Estamos na reta final do Brasileirão. A coisa está feia para o lado de alguns clubes. Sem o poder de interferir no comando tecnico, para bolar estratégias e criar jogadas vencedoras, só resta aos torcedores, recorrer aos santos rezando fervorosamente. Apesar de sermos um estado laico, todos os torcedores têm a sua devoção e também os jogadores, como vemos sempre que algum faz um gol. Ele ergue os braços ou faz um sinal da cruz, agradecendo, como se o Onipotente torcesse para o time dele e tivesse dirigido a bola para as redes adversárias. Pode até ser que algum dos intermediários la de cima, tenha um time preferido, mas duvido que tenham poder de interferência. Se assim fosse, João Paulo II, recentemente beatificado, não teria deixado o Fluminense perder para a LDU e São jorge não teria deixado o Corinthians ser Toliminado. Sem dizer que lá na Bahia, por obra de Ogum, Oxossi e até Exu haveria sempre empate. Mas como vivemos,-- em todo o universo  por obra do próprio criador -- em um sistema capitalista, quem manda é o dono. E o dono, o Supremo Arquiteto do Universo, não tem clube preferido, embora seja maluco por bola. Gosta tanto de bola, que criou este universo aí, com milhões e milhões de esferas girando pelo céu, descrevendo parabolas, elipses, hipérboles e até “folhas secas”. É um Didi na vida.

       Oração do vascaino: Ó minha santíssima nossa senhora de Fátima! Tá lá? E meu querido santo Antônio? Tá lá, oh pá? Por tudo que me é sagrado, ajudem aqueles friorentos catarinenses do Figueira dar um cacete no Corintia. Ajuda o velho Almirante galgar a colina. Mandai os urubus pro quinto dos infernos, abençoai o Dedé e livrai-nos do Fred e do estigma de ser vice, amem.

       Oração dos figueirenses: Milagrosa Santa Catarina, assim como nos tendes livrado sempre das enchentes, livrai-nos também da lança de São Jorge e transformai-nos num feroz dragão, para que possamos, como os líderes Bornhauzen fazem com os nossos, foder a vida dos operários paulistas,

representados por aquele timinho que chamam de timão.

       Oração dos corintianos: Ô meu São jorge, ajunta aí com nosso senhor Jesuscristim e ajude nós arrazar de vez aqueles catarinenses que acham que conseguem viver debaixo d'agua que nem nós e livra o nosso timão de morrer na praia mais uma vez. Para completar, se a gente for campeão, dê saúde e vida para os nossos arautos, Neto, Osmar de Oliveira, Ronaldo, Chico Lang e todos aqueles comentaristas chatos e puxa-sacos que vivem xingando nossos jogadores de craques e o Andres Sanches de honesto.

       Oração dos flamenguistas: Queridos Oxossi e Ogum, unam suas forças e tirem a gente do fundo. Nem que seja no quinto, pra gente ir pra libertadores porque o Vasco e o Flu estando la e nós não, a coisa fica feia. Vão gozar tanto na gente que vamos ter que acionar o Comando Vermelho e despachar fogo nuns “bacalhau” por aí. Vê aí vocês dois algum despacho ou mandinga e livra nossa cara desse vexame e para o ano que vem, livre-nos do R10 e do Luxemburgo, amem.

       Oração dos colorados: Bah! Meu sacizinho querido! Vê se influencia aí os fados, para que a gente possa meter o sarrafo naquela urubuzada, pra ver se nos cheguamos na libertadores. Se possível da uma rasteira naquele Ronaldinho dentuça, que chamam de gaucho mas que não é tão macho assim não tchê. E tomara que o Grêmio apanha os dois últimos jogos.

       Oração dos tricolores cariocas, os legítimos: Senhor Deus dos sofredores, senhor Deus dos infelizes. Sede generoso e dai consolo aos torcedores dos demais times, fazei com que o sofrimento deles seja leve. Continuai honrando e exaltando os filhos vossos. Obrigado pelo título, amem.

 

Exibições: 370

Responder esta

Respostas a este tópico

E eu aqui, Sr. Euripedes:
Meu querido Buda! Dê uma barrigada nos mexicanos fazendo com que o meu PEIXE chegue até a final aí na terra docêis. Depois tomamos um saquê, meu gordinho.

Eurípedes meu santinho Saci é forte. Coseguimos. Foi dureza, mas valeu.

RSS

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço