O último que sair, por favor, baixe a tampa da privada

Retomando uma discussão.

Exibições: 1735

Responder esta

Respostas a este tópico

Viu, eu vou colocar outra conclusão sobre o tópico:

O Mário queria ser enigmático, e deu no que? Em merda! Literalmente falando!

R- alhures para Maestri kikiki. E eu que achei que ia fazer uma consulta grátis contigo sobre a porta que coloquei alhures lá atrás te perguntando sua opinião, porta que stellinha logo veio dizendo que era dela, e vc, necas, não me disse se acha boa pra fechar uma privadinha ou não. Este portal tá perdido mesmo... kikii 

Vc não sabia que aquela foto era da Stella? Acho que é de um conjunto sobre arquitetura rural.

Sabia não Gunter. Estou fazendo umas reformas no meu chateau e sempre que vejo uma foto interessante na net eu copio pra mostrar pro meu pedreiro, que é tambem bombeiro, eletricista, carpinteiro e psicólogo kikiki. E esta porta me lembrou os grotões de minas onde minha avó nasceu, pensei em um banheirinho com ela e pensei em colocar tipo uma muretinha saindo pra fora, pra colocar uma boneca namoradeira mineira em cima.(ou duas, talvez) Imagina a cena: obrando, conversando e emoldurada por uma linda peça do artesanato mineiro? AABB ( já tinha me esquecido disto, lembro quando te perguntei faz anos o que era isto, lá no blog, quando andava por lá tb, lembra?)

Mas já que ele é psicólogo também, explore mais, vc está propondo uma mudança muito grande de paradigma.

A ideia da namoradeira é muito boa. As pessoas usam só em janelas pra rua, mas pode ser em janelas internas, como balcões de mezanino ou de cozinha americana.

AABB

Em outro tópico, nosso colega Gilberto propôs um início de conversa sobre  filósofos contemporâneos a repensar Diógenes. Despertou minha curiosidade a respeito de “como” e “se” seria possível um resgate do cinismo (de Diógenes, claro), nos dias atuais.  O filósofo,  polêmico  criador da linha filosófica do Cinismo,  rejeitava as convenções sociais. Morava em um tonel, masturbava-se em público e defecava no meio da rua, logo assunto que, achei pertinente postar aqui, neste tópico de merda. Estes comportamentos tinham uma razão de ser: os cínicos procuravam ser na radicalização do seu modo de vida , o que defendiam no discurso.  Por isto tergiversar aqui  sobre o cinismo seria, sinto,  contrariar seu próprio fundamento:  convergir ação e discurso. Pouca teoria e muita prática.

Cínicos rejeitavam  Rejeitam o que era convenção e buscavam  respostas no que era natureza. Chocavam muita gente, a maioria. Embora fossem amados pelo povo de Atenas. Além disto, agradavam pessoas consideradas ilustres, entre elas, ninguém mais, ninguém menos que Alexandre:  o Grande. Imperador que chegou a dizer que, se não tivesse nascido Alexandre, gostaria de ter nascido Diógenes.

Diógenes vivia como um cão ( cínico em grego quer dizer cão), o que, pra mim, de pronto, já ganha algo de minha atenção. (“cachorreiros” como eu,  de pronto me entenderão).Dormia, comia e satisfazia qualquer necessidade em qualquer lugar.

Seus detratores lhe diziam que ele não sabia coisa alguma de filosofia e se colocava a filosofar. Ao que respondia: “ aspirar à Filosofia também é filosofar”. Valorizava a liberdade de expressão mais que tudo na vida.

O professor Piva, escreveu certa vez, aqui ou alhures, (acho que foi alhures) sobre Diógenes e os cínicos:  “ Os cínicos procuravam seguir a natureza. Por isso não valorizavam a educação e a cultura, por exemplo, vistos como formas de degenerar  e de fugir do estado de natureza. Sabedoria era saber viver bem conforme a virtude. E virtude era seguir os impulsos da natureza. Ser totalmente franco, sincero, transparente. Natureza entendida como o contrário de convenção, de conveniência ou de artifício.  Muitas vezes significava agir sem pudor. Diógenes arrotava, peidava, e defecava onde estivesse. Ele não cortava o cabelo, não fazia a barba e nem tomava banho, andava no meio dos cães, descalço, ou seja, vivia conforme a natureza”.

Ao que acrescento:  fazia isto tudo, mas pensava. Pensava tanto e tão bem que atravessou séculos. Pelo que me lembrou ontem nosso colega com suas referências,  ainda ilumina o pensamento de outros filósofos.

A palavra cínico hoje é usada como sinônimo de mau caratismo e hipocrisia. (se bem que, tenho pra mim, que não existe o “bom” e o “mau” caráter. Do meu ponto de vista, existe o “com” e o “sem” caráter. Não adjetivo esta palavra. Mas isto é discussão pra uma outra hora). Não me parece possível reviver o cinismo como sugerido pela vida dos cínicos gregos. Mas é sempre inspirador para uma sociedade como a nossa, em que filósofos, políticos, todos e cada um de nós, muitas vezes não conseguimos sintonia entre o que falamos e o que fazemos. Estivesse no facebook e visse por lá o Diógenes, certamente apertaria o botão “curti”.

Deixando uns quadrinhos que achei em minha canastrinha e partindo rumo ao meu sertão. Bom fim de semana aos que ficam, com muita m.....  a adubar o pensamento.

Anexos

RSS

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço