Segunda-feira, 2 de Março de 2009

Amigos, acabei de assistir o Jornal Nacional e resolvi escrever o que analisei de uma matéria sobre o MST e o Governo Lula. Vai lá:

Plim, Plim!


O CASAL BONNER E OS CRIMINOSOS SEM TERRA!


Sobre o caso da ocupação da fazenda de Daniel Dantas eles dizem:



* Dantas é um dos sócios da fazenda, não dono.

* Omitem que a fazenda está situada em Eldorado do Carajás, região de conflito e de massacre de sem terras.

* Pegam um caso isolado, de outra região, onde integrantes do MST são acusados, mesmo não havendo provas contra eles, de matarem seguranças de uma fazenda, e tentam colar uma matéria na outra.

* A intenção é sensibilizar a população contra o MST. É deixar uma mensagem subentendida segundo a qual os militantes desse movimento são criminosos. É macular o governo.

* Entrevistam o Ministro Tasso Genro que afirma não haver aumento da violência por causa desse suposto crime e nem por causa da ocupação. O ministro diz que o Estado deve apurar os crimes quando provocado.

* Reproduzem a entrevista do sábio Lula, que diz que não podemos admitir que matem quatro pessoas com o pretexto da legítima defesa ("e não podemos mesmo"). O Presidente afirma que a justiça deve apurar então as responsabilidades. ("Isso já está sendo feito").

* O casal omite as centenas e milhares de mortes de trabalhadores nos campos do Brasil, nas útimas três décadas, a maioria delas nunca divulgadas no Jornal Nacional.

* De uma forma tão pura, ingênua e despropositada tentam criar na população a sensação que há uma divisão entre Presidente e seu ministro, no caso o Tasso. Tentam manchar o governo.

* O casal global tenta assim, não por eles mesmo mas pelo Senhor das Trevas (diretor de jornalismo da Globo), causar o sentimento de indignação na população do tipo: olha aí um Ministro acobertando crimes.

* O casal procura descolar da matéria e do caso o pivô dessa ocupação da fazenda do Dantas, o Gilmar Mendes. A invasão ocorreu em protesto contra os comentários do Nobre Ministro, presidente do STF.

* O casal trata Daniel Dantas como um honroso cidadão e não como um bandito condenado pela justiça. Caso fosse um dos seus inimigos (petistas, militantes de esquerda, sindicalistas, membros de movimentos sociais...), mesmo não havendo provas ou crime, já estariam condenados.

Eles conseguem sim convencer tantas pessoas simples, sem formação. Pessoas outras que renunciaram, ou nunca se dispuseram a usar por conveniência, a criticidade da própria mente.


OBS: Caso queira ver o restante da discussão entrem em:

www.professorrailtonsouza.blogspot.com

Boa noite!

Exibições: 385

Responder esta

Respostas a este tópico

Railton,

Desgraçadamente neste país, as Organizações têm um poder imensurável. Igual ao câncer da sociedade brasileira, chamado Daniel Valente Dantas. Essa dupla é infernal, no mais amplo sentido.

Encontraram ainda, um Gilmar para nos achincalhar como povo e Nação. Nos humilhar em nossas Insituições e Carta Magna, com seus desmando e conchavos espúrios. São como ratos de esgoto. Mordem e vivem nas sombras.

O casal Bonner é lamentável. Aliás, me causa sempre um certo desconforto assisti-los. Sabe, aquela náusea...Indignação e outras coisas mais... Acham que todos no Brasil tem QI amebiano... Mas faz parte.

Quanto a manter o povo nessa letargia intelectual, é o caminho usado pelos nossos pseudos políticos(?) e dirigentes.
Alguma coisa como dar pão e circo ao povo. Daí sempre estarem confabulando para manchar o governo, seja ele qual for, o importante para a turma do torce contra é retaliar, azedar as coisas. Eles são todos estrangeiros. Párias...

Enquanto não houver a conscientização cívica/política, ainda teremos que tomar muitos anti-ácidos...
E torcer para não perfurarem as úlceras...

Mas não desista de ver o Brasil mudado, e lute da melhor maneira que possa. Não desistir é a melhor arma.

Abraço
Soledad
Soledad, boa tarde!

É grande a satisfação que tenho ao ler seu comentário. É certo que não queremos ser a régua do mundo, donos da verdade, reformadores idealistas-hegelianos do mundo. Queremos apenas que nos respeitem. Queremos que não nos aviltem em nossa inteligência. Parem com esse jogo midiático barato que irrita até mesmo a mídia de outros países.
É só bom senso que queremos, bom senso. "Bom senso é a coisa do mundo melhor partilhada", afirmava René Descartes no início do Discurso do Método.

Abração afetuoso,

Railton
Railton,

Satisfação para qualquer um é ser recebido assim! Obrigada pelo carinho. Aceitas minha amizade? rsrsrsr
Tens razão quanto a nos sentirmos aviltados constantemente. E isso independe do meio usado para nos atingir. O importante sempre é protestar, reivindicar, adquirir e fazer nossos direitos prevalecerem. Como soy do contra rsrsrsr

um abraço
Sol (Sol é como os amigos me chamam)
Meu caro, como você é contundente! Fala com propriedade, pontua bem. Estabelece um paralelo interessante entre Bolívia e Brasil. Em 2005 quando seguia para Machupicchu, quase não consegui continuar a viagem por causa dos chamados "Páros". A instabilidade que marcou os últimos governos bolivianos é impressionante. Saía presidente, entrava presidente. Não permaneciam, às vezes, seis meses no poder. Esse cocaleiro que estava por detrás das paralisações em La Paz à epoca, foi quem quase me impediu de chegar ao paraíso perdido dos Incas.
Penso que são realidades distintas. O Brasil, debilmente, conquistou essa frágil democracia e parece que um pouco mais estável que dos andes orientais.
Lula chegou ao poder no seu primeiro governo quando todos faziam apostas, você deve se lembrar, segundos as quais a bancarrota seria geral, calotes viriam, o não cumprimento de contratos, os confiscos, os movimentos sociais badernando... e muito mais. Lula teve que fazer juras públicas e quase pactos com deus e o diabo para ser aceito.
Gosto quando você traz a discussão para o seu foco político central, ainda que creio não podermos separar mídia (aparelho de estado) do próprio estado. Estão ligados, é claro, numa relação incestuosa. O que ocorre é que para essa mídia (voz das oligarquias que você nomina) é inadmissível que o projeto agora reivindicado na sua argumentação - um país que institua reformas, que siga aí o exemplo de outros presidentes que estão implementando isso - seja minimante implementado.
O que ouço dia após dia, é a reprodução de um discurso midiático (partindo muitas vezes dos veículos do eixo Rio-São Paulo) que não fica satisfeito com o mínimo passo que esse governo ensaie na direção do que você diz.
Infelizmente, não podemos descartar e diminuir assim o debate sobre as mídias, o povo (pobre e sem esclarecimento) forma opinião é mesmo por meio do grande veículo (MCM).
Ainda assim, concordo com você. Com a coerência do seu raciocínio. Lula fez uma opção social democrata, preferiu dar continuidade ao economicismo da era FHC, fortalecendo tão somente os programas sociais, que inclusive já existiam também lá atrás. É o governo dos banqueiros e vermes especuladores. As migalhas são destinadas aos pobres, ainda assim muito satisfeitos. Em geral a eles não é destina nem a migalha.
É bem verdade que Lula sempre foi um social democrata, sempre repudiou as experiências do socialismo real, que conheceu ainda como sindicalista. Ingênuos aqueles que acreditaram em algum momento que grandes reformas viriam do primeiro ou segundo governo Lula.
O que está em franco processo agora é a corrida pelo poder, a sucessão presidencial. E é a mída aquela que prepara, endireita, aplaina os caminhos dos seus representados para essa conquista.
De Lula nunca esperei mudança estrutural alguma. Mas quem sabe podemos dar um guinada à esquerda no próximo governo e realizar seus sonhos.

Gostei muito da sua contundência. Sentar à uma mesa de bar, com uma bebida gelada à mesa, exercitar a arte da dialética, tratando desses temas seria mesmo bacana. Foi o calor desses dias que provocou dizer isso.
.......,


Estou aqui com o PC no colo, escrevendo e vendo, na TV, um debate entre Caiado e Rosinha, deputados federais. Eles discutem o caso do MST, tão alardeado pela Globo nesses dias. Enquanto dialogamos aqui, milhões ouvem agora Caiado afirmar que o MST são as FARC brasileira.

Estão noticiando também, na TV, que o Collor de Mello acabou de assumiu a presidencia da comissão de infraestrutura, tão importante em tempos de PAC.

Semelhantemente a você, penso que governo sem pressão popular, sem dissenso e oposição não vai prá frente. Todavia, é bem verdade que nossa oposição é um fracasso. Não tem agenda propositiva, não tem iserção nas bases, está paralisada diante dos 86% de popularidade do Presidente.

Penso que a natureza dessa Comunidade, criada por um Jornalista, que teve problemas com a grande mídia ( no caso recente da TV Cultura de São Paulo) é ser mídia inteligente. Aqui discutimos as mídias, suas intenções, problemas e jogos.

É certo que discutir a matéria pela matéria, não tem sentido. Devemos avançar para o trato das idéias, concepções. São elas que regem o mundo. São as idéias-conceitos que estão nas bases de todas as grandes revoluções históricas. A Comunidade do Nassif é um mída alternativa, não dá prá prescindir isso. Vamos tratar conceitos, eles podem sim mudar pessoas, sejam elas da oligarquia A ou B, da classe B ou C.

Concordo que a política de juros do BC, tolerada e aceita pelo governo, é nefasta. Só benefia os vérmes especuladores e os banqueiros. O governo poderia sim mudar isso e muito mais. Há que se afirmar isso em bom tom.

Quando falei da mesa do bar não queria diminuir essa discussão ou suas idéias, nem tão pouco ignorar o momento histórico atual e sua importância. Bar para mim é coisa séria, mais séria que tantas outras instituções sociais.

Boa noite.
Pois é... pois é... No fundo você é que tá certo.

Outro abraço!
Railton, vc viu a declaração da pastoral da terra?
Essa igreja é assim mesmo: hoje uma declaração de apoio aos deserdados da terra, como dizia florestan fernandes, ontem querendo excomungar o médico que fez o aborto da menina grávida, estuprada pelo padastro.
por falar em casal the globe, acabo de lembrar que, quando o roberto marinho morreu, este bonner deu a noticia EM PRANTOS, AO VIVO E EM CORES.
e também disse, em palestra com professores de jornalismo, que o espectador do JN é o perfil daquele cara do desenho americano, que esqueci o nome, mas alguem lembrará.
um professor botou a boca no trombone, deu pano pra manga e foi ótimo!
Não, não vi não. Pode enviar para mim? Mas é muito complicado mesmo esse caso! Penso que o bispo de Olinda deveria antes excomungar estupradores e pedófilos, aos milhares fora e até dentro da Mater Ecclesiae. No caso dessa menina, os estupros perpetrados pelo padrasto começaram quando ela tinha apenas 6 anos de idade. Uma anomalia que não ocorre nem entre animais ditos irracionais. Assustadoramente, em nome de vidas vindouras, a Igreja deixa de defender (agindo) assim a vida aí pisoteada, maculada, violentada, marcada e traumatizada. "Esquece", como em tantas vezes e vários momentos históricos, o que próprio Cristo (sinal de contradição no mundo, segundo ele mesmo) disse:"É melhor uma pessoa amarrar uma pedra de moinho ao pescoço e se lançar no fundo do mar do que escandalizar uma criança". O referido bispo de Olinda, que mau ocupa a Cátedra do combativo Dom Hélder, tenta ser um tomista, mas pobre e carente de capacidades intelectuais não consegue honrar nem mesmo o intitulado Doutor Angelicus medieval. Deveria, no mínimo, eleger assessores para falar ao público e não expor a si e tantos milhões, que nesse país, ainda afirmam-se católicos a esse opróbio. Dom Hélder deve estar revirando-se na sua esquife.
Só para tranquilizar você: acabo de receber o manifesto da CPT. Valeu.
Prezado Railton:

Note que crime houve, porque pessoas foram mortas. No entanto, responsabilizar todo o MST (ou integrantes do MST) antes de uma investigação e do devido processo legal é ato que ofende o patrimônio jurídico dos ofendidos e estremece os alicerces do Estado Democrático de Direito.

A grande mídia empresarial sempre age assim, em nome da liberdade de imprensa, que considera absoluta.

Penso que devemos rejeitar esse procedimento (não o princípio da liberdade de imprensa, mas sua absolutização), em nome do Estado Democrático de Direito. E devemos rejeitar essa ação mesmo que o ofendido da vez seja nosso adverso político.

Um abraço, Charles
Charles Leonel, boa noite.

Concordo contigo. Não podemos aceitar sob prextexto ou alegação alguma, de quem quer que seja, o prejuízo do Estado Democrático de Direito. Como bem afirmou você os MCM ( meios de comunicação de massa) são impresas empresariais e defendem assim uma "liberdade de imprensa" restrita a esse universo. Não vejo uma defesa de uma liberdade de expressão como valor absoluto. O que fazem é um discurso cínico. O que defendem é um discurso, subproduto ideológico, que enverniza o que são de fato: autoritários e reacionários. O recente episódio do editorial da FSP(folh de São Paulo) que qualificou a ditadura brasileira como DITABRANDA, deixa isso claro. Esses veículos (MCM) brasileiros quando não foram gestados pelo Estado Autoritário, a ditadura, foram pelo menos por eles nutridos.
Admito como você que crimes houve e que as suspeitas primeiras recaem sobre os membros do MST. O que faço quando abro essa discussão é tentar desvelar os jogos de linguagem, demonstrar como a informação, despropositada, é previamente preparada para atingir objetivos também previamente pretendidos. Há quem diga a mim: você perde tempo assistindo jornal nacional? Respondo: esse não é o caso. O fato é que milhões de brasileiros ( inclusive centenas de alunos meus) ainda assistem. Estou aqui plugado nos mídias alternativas, mas também não posso deixar de observar o que a Grande Mídia anda plantando por aí. Não posso discutir somente Hegel em sala de aula, mesa de bar, ou na iternet, enquanto os jogos de poder, os discurssões que se pretendem hegemonicos estão em franco processo de difusão pelos AIR'S ( Aparelhos ideológicos de Estado) como afirmava o velho Louis Althusser. Como também pensava Foucault, o papel do intelectual não é libertar ou conscientizar niguém. É apenas dizer, falar, demonstrar como são constituídos os discursos de poder, a construção do estatuto da verdade.
Penso, Leonel, que a ditadura brasileira ainda está nos nossos poros. A nosso cidadania ainda é muito incipiente. Nosso povo e, a até, pessoas ditas esclarecidas, tem medo de discordar, criticar, participar do debate. Não temos noção do estrago que a ditadura brasileira causou nos psiquismo da nossa socieade. Somos subservientes e bonzinhos demais. Tudo em nome de consensos e da paz social. Nosso Estado de Direito precisa crescer muito no exercício da cidadania ativa. Há uma guerra velada, restrita a alguns milhares, pela manutenção dos consensos sociais, jurídicos, políticos e econômicas.
Afirmo tal qual você o valor do Estado Democrático de Direito ainda que, é verdade, tenhamos que defender o direito daqueles que estão legítimante defend

RSS

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço