Atualizado às 18:10

No Sirio, em tratamento, Lula soube que seu arquiinimigo, Roberto Civita, também estava internado, câncer na próstata, só que em situação bem mais grave. Assim que foi informado, decidiu visitá-lo, apesar da resistência de dona Marisa.

Desceram ao apartamento de Roberto Civita acompanhado do oncologista de Lula, Roberto Kalil. Civita se emocionou com a visita e pediu desculpas pelos ataques a Lula e ao filho. Lula lhe disse para não se emocionar muito para não atrapalhar o tratamento.

Kalil viu sinais de ironia no alerta de Lula. Quem o conhece, viu a solidariedade para com o próximo.

A visita foi para a pessoa de Roberto Civita. Mas em nada mudou o julgamento de Lula sobre o publisher Roberto Civita.

Desdobramentos

Algumas deduções e desdobramentos da notícia acima.

Ganha consistência o rumor de que João Roberto Marinho esteve na Casa Civil do governo Dilma, solicitando o empenho do governo para a não convocação de Roberto Civita pela CPI, devido à doença. Da Abril ele seria a única pessoa a poder responder pelos movimentos da Veja nos últimos anos. Nenhum executivo - com exceção de Fábio Barbosa - tem acesso às instâncias mais altas da República.

A notícia do agravamento da doença, além disso, lança nuvens de suspeita sobre o futuro da editora. Os herdeiros não demonstram pique para segurar o timão. Analista do mercado - com quem acabo de conversar agora - julga que se encerra o ciclo Civita na mídia brasileira, sem conseguir chegar até a terceira geração. Não significa o fim da Abril, mas, a médio prazo, dos Civita à frente do grupo.

Roberto recebeu uma editora sólida do pai e teve oportunidades de criar um império. A influência da mídia sobre o governo Sarney permitiu-lhe conquistar uma rede de TV a cabo, a TVA. Depois, com a BOL, foi o primeiro grupo de mídia a tentar explorar as possibilidades da Internet.

Na segunda metade dos anos 90, junto com Otávio Frias de Oliveira, tentou adquirir a Rede Bandeirantes. Na época, fiz uma espécie de meio campo entre ele, Frias e João Saad.

Gradativamente, o grupo foi fracassando em todas as frentes. A BOL acabou fundindo-se com a UOL - da Folha. Mais à frente, Civita foi engolido por Luiz Frias que, na primeira capitalização do grupo, adquiriu a participação da Abril. De um lado, Civita tentava reduzir o endividamento. De outro, julgava que na hora em que quisesse, o conteúdo do grupo permitiria montar uma nova UOL. Perdeu o bonde.

Mais tarde, também para reduzir a dívida, vendeu a TVA para o grupo Telefonica, matando sua última oportunidade de virar um grupo multimidia.

Finalmente, houve um processo de capitalização em que o sul-africano Nasper adquiriu 30% da Abril. Outros 20% ficaram com duas holdings de Delaware, cujo controle nunca foi revelado. Quando vendeu a TVA, provavelmente a Abril recomprou os 20% adicionais.

Alguns anos atrás, a Abril lançou a toalha do lado midiático. Civita passou a investir em educação, montando cursos apostilados e adquirindo editoras de livros didáticos. O poder de intimidação da Veja, as parcerias políticas permitiram avançar em algumas frentes.

Montou estratégias de ataques a concorrentes. Atacou um curso de Ribeirão Preto com informações mentirosas. Depois, apoiou-se em uma ONG recem aberta para ataques macartistas contra concorrentes. A aproximação com jornalistas de outros veículos fez com que, uma semana depois de conceder duas páginas ao livro de um deles, este publicasse em O Globo artigo criminalizando politicamente livro de história de editora concorrente.

Ainda há chão pela frente.

Mas a saga dos Civita, no Brasil, será conhecida por duas fases: a do velho Victor Civita com suas histórias em quadrinhos, suas coleções de livros de economia, filosofia e música, a ousadia em lançar Realidade, Quatro Rodas e Veja. E a era de Roberto Civita, que errou em todas suas estratégias e transformou a menina dos olhos da Abril - a revista Veja - no mais repelente modelo de jornalismo que o país jamais teve em toda sua história.

Exibições: 286

Responder esta

Respostas a este tópico

Webster, nao entendi muito as "entrelinhas". Lula estaria dando força para isso (nao convocar o Roberto Civita)? Eu entendo que ele se identifique e seja solidário, mas nao se pode deixar de investigar as ligaçoes criminosas da Veja em nome de "compaixao humana"... Seria como perdoar Pinochet porque estava doente... 

Analú,

Não acredito que o Lula esteja dando força para não convocar o Roberto Civita, até porque, este conseguiria fácilmente através de atestados médicos e decisão do STF a favor, declaração de está impedido por motivos de saúde.

A leitura que faço é outra: 1- A globo poupa constantemente de críticas a Presidente Dilma, exceto alguns dos seus ministros. Desconfio que tem a vê com aquele jantar que a Dilma foi durante o período eleitoral na casa da Lily Marinho. Acho possível que o João Roberto Marinho tenha estado na casa civil, principalmente quando começaram as primeiras divulgações das conversas do Policarpo Júnior da Veja com o Cachoeira. Como a Globo vinha trabalhando em "parceria" com a Veja desde o primeiro mandato do Lula, é possível existirem outras gravações ainda não reveladas que devem comprometer Veja e Globo, com os grampos efetuados pelo Cachoeira, principalmente as gravações para derrubarem ministros, a exemplo do ministro dos esportes, onde a Globo tinha e tem enormes interesses comerciais em defesa dos seus patrocinadores.

2- Observo que a CPMI não tem mais revelado gravações da Veja com o Cachoeira, a não ser uma intervenção pública do senador Collor na semana passada. Para mim, enquanto não revelarem todas as gravações onde pode haver envolvimento de parte da imprensa e dos três poderes, dá margens a inúmeras especulações.

   

Também percebi isso Webster....não há mais eco sobre a participação da Veja/Policarpo.  O assunto morreu!!!  ESte silêncio se tornou muito constrangedor para todos nós que estamos acompanhando a CPMI.....

Pois é Dê, a maioria dos parlamentares tem receios da imprensa. Lembro ainda do Dep.Protógenes Ferreira que no início fez duras críticas a revista Veja. 

E tem receios por motivos óbvios ....eles, talvez melhor que qualquer outro, sabem do que a imprensa é capaz. A midia pode ganhar eleições....tem sido assim há anos aqui em SP.

Dá um desânimo pensar que o PT pode estar participando desses "acordos"... 

AnaLú, com certeza o buraco é bem mais embaixo....puxar este fio trará muita gente que nem imaginávamos.  Os discursos do Collor, até o momento são os mais coerentes e os que mais se aproximam do que eu esperaria ouvir da bancada do PT....quem poderia sonhar com isso??  Ocorre que a política não se pratica mais como antigamente.  O "pragmatismo político" tomou conta de tudo.  A minha torcida é que seja para um bem maior, lá na frente. Eu tenho muita confiança em Dilma e em Lula, acho que ambos tem muita noção do jogo que é jogado, hoje.  Somos acostumados a um outro tipo de política, ideológica mas que se tornou inviável principalmente depois do golpe de 64 e abertura política que se seguiu.  Percebo que não temos mais condições de governar sem os famosos conchavos.  Um congresso onde reinou, por anos, partidos e políticos safados, bandidos mesmo, não se retoma assim de imediato.  Sofremos ainda com uma população que não entende de política e nem deseja entender, jovens desinteressados e uma midia muito da sacana.  As dificuldades encontradas são muitas.    Aceitar algumas articulações, por mais doídas e sofridas que sejam, são necessárias a causa.  Torço para que seja isso!!! Governo sem governabilidade não dá....é preciso aprovar nmedidas, pacotes enfim....um mundo de coisas. Infelizmente ainda estamos no toma lá, dá cá!! Para mudar isto de imediato, só a  revolução.

Mas compactuar com isso (a criminalidade organizada e associada à mídia) é suicídio político. Veja o Paraguai... Até por pragmatismo tem que se enfrentar o dragao. 

Concordo com vc...não podemos compactuar com a criminalidade organizada, de jeito nenhum, que assola o cenário político brasileiro mas, a pergunta que não quer calar....será que se fosse em outras épocas...será que este escândalo teria vindo à tona??Aí que eu quero chegar.....estamos caminhando AnaLú.  Eu, pelo menos, vejo assim....estamos caminhando.  Ocorre que não se enfrenta o  dragão diretamente.....se "come pelas beiradas".  O desgaste sofrido por Demostenes é inegável...claro que ainda há outros tantos Demostenes no governo mas, um, já foi. Veja, como exemplo, nas últimas eleições, quantos caciques ficaram de fora....caciques tradicionais do cenário brasileiro.  AnaLú, mudanças, na política não ocorrem na velocidade que queríamos, há muitas "forças ocultas" que não permitiriam isto. Lula governou por 8 anos, mais 4 da Dilma com grandes possibilidades de reeleição.....para mim, isto já é uma vitória.  Claro que ainda quero mais mas, é preciso reconhecer que para chegar aqui, foi preciso engolir muitos sapos...... ou melhor, fazer muitos conchavos.

Concordo com tudo isso, Dê. Mas nao se pode deixá-los reaglutinar forças facilmente demais. Olha o Paraguai... 

Pois é AnaLú mas, o golpe no  Paraguai, deixa claro a  importância do voto nos senadores e deputados.  Eleger um deputado e um senador é tão importante quanto eleger um presidente, talvez até mais, ouso dizer.  

Webster tenho acompanhado toda a CPMI. O único que bate forte contra o Gurgel, Policarpo e Veja é o Collor.  Mas tem na maioria uma defesa destas e de toda a midia,comandada pelo MIro Teixeira.

O relator estava colocando em pauta primeiro  todos que tiveram  realmete seus nomes junto ao Cachoeira. A grita foi geral . A Delta eles ja conseguiram. Agora a briga é para chamar Cavedix e Pagot que tem algo com o governo federal. O Simon,MIro,Randolf e Tauqes já estavam se articulando para ouvi-los separado da CPMI, o que desmoralizaria tudo. Mas acho que vai chegar a hora que vão ser obrigados a chamar Policarpo ,apesar das desculpas que estes estão arrajando para o que ele fez.

Simon eu conheço bem desde que começou na politica,pois é do meu estado .Se mete em tudo,mas na realidade em todos estes anos não fez nada mais do que falar. MIro não preciso dizer nada pois todos conhecem a figura. Agora o Randolf e Taques me parecem que querem ser os substitutos do Demóstenes como os mais puros,éticos,etc... Os do PSDB e DEM estão lá ´para conseguir achar algo que inclua a Dilma. Não é por menos que queriam que ela viesse depor. Pelo menos é o que sinto.

RSS

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço