Fico a imaginar a luta ,tantas vezes insana, de artistas anônimos por conseguir notoriedade, até que o primeiro contrato apareça.
Não raro ouve-se falar de fulano ou sicrano que vivia longe, pelos interiores, pelas periferias, sobreviventes da pobreza de lares comprometidos de violências daqui ou de qualquer lugar do mundo, pois muda o endereço mas a situação segue a mesma, e de repente, depois de angariar contatos mirambolantes, correr muito atrás de audiências, quase vender a alma, como a flor de lótus, beleza colhida do pântano, surge uma oportunidade e o talento irrefutável aparece, o mundo passa a admirar-se da voz, da performance, compra-lhe os discos, as peças, os filmes. E passados algum tempo, lá está a criatura naúfraga, no cais das drogas? Que teria acontecido, alguma má influência? O excesso de diversão? A falta de um orientador? Achar que não merecia aquilo tudo? Onde começa a derrocada de um talento na luta contra as drogas? Por que esforçou-se tanto para o sucesso ? O que terá acontecido? Por que vemos tantos casos assim?

Exibições: 125

Responder esta

Respostas a este tópico

Nina, acho que é despreparo psicológico, emocional frágil , base familiar sólida que leva aos excesos das celebridades.
Vejamos a conduta do Airton Senna, por exemplo. Se tornou o melhor piloto do mundo na sua época, ganhou milhões de dólares mas jamais se envolveu em escandalos, jamais se excedeu, muito pelo contrário...era um homem muito equilibrado. Penso que família equilibrada e cabeça boa é tudo na vida de qualquer pessoa, quanto mais aquelas que são levadas repentinamente á fama e riqueza.
Não julgo, tenho pena dessas pessoas, sofrem muito porque perderam todos os limites, não tem mais para onde ir...somente com muita força de vontade, muita disciplina, tratamento médico psicológico essas pessoas podem ser resgatadas.
Muito legal vc ter abordado esse assunto.
Um abraço.
Ganância e más companhia. Família ausente enquanto luta desesperadamente para obter o sucesso, o reconhecimento. Deslumbre. Mas, Graças a Deus, hj é a minoria q vai por esse caminho.
Pronto, resposta retirada.
Não se incomode mais com Zé.
Nina
Por quê? Porque são artistas!
A mesma sensibilidade que os leva a fama, os leva ao desastre. São pessoas especiais que sentem bem mais do que nós e por isto se tornam artistas. São pessoas que por sentirem muito mais estão sujeitas a depressão, a angústia e a visão do mundo muito mais complexa do que a visão que nós, pobres mortais temos. Aliado a isto eles chegam à fama não por uma elaboração intelectual, sistemática e dogmática, mas sim por instinto e quanto mais se expõe mais risco sofrem. Infelizmente é assim.
Nina, esse tema que vc aborda é de uma complexidade imensa. Tem muitos viezes para serem abordados.
TOXICOMANIA.
Muitos vivem do uso de drogas, outros vivem do usuário, do comércio, do seu contrabando (o comércio de drogas ganha mais que a renda per capta do Brasil); outros como co-adictos (não usam, mas dão a resposta que o usuário precisa); outros que se desviam de ajudar e, estes, certamente, devem ser compreendidos.
Como ajudar a quem não quer ser ajudado?
Como impedir os parasitas da adicção de fazerem as suas vítimas? Não seriam estas situações semelhantes ao comércio do controle da AIDS, da prevenção do CA, do atendimento à saúde pública totalmente boicotada?... E tantas outras coisas absurdas e grotescas que vivemos pertinho de nós?
Quando uma doença é na pele, sempre tem um "jeitinho", um "remedinho", mas essa doença é da alma, do espírito, e nem todos creem que seja um doença. Os meios de atendimento são tão estupidamente caros e os seus pacientes são tão imensamente entorpecidos em seu autofragelo e, as pessoas encegadas em sentir a dor do outro! E o que dizer do comércio desleal e perverso com o familiar que ainda tenta ajudar o seu adicto? Como apagar esse incêndio senão com uma gota de água do bico dum passarinho?
Há muitos que não tem familiares que o ajude!
Há muitos que já mataram o adicto antes mesmo dele se matar! (por vergonha, por não saber lidar com a situação);
Há muito que o mundo se desviou do ser! Ser gente, ser amigo, ser família, ser crsitão!
Há muito que já não sentimos mais a dor do outro!
Há muito que se morre por adicção ou por um tiro de bala perdida!
Mas há muito que ainda podemos fazer:
Você conhece um narcótico? Leve-o para um NA e vá para um NAR-ANON.. É um bom começo para tratar esta doença!
Um abraço, Nina!

RSS

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço