Moro em São Paulo uma cidade altamente miscigenada e plural. Aqui vemos pessoas de todas as origens desde chineses que invadiram a cidade para vender produtos contrabandeados até nordestinos que estão em busca de melhoria de vida.

Hoje, São Paulo abriga um pouco de cada canto do Brasil e do mundo. Isso faz da cidade um lugar único.

Apesar de toda a essa diversidade de cultura e raças estamos em uma cidade extremamente conservadora e preconceituosa. Sei que é difícil generalizar, mas essa é a realidade da cidade em que moro.

No passado, São Paulo foi um importante polo produtor e exportador de café. Aqui, em 1880 o café enriqueceu muita gente.

A cidade foi originada pelo agronegócio. As grandes fazendas e seus donos sempre comandaram a política local.

Os migrantes e imigrantes que vierem aqui ajudaram, não só a enriquecer os fazendeiros, mais também construir essa grande cidade.

Foi, e ainda é à custa dessas pessoas que São Paulo se tornou o que é para economia desse país.

Apesar disso, a cidade parece que não evoluiu. O povo é totalmente comandado pela elite e a mídia local preconceituosa e hipócrita.

É comum ouvir frases preconceituosas contra nordestinos da boca de filhos de nordestinos! Algo inadmissível e impressionante.

Com a ajuda da imprensa, corrupta, preconceituosa e hipócrita, que representa elite e políticos, nas emissoras de TV, rádio e jornais, a manipulação corre solta.

É só você perceber que não temos apresentadores de TV negros ou nordestinos. São raros os repórteres negros em nosso telejornal e bem mais raros os nordestinos. Ao contrário, os apresentadores e repórteres de nossa mídia são pessoas da própria elite que estão lá, disseminando em seus comentários o ódio e o preconceito.

A classe média dessa cidade é composta de pessoas que, não necessariamente, fazem parte dessa elite dominante, mas que precisam se afirmar para serem aceitas. São pessoas que com muito sacrifício conseguiram estudar e ter um cargo um pouco melhor, por exemplo, de gerente. Essas pessoas repetem que nem papagaio o pensamento cretino da elite paulista, disseminando esse pensamento para os mais pobres.

Outro dia, estava em um boteco e ouvi um senhor que estava visivelmente bêbado discutindo política com os amigos. Ele gritava e criticava o ex-presidente Lula, alegando que Lula era um vagabundo que nunca tinha trabalhado na vida. Esse senhor ainda exaltava o Fernando Henrique, que para ele é um verdadeiro lorde. De onde você acha que ele tirou essa ideia? Muito provavelmente do seu patrão.

Infelizmente, o povo paulista ainda está sob a dominação da elite do agronegócio. Que enriqueceu explorando a massa de migrantes e imigrantes. Ainda representamos um pensamento que não pertence a nós. Somos um povo que ainda não se libertou. Um povo conservador e medroso. Um povo que vota no cabresto, no cabresto que é o pior de todos, o da ignorância.

Fonte: http://dilmapresidente.wordpress.com/

Exibições: 437

Responder esta

Respostas a este tópico

Chinas invasores vendendo produtos contrabandeados? Hummm! Galeria Pagé, é? Mr. Law... matérias da globo... sim, sim.
Tem mais uns 120 mil chinas espalhados por aí em sampa. Haja muamba, hein? Quaquá!
Desculpa, toca o barco. É que o começo foi un peu esquisité.
Dá licença que chegou a rapa. Fomos.
Pois é, né? Esqueceu dos que vieram antes para fritar pastel. Liga não, muitos acham que os almeidas vieram para abrir pastelarias lusitanas. Salve o Boulevard Vingt Cinq! Viva a Twenty Five Street!

Minha cara Selene, você fechou com chave de ouro seu texto, com a palavra “ignorância”, pode ser entendida como; falta de conhecimento, falta de sabedoria, ou ainda crença em falsidades.

Como todos sabemos, o preconceito é inerente ao ser humano, todos temos pelos menos um pouco, porem alguns de nós que não nos incluímos no contexto acima, temos a liberdade de lidar com esse assunto até com certa facilidade, e quando não entendemos muito bem, nos utilizamos do bom senso, e até do amor na sua essência. Todavia apesar de esses dois valores estarem a disposição de todos nós, nem todos estamos dispostos a aceitar, não porque sejamos “burros”, ou coisa que o valha, mas sim porque muitos de nós, sem que percebamos somos vítimas de um sistema extremamente convincente na deturpação de valores, que eu podemos chamar de “crença em falsidades”.

Já vivemos sob o domínio de muitos impérios, sendo os mais conhecidos, pela proximidade do tempo o romano e agora o americano. Esses dominadores usam tudo que conhecem, com o intuito de fazer com que todos os dominados sejam, para não dizer “escravos”, vamos chamar de “colaboradores forçados”. O império romano, devido aos parcos conhecimentos predominantes na época, se utilizava da espada como agente pra convencer seus dominados a colaborarem. Porém hoje com os avanços da tecnologia e também dos métodos mais convincentes utiliza-se, além dos armamentos, de métodos “mais brandos”, mas que são tão convincentes quando os métodos romanos.

Desde os anos 50, quando foi criada a televisão, e aprimorada ao longo dos seus 60 anos, os novos métodos, que ainda eram principiantes, ganharam grande força, visto que esse sistema, que eu chamaria de “maldito”, pela maneira errônea que se utiliza, e conseqüentemente pelo estrago que faz, as pessoas vem sendo adestradas como animais, para fazer tudo o que essa “elite” quer, numa armação societária nunca vista antes, que se faz entre empresas de comunicação e outras empresas dos mais variados ramos, especialmente as multinacionais, quase todas do império dominador, comandadas por pessoas extremamente gananciosas,  como: dar audiência incondicional e massiva, com isso arrebanhando grandes somas em verbas dos governos, comprar os produtos que eles anunciam, independente se maléficos ou não,  votar em candidatos coligados com eles, muitos se utilizando da corrupção, defender sua ideologias, quase sempre em detrimento dos interesses da população, os mesmos que lhes dão audiência e lucro.

Bem recentemente esses gananciosos apátridas, passaram a se utilizar de métodos nada ortodoxos, como: difamação de candidatos que não compactuam com seus métodos, lançar falsos boatos e em uníssono com os outros órgãos de imprensa, validar esses boatos através de repetições massivas, e até se utilizando da fraqueza das pessoas, distribuindo panfletos apócrifos nas igrejas.

Por tudo isso percebemos que essa pequena elite raivosa, e rançosa, é forte e cresce a cada dia. Precisamos que nossas autoridades, se desvinculem de “seus medos”, e tomem decisões corajosas e acertadas com o intuito de acabar com essa praga extremamente perigosa que cresce como nunca em nosso país.

Selene, n almeida.

Falar o que após vossos textos?

O IBGE já mostra que a locomotiva do Brasil virou maria fumaça.

Nós paulistas, nos contentamos em "viver" numa metropole. Assim, procuramos eleger os "cultos".

Depositamos o voto e vamos dormir tranquilos, eles sabem como ninguem administrar este estado pais.

Como um inculto pode administrar a locomotiva? O voto é livre. Aqui não é como muitos estados que o povo vota como determina o coronel. Aqui somos alfabetizados, universitários, diferenciados. Não percebemos que somos o curral eleitoral do PIG.

Sábia Selene, boa noite,

 

Parabéns pela visão privilegiada, lucidez incisiva e a coragem de mostrar as verminoses morais que infestam as entranhas de São Paulo!

 

Infelizmente, todas as contagiosas patologias morais, presentes nessa verdadeira ressonância magnética da sociedade paulista também infestam o Rio de Janeiro, Minas Gerais, R.G. do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Brasília, E. Santo, nos dois Matogrossos, Bahia, Pernambuco, Sergipe, Tocantins, Pará, Maranhão, Amazonas, Acre, Rondônia, Roraima, Tocantins, Sergipe, Paraíba, R.G. do Norte, Amapá, Ceará, Acre, Alagoas e, até o Piauí...

 

RSS

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço