"Quem não aprende com os erros da história está condenado a repeti-los."

Sei que a maior dificuldade do ser humano em geral é se desapegar do passado, seja ele qual for, até porque existe uma máxima popular que confirma e justifica essa verdade quando diz que "Toda mudança acarreta em sofrimento." Portanto, conservar ou viver com os velhos hábitos, costumes e relacionamentos, mesmo que eles estejam causando incômodo, nos violentando e/ou nos prejudicando, tanto individual quanto no coletivo e até mesmo que essas práticas e pessoas já tenham dado a sua contribuição e já saíram do cenário da realidade presente, mesmo assim é mais cômodo fingir que eles(as) existem e carregamos esse fantasma e peso morto ou esse passado que se encontra totalmente divorciado do presente como uma corrente em nossos pés existencial, simplesmente porque não nos interessa despertar para a realidade que aí está.

 

E aqui desejo ressaltar de uma forma sintética a questão ideológica que marcou fortemente de uma forma crescente de séculos anteriores a vida política partidária do século XX.

O que de um modo geral as pessoas não estão percebendo, mas as que professam ser de "esquerda" do que as de "direita" é que o Século XXI é infinitamente mais do que um século de mudanças de paradigmas, mas sim um século de mudança de Era, aonde a Sociedade do Conhecimento e a Sociedade da Informação implodem, assim como aconteceu com as Torres Gêmeas nos EUA, em 11 de setembro, a cultura e o conhecimento do homem do Século XX. Portanto, no que tange a questão político partidária, professar ser de esquerda ou ser de direita, e até mesmo de centro, diante do mundo que está e vem aí é simplesmente um desserviço e estar na contra mão da realidade dos fatos.

A ideologia que também é utopia é nada mais nada menos do que a orquestração de um sonho em favor de um mundo e uma sociedade melhor, aonde todos e não apenas alguns possam viver plenamente felizes e realizados.

Quando o mundo acordou da idade do obscurantismo, um exponencial salto foi dado em favor da humanidade, mas esse salto foi com a cumplicidade do novo, do inédito e, sobretudo da radical mudança entre o novo e o velho, sem a presença de curativos ou paliativos que pudessem apenas mascarar do NOVO MUNDO.

O Século XXI é o século da contra reforma protestante, da contra revolução francesa, do contra iluminismo, e da contra revolução industrial, cujo século é marcado e determinado pela batuta da SUSTENTABILIDADE PLANETÁRIA, princípio este decantado em prosas e versos desde 1972 em Estocolmo culminando na RIO+20 em 2012 no Rio de Janeiro, a fim de preservar o Planeta Terra e salvar o bicho homem de sua extinção.

Em conseqüência, a IDEOLOGIA DO SÉCULO XXI é uma ideologia pautada em uma percepção holística, aonde a solidariedade movida pelo espírito da cooperatividade, do amor ao próximo e da educação socioambiental, no sentido de preservar a biodiversidade e o ecossistema, sua casa, devem nortear a missão e a visão de futuro de qualquer cidadão, seja ele de que partido for e de que continente habitar.

Aí sim, ele ou ela poderá se ufanar e dizer em alto e plenos pulmões, EU TRABALHO PARA UM MUNDO MELHOR, e certamente a Mãe Terra saberá reconhecer, agradecer transmitir o: - MUITO OBRIGADO!

Jorge Marcos Barros

Educador, administrador, gestor socioambiental e em políticas públicas e 

mestrado em ética e gestão

CRA/RJ 2065344

Exibições: 719

Responder esta

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço