos na média dos encargos dos países desenvolvidos e do BRIC. Se olharmos para os que estão abaixo do valor veremos que sua situação econômica tem também desempenho abaixo do nosso! >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
CONCLUINDO

Falácia 1 – A carga tributária está subindo!

                 Não é a carga tributária  que está subindo. O valor arrecadado mostrado pelo Impostômetro está subindo  por que o PIB está subindo. Está estável em números percentuais!

 

  Falácia 2 – O Brasil tem a maior carga de impostos do mundo (assertiva que se retira da gritaria do PIG e Empresas).                    

 Não há almoço grátis (alguém já disse isso). E esse almoço tem como prato principal as ajudas (socialização dos prejuízos) de empresas, agricultura e bancos. Pela tabela estamos na média.

Falácia 3 – A culpa é do governo que aí está.

Olhando os três períodos de governanças, o único que não subiu absurdamente foi o governo do PT. +++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

NÃO ACREDITE EM NADA QUE LER NESTA POSTAGEM. LEIA OUTROS AUTORES, PESQUISE, SE INTERE DA REALIDADE. NÃO SOU ECONOMISTA, SÓ SOU UM CARA QUE PENSA E ENXERGA.

Exibições: 1439

Responder esta

Respostas a este tópico

Estão criando novos impostos, numa carga que já é abusiva.

A corrupção é pior do que uma bomba atômica? Antes de responder, sugiro conferir: http://pt.scribd.com/doc/66401719/

Como chegamos nesse ponto?

É tolerada porque a maioria da população vive entorpecida pela poderosa, inocultada e inocultável acultura da superficialidade.

O excesso de (des)informações, e uma teia de paradoxos e de falsas crenças, aprisiona o pensamento e terceiriza a vontade. As sensações momentâneas são exacerbadas, e a vida esvaziada de sentido. [1]

O Prof. LÊNIO STRECK critica a "Estagiariocracia". [2]

A "Estagiariocracia" integra a cadeia predatória da juizite e da corrupção. Porque anula a principal característica da jurisdição e da administração, de ser realizada com isenção e para o bem comum![3]

Quem duvida do poder dos estagiários, veja o ponto ao qual chegamos: Como acreditam que os juízes assinam sem ler, e que não há qualquer responsabilidade, descuidam até dos textos de uma linha sobre substituir o perito por "peito substituto", após o MP comprovar “a liminar postulado(sic) no agravo”. [4]

Podemos articular um movimento “ACORDAR” do torpor?

Seria oportuna a tua participação ativa, pessoa focada como livre pensador bem intencionado.

O mais interessante e extraordinário na amizade é que propicia a troca de idéias: Porque quanto mais nos libertamos das idéias, doando-as desinteressadamente, maior espaço abre-se, em nossa consciência, para que muito mais idéias novas cresçam e floresçam:

Mais do que uma pretensão em rumo à politização da nossa sociedade, é um chamado para deixarmos de sermos idiotas:

Podemos resolver todos riscos ambientais no Brasil com 3 bilhões;

Sanar a saúde pública com 15 bilhões!

Recuperar a educação com 9 bilhões.

O Governo alega não ter estes 27 bilhões - que acabariam com os principais problemas do Brasil; nega, até, reposição inflacionária aos professores, agravando o desmanche do ensino público!

Contudo, na COPA 2014 e Olimpíadas 2016 os gastos governamentais serão de 80 a 100 bilhões!

Inconfidência Mineira e Revolução Farroupilha armaram-se contra o "Quinto dos Infernos", imposto que era de APENAS 20%.

Hoje,  a carga tributária chega a ser 4 vezes maior, e o que acontece...?

                                     http://ning.it/qgGKUu

 

Seria cômico, não fosse trágico!



[1] Sobre falsas crenças em torno de felicidade ser um direito, o Prof. Mario Sergio CORTELLA, filósofo, mestre e doutor em Educação da PUC-SP em:
http://video.google.com/videoplay?docid=666414306773119705#

[2] LÊNIO STRECK, "Estagiariocracia", Jornal "O Sul", de Porto Alegre, dia 3.9.2011, e reproduzido em http://www.espacovital.com.br/noticia_ler.php?id=25380/ e http://pt-br.facebook.com/pages/Lenio-Luiz-Streck/115390585209499

[3] Os estagiários deveriam aprender. Contudo, os assessores, pessoas preparadas e que, até então, realizavam as pesquisas, os resumos e os projetos de decisão, terceirizaram seu trabalho. O trabalho dos estagiários não é revisado, e a cobrança é meramente estística, sem compromisso ou responsabilidades com resultados efetivos. Os estudantes, sem muita experiência de vida, e muito menos de direito, percebem que tal encenação permite-lhes concretizar suas simpatias pessoais, e favorecer seus amigos, sem qualquer problema. Aproximar-se do estudante, com pouca experiência de vida, é fácil. Isso é campo feculdo para o dolo dos sociopatolobistas. O prejudicado sequer tem acesso à informação sobre como desenrolou-se a encenação e o sistema esconde o inimigo que preparou a decisão. Pior,  ferozmente protege a autoridade que, ao fim e ao cabo, chancelou toda a encenação! E se o advogado ousa questionar a ditadura dos estagiários, é perseguido. Imparcialidade Judicial... Rev. Faculdade Direito UFRGS, v.12, p.209-215, tb. http://www.padilla.adv.br/teses/

[4] Como sabem que os juízes vão assinar sem ler, e que “não vai dar nada” os estagiários não se dignam a cuidar sequer dos textos de uma única e singela linha. Veja este despacho anunciando nomear "peito substituto" (no lugar do perito) após o MP comprovar “a liminar postulado(sic) no agravo” processo 001/10523815119 ação civil pública na 4ª Vara da Fazenda Pública do Foro Central de Porto Alegre colhido em https://www.tjrs.jus.br/site_php/consulta/consulta_despacho.php?ent... 1&comarca=porto_alegre&Numero_Processo=10523815119&num_movimento=210&code=5474

Sem palavras. estou em paz com minha consciência!

Saiu o ranking da carga tributária 2010: Brasil em 31º

sábado, 24 de setembro de 2011


 

Compilei os dados da carga tributária de 183 países relativa a 2010. Muita gente precisa ver isto, principalmente os políticos da oposição e comentaristas econômicos da velha mídia.

A primeira tabela mostra a carga de impostos com relação ao Produto Interno Bruto (PIB), com dados da organização conservadora The Heritage Foundation. O Brasil ficou no 31º lugar em carga tributária. Existem 30 países com carga tributária maior que a do Brasil. Destes, 27 são países de grande desenvolvimento humano, europeus em geral.

Aí, confrontada com a realidade, a velha mídia vai dizer: "Ah, mas a população não vê o resultados dos impostos recolhidos". Para este tipo de mentalidade, preparei a segunda tabela, com os países ordenados pela arrecadação per capita. O Brasil está em 52º lugar em arrecadação per capita, recolhendo 5 vezes menos que os países desenvolvidos.

Querem nível de vida escandinavo com arrecadação de emergente? É a pobreza, estúpido!

Aí vão dizer: "A situação estaria bem melhor se não fosse a corrupção!". Será? Um estudo da Fundação Getúlio Vargas mostrou que a corrupção impacta 2% (dois por cento) de nosso PIB. Na década, o TCU apanhou 7 bilhões de reais por ano em corrupção, mas a sonegação fiscal anual atinge 200 bilhões de reais, segundo pesquisa de um instituto de estudos tributários. Por que o movimento "Cansei 2.0" não vai às ruas contra a sonegação, que é 28 vezes pior que a corrupção? Espero que se indignem 28 vezes mais...

O movimento cansei não marcha contra a sonegação pois eles são os maiores sonegadores...simples assim!!! 

 

Dia a dia descubro novas "fontes" de sangria da Previdência e do SUS veja (argh) abaixo:

As empresas, cinicamente, ainda pedem redução de impostos .


"Os custos sociais que envolvem essa produção não estão sendo computados pela Previdência. Um levantamento realizado pelo sindicado dos trabalhadores das empresas do estado de Santa Catarina demonstrou que a Sadia contribuiu com 30 milhões ao INSS, no período de 2003 a 2007, e que, em contrapartida, o INSS desembolsou 170 milhões em benefício previdenciário, seja como afastamento do trabalho, aposentadoria por invalidez, etc." Sem contar os tratamentos de saúde pelo SUS, já que os planos privados de saúde, não os cobre.


 

RSS

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço