Portal Luis Nassif

Ministro britânico do Comércio fez lobby junto ao governo Temer para beneficiar multinacionais do petróleo, concedendo vantagens fiscais e relaxando regulações ambientais

Um telegrama obtido pelo Greenpeace mostra que Greg Hands encontrou-se com um ministro brasileiro para discutir o relaxamento de regulações fiscais e ambientais.

Grã-Bretanha fez lobby bem sucedido junto ao governo Temer em favor da British Petroleum e Shell, a fim de eliminar as preocupações das multinacionais do petróleo em relação aos impostos, regulação ambiental e regras sobre o emprego de empresas locais, revelam documentos do governo.

O ministro britânico do Comércio viajou ao Rio de Janeiro, Belo Horizonte e São Paulo em março para uma visita com "pesado foco" em hidrocarburantes, para ajudar empresas britânicas de energia, mineração e água a fechar negócios no Brasil.

Greg Hands encontrou-se com Paulo Pedrosa, vice-ministro brasileiro das Minas e Energia, e levantou "diretamente" as preocupações das petroleiras Shell, British Petroleum e Premier Oil, todas sediadas no Reino Unido, quanto a "taxação e licença ambiental."

Pedrosa disse que estava pressionando seus colegas do governo brasileiro no tocante a essas questões, segundo um telegrama diplomático britânico obtido pelo Greenpeace.

O Departamento de Comércio Internacional (DIT) inicialmente liberou à unidade investigativa do Greenpeace, 'Unearthed', uma versão sem edições do telegrama de acordo com as regras de liberdade de informação, com as passagens sensíveis destacadas. Pouco tempo depois, o departamento emitiu uma segunda versão do documento, com algumas passagens editadas.

O Greenpeace acusou o departamento de agir como "lobby da indústria de combustíveis fósseis."

O governo do Reino Unido nega que estivesse fazendo lobby para relaxar o regime de licenciamento ambiental, ainda que o esforço pareça ter dado frutos. Em agosto, o Brasil propôs um plano multi-bilionário de isenção de impostos para a prospecção de petróleo, e em outubro a British Petroleum e a Shell foram as principais beneficiadas nos "leilões" de concessão de licenças de exploração.

Rebecca Newsom, conselheira política senior do Greenpeace, disse: "Este é um duplo embaraço para o governo do Reino Unido. O ministro do Comércio de Liam Fox tem estado fazendo lobby junto ao governo Temer para um imenso projeto de extração de óleo, que irá prejudicar os esforços ambientais feitos pela própria Grã-Bretanha na cúpula da ONU em Bonn."

"Como se isso não bastasse, o departamento de Fox tentou abafar todo o negócio, e esconder suas ações do público, mas falhou comicamente."

O documento revela ainda que o Reino Unido pressionou o Brasil para relaxar suas exigências de que operadores de óleo e gás utilizassem uma certa proporção de pessoal e rede de suprimentos brasileiros.

Diplomatas britânicos descreveram o relaxamento das exigências do assim chamado conteúdo local como um "objetivo principal" porque a British Petroleum, Shell e Premier Oil seriam "beneficiários britânicos diretos" das mudanças.

O esforço do Reino Unido em "amaciar" as exigências continuaram no dia seguinte à reunião entre Hands e Pedrosa, com um funcionário senior do DIT conduzindo um seminário sobre o assunto na sede órgão brasileiro de regulação de óleo e gás.

O governo do Reino Unido já esteve sob fogo cerrado no passado por suprir centenas de milhões de libras em suporte da Petrobrás, por intermédio da agência britânica de crédito à exportação.

Os continuados esforços de lobby petroleiro do Reino Unido no Brasil emergiram dias depois que ministros britânicos alardeavam a liderança do Reino Unido na redução de emissões de carbono na cúpula climática internacional em Bonn.

Claire Perry, ministra do Aquecimento Global, disse à cúpula: "estamos levando nossos compromissos sob o acordo de Paris muito a sério, e estamos empreendendo ações."

Um porta-voz da DIT disse: "A DIT é responsável por encorajar oportunidades de investimento internacional para empresas do Reino Unido, respeitando plenamente os padrões ambientais locais e internacionais. A indústria de óleo e gás do Reino Unido, bem como sua rede de suprimento garantem milhares de empregos, e sozinha é responsável por exportações no valor de £19 bilhões."

"Entretanto, não é absolutamente verdadeiro que nossos ministros tenham feito lobby para relaxar restrições ambientais no Brasil - a reunião foi para aperfeiçoar o processo de licenciamento ambiental, assegurando um ambiente de trabalho equilibrado tanto para companhias domésticas quanto estrangeiras, e ajudando em particular a acelerar o processo de licenciamento, tornando-o mais transparente, o que, por sua vez, ajuda a proteger os padrões ambientais."

Fonte: The Guardian https://twitter.com/guardian/status/932290868928753669

Exibições: 75

Responder esta

Publicidade

© 2017   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço