Segunda-feira, 2 de Março de 2009

Amigos, acabei de assistir o Jornal Nacional e resolvi escrever o que analisei de uma matéria sobre o MST e o Governo Lula. Vai lá:

Plim, Plim!


O CASAL BONNER E OS CRIMINOSOS SEM TERRA!


Sobre o caso da ocupação da fazenda de Daniel Dantas eles dizem:



* Dantas é um dos sócios da fazenda, não dono.

* Omitem que a fazenda está situada em Eldorado do Carajás, região de conflito e de massacre de sem terras.

* Pegam um caso isolado, de outra região, onde integrantes do MST são acusados, mesmo não havendo provas contra eles, de matarem seguranças de uma fazenda, e tentam colar uma matéria na outra.

* A intenção é sensibilizar a população contra o MST. É deixar uma mensagem subentendida segundo a qual os militantes desse movimento são criminosos. É macular o governo.

* Entrevistam o Ministro Tasso Genro que afirma não haver aumento da violência por causa desse suposto crime e nem por causa da ocupação. O ministro diz que o Estado deve apurar os crimes quando provocado.

* Reproduzem a entrevista do sábio Lula, que diz que não podemos admitir que matem quatro pessoas com o pretexto da legítima defesa ("e não podemos mesmo"). O Presidente afirma que a justiça deve apurar então as responsabilidades. ("Isso já está sendo feito").

* O casal omite as centenas e milhares de mortes de trabalhadores nos campos do Brasil, nas útimas três décadas, a maioria delas nunca divulgadas no Jornal Nacional.

* De uma forma tão pura, ingênua e despropositada tentam criar na população a sensação que há uma divisão entre Presidente e seu ministro, no caso o Tasso. Tentam manchar o governo.

* O casal global tenta assim, não por eles mesmo mas pelo Senhor das Trevas (diretor de jornalismo da Globo), causar o sentimento de indignação na população do tipo: olha aí um Ministro acobertando crimes.

* O casal procura descolar da matéria e do caso o pivô dessa ocupação da fazenda do Dantas, o Gilmar Mendes. A invasão ocorreu em protesto contra os comentários do Nobre Ministro, presidente do STF.

* O casal trata Daniel Dantas como um honroso cidadão e não como um bandito condenado pela justiça. Caso fosse um dos seus inimigos (petistas, militantes de esquerda, sindicalistas, membros de movimentos sociais...), mesmo não havendo provas ou crime, já estariam condenados.

Eles conseguem sim convencer tantas pessoas simples, sem formação. Pessoas outras que renunciaram, ou nunca se dispuseram a usar por conveniência, a criticidade da própria mente.


OBS: Caso queira ver o restante da discussão entrem em:

www.professorrailtonsouza.blogspot.com

Boa noite!

Exibições: 385

Responder esta

Respostas a este tópico

A-DO-REI, por acaso, esta ave, assistiu, e concorda com tudim, tudim...

Legal, adorei sua resposta. Estou rindo sosinho. Bacana mesmo.
É, uma coisa precisamos mesmo nesse país: muito bom senso. Já chega de admitir tanta mentira e enganação. Chega de tanto cinismo midiático, chega de tentarem nos fazer de anencefalos.
Sim, o Dantas é isso mesmo!
Sim, em qualquer instituição humana encontramos sacanas, também nos movimentos sociais.
Não, não conheço o Zé Rainha tão profundamente quanto você para julgá-lo assim.
Sim, essas mortes são mortes mesmo, alguém as cometeu.
Sim, azar é o do casal Bonner que aceita essas ordens do Ratziger ( vulgo Senhor das Trevas).
Não, não devemos atirar pedras, devemos desvelar o que está velado nesses jogos de linguagem midiáticos.

Obrigado pela resposta e pela instituição de um debate salutar. O dissenso é fundamental.
Guará, Guará, te cuida
como você me diz sempre, esses pezinhos têm poder....
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
essa história de obedecer ordens cegamente nunca deu certo, por exemplo, só lembro dos nazistas em Nuremberg declarando isso:
"apenas cumprimos ordens"
É verdade. Não há uma força sobrenatural, natural ou fisocrática que sobre nós se impõe, sem nossa escolha.
Concordo com Sartre: somos condenados à liberdade. Culpar os outros por nossas escolhas é, no mínimo, má fé.
Podemos sim dizer não, transgredir e, é claro, topar as consequências da escolha. Debaixo da nossa pele, estamos nós, mais ninguém.
Ninguém pode nos aprisionar caso não permitamos. Mesmo trancafiados, sob grilhões, podemos ser livres; e ainda muito mais quando não há grades físicas, mas só mentais.
O exercício dialético, a instituição do debate, é um imperativo nesses dias de anencefalia gerneralizada. De afirmação do mesmo, de medo, de covardia.
A rebeldia, a guerrilha de idéias, é o caminho certo para que cresçamos como indivíduos e como sociedade.

Você sempre magnífica!
Railton, é mesmo um prazer te conhecer.
Guara, boa tarde !!

Apenas um comentário, cumprir ordem apenas é muito medíocre !! O que ocorre é as pessoas estão vendendo a ética e seus valores por muito pouco.
Não basta apenas cumprir ordens, ou atirar a primeira pedra que não as cumpre. Eu cumpro prdens, desde que elas façam sentido, caso contrário argumento e se no final for algo que fere minha maneira de pensar agir diretamente, saio fora.

Flavio nascimento
POVO CONFUSO SEMPRE SERÁ VENCIDO \o/

Ave Linda! Estás coberta de razão. Até quando perguntaremos que país é este?
Se o querido Renato ainda estivesse conosco, estaria "ainda" fazend a mesma pergunta.

Beijos
Sol
Soledad... Que saudade do grande Renato!
Railton,

Saudade é pouco. Além de ter tido uma ótima banda, era acima de tudo um poeta bem contemporâneo.

Sol

RSS

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço