Portal Luis Nassif

Os R$ 4 milhões que sumiram em 2010 foram uma “bolinha de papel”?

O sumiço de R$ 4 milhões que balançou a campanha de 2010

Um assunto mexeu com a campanha eleitoral de 2010: o sumiço de R$ 4 milhões da campanha de José Serra. A acusação, segundo matéria da revista 'Isto É' recaíram sobre o ex-diretor do Dersa, Paulo Vieira de Souza, vulgo ‘Paulo Preto’, que na época era responsável por arrecadar recursos para a campanha de Serra (1). O dinheiro que sumiu teria sido arrecadado de “grandes empreiteiras”. Ainda, segundo a matéria, “os R$ 4 milhões seriam referentes apenas ao valor arrecadado antes do lançamento oficial das candidaturas, o que impede que a dinheirama seja declarada, tanto pelo partido como pelos doadores”. A matéria ainda menciona as dificuldades de se recuperar o dinheiro: “Como se trata de dinheiro sem origem declarada, o partido não tem sequer como mover um processo judicial”. Na época, em debate com Serra na TV Bandeirantes, Dilma chegou a cobrar explicações do seu adversário, o que causou alvoroço nos bastidores (2).

Os R$ 4 milhões devolvidos por Paulo Preto

Em matéria do dia 18/04/2017, o jornal Folha de São Paulo reportou que um dos delatores da Odebrecht, o executivo Luiz Eduardo Soares, teria dito em depoimento que Paulo Preto devolveu R$ 4 milhões para a empresa (Odebrecht) em 2010 (3). Posteriormente, este dinheiro foi convertido em dólares, no valor de US$ 2 milhões na época. Segundo a Folha, este dinheiro “teria sido depositado para José Serra em conta no exterior do empresário Jonas Barcellos, dono do grupo Brasif". A título de curiosidade, esta empresa, então concessionária do governo federal (FHC), teria sido a responsável por pagamentos mensais em dinheiro (supostamente por meio de contrato fictício) para a ex-jornalista da Globo, Miriam Dutra, viver na Europa junto com o filho que ela alega ser fruto de uma relação com FHC (4). Voltando à matéria da Folha... No que tange à “devolução” dos R$ 4 milhões de Paulo Preto, o jornal diz que, “a rigor, segundo o delator, não foi uma devolução, mas sim uma troca, já que o mesmo valor teria sido pago no exterior”.

O caso "bolinha de papel"

Na campanha de 2010, ficou célebre o caso da “bolinha de papel” que levou José Serra ao hospital, com a Globo, com sua exímia arte da manipulação, fazendo um grande escarcéu da “agressão” sofrida pelo então candidato – farsa que foi fulminantemente desmascarada pelas próprias emissoras de TV concorrentes da Globo (5). A partir de então, o termo “bolinha de papel” fatalmente colou no candidato Serra, virando bordão para o que a gíria futebolística chama de “fazer fita”, ou seja, quando um jogador, recebendo uma entrada faltosa do adversário sem violência, cai no chão e simula ter sofrido uma agressão.

Fica a pergunta no ar: será que o alegado sumiço dos R$ 4 milhões de 2010 não teria sido uma versão da “bolinha de papel”?

Fontes:

1- O sumiço de R$ 4 milhões da campanha de José Serra em 2010

http://istoe.com.br/95231_UM+TUCANO+BOM+DE+BICO/

2- Em debate, Dilma questionou Serra sobre o sumiço dos R$ 4 milhões

http://www.viomundo.com.br/politica/terra-homem-bomba-do-psdb-e-nov...

3- Serra recebeu via operador por obra do Rodoanel, afirma delator

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2017/04/1876415-serra-recebeu-vi...

4- Mirian Dutra fala da Brasif, do DNA, da Globo etc. Por Joaquim de Carvalho

http://www.diariodocentrodomundo.com.br/exclusivo-como-mirian-dutra...

5- A farsa da bolinha de papel

http://jornalggn.com.br/noticia/bolinha-de-papel-a-farsa-politica-d...

Exibições: 85

Responder esta

Publicidade

© 2017   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço