O silêncio obrigatório dos funcionários públicos paulistas. II

O silêncio obrigatório dos funcionários públicos paulistas.


Liberdade de expressão no Funcionalismo Público Paulista:


Mesmo após mais de 20 anos do fim da ditadura e da promulgação da constituição de 88, os funcionários públicos de São Paulo continuam a mercê de regras cerceadoras de seus direitos, sendo que o principal deles, o direito a livre expressão do pensamento, não pode ser exercido, pois são ameaçados ou mesmo punidos por se manifestarem. Qualquer forma de expressão que diferir do pensamento do Palácio dos Bandeirantes e das instituições públicas estaduais é sujeita a punição. Não há liberdade para que possam expressar opiniões, fazer críticas ou dar sugestões, ou mesmo poderem demonstrar a população os problemas e a realidade vivida pelas instituições públicas paulistas, com transparência e verdade, para que a população possa conhecê-las melhor, e assim poderem ter condições de exigir uma melhor prestação do serviço público, baseado no conhecimento técnico e transparente expresso pelos funcionários.
Os funcionários públicos paulistas estão proibidos de se manifestar sobre qualquer assunto que se refira as instituições em que trabalham, bem como ao governo do estado, sendo que não podem se expressar, nem mesmo como cidadãos comuns, pois caso sejam identificados, são ameaçados e punidos com sindicâncias.

PS: Mais uma sindicância por expressar opinião. Eis nossa ditadura!

Exibições: 68

Responder esta

Respostas a este tópico

Foram 16 anos de PSDB em São Paulo, onde o servidor público foi desprestigiado, desvalorizado e até mesmo agredido, quando reivindicava seus direitos. O Governo do estado de São Paulo, encabeçado pelos governadores do PSDB, pouco fizeram de concreto pela população do estado, ou melhor, se preocuparam em gastar mais em propaganda do que em saúde, segurança e educação, bastando ver que os verdadeiros índices de criminalidade estão cada vez maiores (não se enganem com mentiras), bem como a polícia está desmotivada, com os piores salários pagos no país e acuada pela atuação discriminatória exercida pelo estado aos seus membros, bem como a saúde, que não consegue atender bem a população pela falta de investimentos em infraestrutura, e pelos baixos salários que são pagos aos seus profissionais, além do total abandono na política de combate às epidemias, o que é claramente demonstrado nos índices da dengue em nosso estado (no resto do Brasil os índices ficaram muito abaixo), mostrando o total descaso do governo do estado; por fim a educação, onde o governo instituiu que os estudantes devem ser aprovados independente de seu aproveitamento, bem como a falta de apoio e segurança que acompanham os professores da rede pública estadual, sem mencionar o óbvio, que é baixo salário atribuído aos professores (14º do Brasil), além do mecanismo ridículo de gratificação adotado para quase todo o funcionalismo público, e que priva os aposentados e pensionistas de uma melhor remuneração. Por todos estes fatos, é imprescindível que empunhemos a bandeira da mudança, pois se São Paulo continuar nas mãos destes políticos neoliberais (PSDB e DEM), a população sofrerá cada vez mais pelo abandono e continuará sem poder contar com uma boa educação, um bom atendimento na saúde e também continuará a viver com medo de sair às ruas.

RSS

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço