Inspirada, e até comovida, por dois vídeos de e sobre Clara Nunes, postados pelo Fernando Luiz na minha página e por um post de Adriano Ribeiro, colocado em destaque pelo Nassif, acho que a gente bem que poderia montar um retrato com elementos da história do samba, das suas origens e dos registros mais significativos que ainda se mantém preservados (como o jongo, o samba de roda), além daqueles registros e intérpretes que denunciam a grande beleza deste ritmo que tão bem interpreta a alma nacional.

 

 

 

 



E aqui a prova de que ele é eterno:

Exibições: 2417

Responder esta

Respostas a este tópico

Claro que valem. Reproduzindo o que já foi mostrado:

resolvi dar uma espiadinha e encontro o ricardo miguel fazendo uma visita. que bom. seja muito bem vindo, seu moço!

enquanto espio, ouço seu mp.triste, né?

e, ene, não conhecia a ana paula da silva. fiquei encantada e descobri que você já tinha feito a apresentação da moça na sua página. e eu nem vira! realmente, um encanto: timbre lindo, afinadíssima e graciosa. uma beleza, realmente.

e deixo esta lembrancinha aos que insistem em sambar. lembrei dela ontem quando se falava no (triste) aniversário da cidade, quando um massacre rondava a cidade...

É... meu samba não faz motim, por isso eu canto o samba assim...

http://www.4shared.com/mp3/ElbNVpCR/beth_carvalho_-_Da_Melhor_Qual....

Ricardo, sempre acho que a gente negligencia a grande contribuição da beth carvalho na formação do nosso cenário musical. taí, mais uma vez, ela devidamente lembrada...

mas, nem era isto que eu queria dizer, não... é que não vira esta sua contribuição aqui. valeu!

o que eu queria mesmo dizer era isto (ainda que eu saiba que cão que late, não morde...)

longe de motim e perto da poesia que o carnaval inspira... aos que ficam longe da zoeira:

Clássicos na avenida:

O Mundo Encantado de Monteiro Lobato, enredo da Mangueira em 1967; aqui mostrado em dois tempos, pela mangueirense Rosemary e pelos Cinco Crioulos (Elton de Medeiros, Jair do Cavaquinho, Mauro Duarte, Nelson Sargento e Anescarzinho do Salgueiro).


Ano inesquecível com Jamelão, Mangueira canta, Caymmi mostra ao mundo o que a Bahia tem e a Mangueira também.

Tem xinxim e acarajé,
Tamborim e samba no pé. (bis)

Mangueira.
Mangueira vê no céu dos orixás
o horizonte rosa, no verde do mar
a alvorada veste a fantasia
pra exaltar Caymmi e a velha Bahia ô,ô,ô

Quanto esplendor
nas igrejas soam hinos de louvor
e pelos terreiros da magia
o ecoar anuncia um novo dia
nessa terra fascinante
a capoeira foi morar,

o mundo se encanta
com as cantigas que fazem sonhar (bis)

Lua cheia... lua cheia
leva a jangada pro mar
Oh! sereira
como é belo o teu cantar
das estrelas a mais linda tá no gantois
mangueira, berço do samba Caymmi a inspiração
que mora no meu coração,
Bahia terra sagrada
De Iemanja Iansã,
Mangueira super campeã

Puxa, N, raramente entro neste tópico, e me deparo com este presente, o samba-enredo sobre Lobato. Obrigadíssima. O refrao final do samba eu usei como epígrafe de um capítulo de um livro meu sobre Lobato. 

Rosemary ao vivo é ótima! Abre alas para a Colombina Verde e Rosa.

Clássicos da avenida 2:

Heróis da Liberdade, o Império Serrano desfila em 1969, canta a liberdade logo após o AI-5 e os acontecimentos de 1968:

"Já raiou a liberdade
 A liberdade já raiou
 Essa brisa que a juventude afaga
 Essa chama
 Que o ódio não apaga pelo universo
 É a revolução em sua legítima razão"








Os sertões, samba-enredo da Escola de Samba Em Cima da Hora, de 1976, de Edeor de Paula Machado.


não me surpreende sua contribuição, ene.

mas assim: tu abriste o carnaval e eu venho de quarta-feira de cinzas...

o final do vídeo emociona. não sei quem fala. vianninha ou autran?

Do Vianninha, confere o timbre:

RSS

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço