O capitalismo falhou

 

 

O mundo começa a sentir os desdobramentos do capitalismo selvagem. A crise na união européia desencadeia quedas na bolsa de valores; diminuição de salários, demissões e medidas dramáticas. Como era esperado e noticiado no mundo, desde abril de 2010 a Grécia pedia ajuda monetária a UE e o FMI, já com seus indicadores apontavam para o pior. O pedido de ajuda monetária tramitando nos gabinetes da França e Alemanha, onde a Grécia precisaria de 45 bilhões iniciais para segurar-se no mercado comum europeu. O problema é, se a Grécia não tem dinheiro hoje, como podemos esperar que ela pague por um novo empréstimo. O que causa um mal-estar no fundo monetário e o medo de sofrerem um calote econômico.

            A economia da Grécia é capitalista mista com participações de empresas do governo. Seu principal setor de serviços, indústria, turismo e mineração. Em 2010 a Grécia entraria em profunda crise econômica recorrendo assim, ao FMI, tomando medidas drásticas em relação ao povo grego; com redução de salários, demissões em massa e reduzindo ao máximo os benefícios dos aposentados. Alemanha e França prontificaran-se a estudar o caso da Grécia. Desde abril que essa anunciação da crise está em pauta e nada foi feito.

            Até hoje não houve nenhuma ajuda financeira, motivo esse, desencadeando uma forte crise política e econômica. O governo alemão alega que a Grécia é o maior beneficiado do dinheiro do FMI e UE. França e Alemanha já disseram que não vão assinar um cheque em branco para a Grécia. Era de se esperar, de um país que tem uma economia frágil como à Grécia. Sem tradição de grande exportador no mercado internacional; eu seja, produtos made in Grécia, agronomia e pecuária. Suas indústrias prestam serviços internos, causando uma divida interna considerável.

            A falta de um ajuste fiscal consciente do governo grego da margem ao esbanjamento de dinheiro público, junto à credibilidade do povo que praticamente apóiam esses governos que se beneficiam. O povo grego iludiu-se com as facilidades do capitalismo, gastando mais do que pode e tendo o governo como exemplo. Não é a toa que a Grécia foi chamada pelo governo alemão; o país que maior se beneficiou com empréstimos do FMI.

            A Grécia não tem petróleo, o que ajudaria e muito o afastamento imediato da crise; nem bombas, nem exércitos especializados em guerras. Nunca ouvi dizer que a Grécia exporta para o mercado internacional. Nunca ouvi dizer, que a Grécia tem grandes riquezas minerais. Tanto que o setor de turismo arrecada mais que o pecuário e o industrial. Parece-me que o povo grego vive ainda no mundo antigo, na Grécia clássica, uma espécie de época de ouro. Sou um admirador da Grécia antiga e concordo quando o poeta diz; somos todos gregos. Mas viajar no passado glorioso e épico grego, ignorando o capitalismo selvagem é um pouco de mais.

            Com a onda de quebradeira geral, tanto da economia, como atos praticados na greve geral, agravando radicalmente a situação por lá. O aumento do combustível e do cigarro, corte dos salários décimo terceiro e décimo quarto. Com a crise dos bancos nos setores públicos e na previdência, fica difícil de encontrar uma saída. Em outras palavras, sempre é o povo que sofre com esse tipo de crise. Como diz o ditado; o povo sempre paga a divida dos governantes.  

            Admiro a luta do povo grego para garantir os seus direitos. Apoio incondicionalmente o povo que vai para rua protestar e reivindicar seus direitos. A luta democrática tem que ser permanente. O povo não deve se iludir com um falso bem estar social, ainda mais, com uma crise anunciada. Sabemos que, quando a coisa fica feia é o povo que paga. Acho que o povo grego tem que depor seu primeiro ministro, para dar as diretrizes e para garantir a eles o que realmente necessitam. Ninguém quer um governo que deixa a coisa rolar, não se preocupando em realizar um pacote fiscal realista.

            O capitalismo e seus temas artificiais apoiados na filosofia Keynesiana que diz; que o capitalismo alto se regula, que não é necessário à intervenção do estado; isso fez com que várias economias ruíssem ao longo do século. No caso da Grécia é um caso bem típico do novo capitalismo global. Dizem até que a crise assemelha-se com a dos USA e pode ecoar para outros lugares como Espanha e Itália. Aí a coisa pode ficar mais grave porque, suas dividas ainda são mais altas do que à Grécia. Os indicadores econômicos apontam que esses paises realmente, não têm um tostão furado no bolso para pagar suas dividas.

            Voltando o capitalismo global que é o maior vilão dessa historia.  O povo grego além de reivindicar seus direitos, teria que formar uma comissão permanente de repúdio a esse sistema monetário predador, que ao longo do século especulou, escravizou e manipulou países com pouca infra-estrutura. Impondo uma economia feroz ao povo, causando perdas salariais, perdas de direitos trabalhistas reformulado na CLT. Empresas multinacionais implantadas em outros países de origem subdesenvolvidos que escravizando seus trabalhadores conseguiram ganhar muito dinheiro e o próprio sendo enviando para seus países de origem. A alta especulação em papeis ações; tudo isso fez com que, grande parte das nações periféricas, ruísse consideravelmente. Só nos resta o bom senso de pensar que tudo vai melhorar. E por outro lado, que essas manifestações populares ganhem uma dimensão planetária permanente.  O povo grego que passa por esse momento sofrido, consiga dar uma lição ao mundo. Que tenha força para manter a greve geral e se for necessário, depor seu chefe de estado.

 

Ass, Lathé

Exibições: 288

Responder esta

Respostas a este tópico

O capitalismo é uma merda, mas as alternativas que até hoje apareceram são piores.

O brasil é que tem que aprender com a grécia. Estamos sobrevivendo graças a alta das comodites e o que o governo esta fazendo? Indexando a economia, gastando em consumo, aumentando o estado (concursos públicos pipocando em todas as esferas) , cercando o agronegócio, aceitando passivamente a formação de cartéis, corrupção correndo solta, pouca infra estrutura, saúde e educação não melhora,...  etc.

Uma mudança no panorama mundial, com depreciação de comodites, e vamos para o buraco também.

O buraco aqui se chama inflação.

concordo em genero e numero com voce. quero deixar bem claro, nao estou defendendo nenhum sistema politico em vigor hoje, quando falo mal do capitalismo. só estou pontuando o que aconteceu na grecia.
Não sei se a social-democracia (um misto de capitalismo e socialismo?), que vigora na Suécia há mais de 50 anos, é uma merda ou pior que o capitalismo.  Pena que pouco se fala do sistema praticado naquele país.  Agora, uma coisa é certa, a Suécia é como um "mineiro (natural de MG) mundial": come calado!  Não se houve falar em crises naquele país e seu povo tem um ótimo padrão de vida, tanto econômico como intelectualmente falando. 

Concordo. E como disse antes, em outro tópico, esses paises, suécia , suiça, dinamarca, finlandia, alemanha, estão se tornando verdadeiras sociedades socialistas. O gráfico social é uma cebola, não uma pirâmide.

Na suiça ninguem sabe que esta na presidencia, pois ha uma rotatividade entre cantões. Porque não nascemos nesses paises? Somos pobres cucaratchas, e teremos muita luta pela frente. Acredito que o segredo é  fazer o estado funcionar. Principalmente, educação, saúde e segurança. E ai entra o choque gestão capitalista que o covas falava em 99.

O capitalismo começou historicamente em 1100/1200, de lá pra cá passou por sucessivas crises, reacomodações e adaptações.

Entre outras coisas, projetou a civilização ocidental como modelo hegemônico de desenvolvimento global, estabeleceu estrutura planetária de economia, política e cultura. Devastou e criou, formulou as bases filosóficas, morais e legais de mediação entre classes e nações. Instituiu a racionalidade, a materialidade, o lívre arbítrio, o comércio e a primazia do conhecimento como instrumento de poder. Impôs absolutismo, escravismo, mercantilismo, democracia iluminista e globalização como plataformas de hegemonia gradual no domínio do homem sobre a natureza. Concentrou monstruosamente riquezas e saberes, formulou filosofias e estéticas contra si mesma.

Não me parece bem o panorama de um fracasso, mas de acirramento cada vez menos administrável de contradições, de forças internas explosivas, de paradoxos e impossibilidades. Está chegando ao fim, em estado de barbárie e aparente autodestruição, suicídio coletivo.

Não acontecerá, e só não acontecerá porque o ser humano está atavicamente habituado a sobreviver, preparado pra sobreviver; e a agir defensivamente, coletivamente, quando encostado contra a parede.

A plasticidade do capitalismo está no limite, se esgarçando a olhos vistos. Uma nova música vai começar a tocar, uma Marsellaise em ritmo de samba, atabaques e ting tings orientais. Esqueçam bunkers falsificados como Alemanha, Suécia ou Finlândia. É cinema entretenimento. Desde Bergman e Herzog, até Kausmari, Lars von Trier e Fassbinder, o mito do paraíso nórdico/ariano já havia virado pó. As favelas finlandesas e dinamarquesas são containers que viraram residências (linda metáfora?).

O capitalismo não falhou, foi brilhante sucesso de bilheteria, só está encerrando o seu ciclo. Quando lemos emilio vociferando contra funcionalismo público e ao mesmo tempo tecendo loas ao "socialismo" nórdico, percebemos o tamanho a que chegou a confusão.

O novo mundo tem cheiro cucaracha, sim, mano. Fique ligado.

Até a metade do texto eu gostei.

A realidade atrapalha os sonhos. Ja dizia ramires.

Onde eu vociferei contra o funcionalismo? Falei contra o sistema.

Falei, e gosto de repetir, que o segredo para ser primeiro mundo é fazer o estado funcionar. Choque de gestão.

Se vc entende que isso é falar contra o funcionalismo, me desculpe, mas vc vestiu a carapuça.

O capitalismo falhou? Sim, sim e minha avó é uma bicicletinha.

Isso que está aí é exatamente uma prova do capitalismo vivo e forte. Isso é o capitalismo!

calma, isso é só um titulo de texto! o titulo podia ser eu e minha vó. não questionei a origem historica do capitalismo, conclui que no caso da Grecia ele falhou!
Ah, bom... por que não explicou?

Aí, sim, falhou. A campanha contra Tróia exauriu os recursos destinados à industrialização de velos de ouro e o agronegócio baseado em olivais. Depois, a descentralização política não favorecia a captação de investimentos externos.

E quando estavam se recuperando, veio a guerra do Peloponeso. Aí danou-se.
a guerra é outra agora. mas danou-se do mesmo jeito.

Pois é, mas o capitalismo existe exatamente por causa disso, para que inocentes (úteis ou não) achem que ele resolve as mazelas das nações incautas.

Pela sua ótica, lathea, o capitalismo seria uma belezura se a Grécia não passasse por este perrengue e quem se auto-copularia seriam os do Norte. Ora, Santa Inocência, Batman!

leia com mais atençao o texto. falei que o capitalismo está acambando com o mundo, nao so a grecia. se voce acha que estou chiando so por causa disso, engana-se redondamente robim!

RSS

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço