Inspirada, e até comovida, por dois vídeos de e sobre Clara Nunes, postados pelo Fernando Luiz na minha página e por um post de Adriano Ribeiro, colocado em destaque pelo Nassif, acho que a gente bem que poderia montar um retrato com elementos da história do samba, das suas origens e dos registros mais significativos que ainda se mantém preservados (como o jongo, o samba de roda), além daqueles registros e intérpretes que denunciam a grande beleza deste ritmo que tão bem interpreta a alma nacional.

 

 

 

 



E aqui a prova de que ele é eterno:

Exibições: 2405

Responder esta

Respostas a este tópico

serjão,
em primeiro lugar, saudade de você.
e em segundo lugar, dona ivone lara é demais.
e quando se fala dela, me lembro também de clementina (adoro esta senhora. adoro)
vai ela aqui, ao vivo, porque o nando já mandou a voz dela ali em cima
(não sei quem fala no início do vídeo)

então, do Recôncavo:


" target="_blank">
Caetano, que poucas vezes se arriscou a fazer samba:

" target="_blank">
samba tem também alma de cigano, de laurindo Rabelo, tá lá no sete cordas. e

Pernambuco:

" target="_blank">
caetano?
e esta mulher linda?
e samba?

Maravilha esse forum!
Vou contribuir com o que estou ouvindo agorinha mesmo:

Adriano,
isto é muito lindo.
são bons estes momentos, porque a gente tem a oportunidade de ouvir, como se novidade fosse, registros magníficos da nossa música.
eu que conhecia a música, nunca prestara a atenção devida à letra.
brigadão, viu!
e traga mais.
você é, como tantos aqui no portal, garimpeiro dos bons.
Uma contribuição paulistana:

ela é linda.
ela me lembra muito a clara nunes. na movimentação do corpo, no gesto de adoração aos deuses, no balanço das mãos. no gingado. se for, uma bela reencarnação!

mas são paulo tem uma marca registrada fundamental, no samba, né?

mas, dada a lembrança acima, trago prá cá a clara que o nando colocou lá na minha página (e uma das motivações para este tópico):

Como sei que haverão muitos sambas cariocas aqui, vou fazer côro com a LUiza e mandar o original samba paulistano. Sampa é tudo... de bom e de ruim.

o samba de sampa tem no adoniram um marco, né?
e tem muito mais, muito mais.

mas, vou fazer este registro sobre a delicadeza da chula:
e um outro lugar que conta a história do samba. aliás um excelente artigo que, ao final, traz as figuras dos sambista mais importantes da nossa história:

"O samba, como conhecemos atualmente, tem origem afro-baiana, temperado com misturas cariocas. Nasceu da influência de ritmos africanos, adaptados para a realidade dos escravos brasileiros e, ao longo do tempo, sofreu inúmeras transformações de caráter social, econômico e musical até atingir as características conhecidas hoje.

O gênero, descendente do lundu (canto e dança populares no Brasil do século XVIII), começou como dança de roda originada em Angola e trazida pelos escravos, principalmente para a região da Bahia. Também conhecido por umbigada ou batuque, consistia em um dançarino no centro de uma roda, que dançava ao som de palmas, coro e objetos de percussão e dava uma ''umbigada'' em outro companheiro da roda, convidando-o a entrar no meio do círculo.

Com a transferência, no meio do século XIX, da mão-de-obra escrava da Bahia para o Vale do Paraíba e, logo após, o declínio da produção de café e a abolição da escravatura, os negros deslocaram-se em direção a capital do país, Rio de Janeiro.

Instalados nos bairros cariocas de Gamboa e Saúde, eles dariam início à divulgação dos ritmos africanos na Corte. Eram nas casas das tias baianas, como Amélia, Ciata e Prisciliana, que aconteciam as festas de terreiro, as umbigadas e as marcações de capoeira ao som de batuques e pandeiros. Essas manifestações culturais propiciariam, conseqüentemente, a incorporação de características de outros gêneros cultivados na cidade, como a polca, o maxixe e o xote. O samba carioca urbano ganha a cara e os ritmos conhecidos."

e traz este quadro:

RADIOGRAFIA DO SAMBA, segundo Mário de Andrade:

Estilos que influenciaram o gênero:

Samba: Dança de salão ou de roda acompanhada de canto e dançarinos

Lundu: Canto e dança muito populares no Brasil do século XVIII originária dos escravos de Angola

Maxixe: Canto e dança populares no país no final do século XIX e início do XX. É uma mistura da habanera e da polca

Modinha: Canto de salão conhecido tanto no Brasil quanto em Portugal

Choro: Formado por pequenos grupos de instrumentos solistas


esta é a fonte:
http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EDG67538-5856,00-A+H...
muito bem lembrado, cláudia.

e eu vou fazer uma homenagem a carmem miranda, num vídeo que dizem, raro! (bom, acho que agora nem é mais... caiu na rede, dançou!)

RSS

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço