Prá Zezita, Lady Liz e Gunter... Amy Winehouse Soul & Soul

                

 

Pois se meu ano acabou com o IMENSO privilégio de assistir Sir Paul Mac Cartney saltitando aos 68 anos no Morumba, o ano não começa menos privilegiado prá Caboclita.

Sabadão, programaço com filha, Summer Soul Festival no Arena Anhembi (tucanaram o nome da área de concentração ou dispersão das escolas de samba do Sambódromo, mas então tá, Arena Anhembi e não se fala mais nisso..).

Obviamente a grande estrela, a mais esperada, era Miss Amy Winehouse, a menina de 27 anos, branca com voz de negra cantora de gospel, que muitos ficam como urubús em cima dos seus sofrimentos, a torcer para que uma overdose permita a nós nos tranquilizarmos, afinal somos "gente de bem", conosco e os nossos nunca...

Ou repetir:não disse??? Uma drogada imprestável...

Ou uma penalização hipócrita: tão novinha...

(Sem contar o espetáculo midiático que renderia)..

Pois bem sras e srs, Amy não precisa de nós, mas a música fica muito maior com ela.

É como zezita que faz esse mundo melhor com seus escritos, suas sensibilidades, sua língua ferina e ferida. Então, prá zezita porque é a minha Amy deste espaço, toda certa porque toda errada e vice-versa ao contrário...

Prá Lady por ter me ensinado que só a arte salva...

Prá Gunter porque a tolerância e liberdade de amar, por nós tão sonhada, estava presente..

E não foi só ela o motivo de minha emoção, também a música que antecedeu miss Amy: Janelle Monáe (excepcional), Mayer Hawthorne, Instituto ( o que menos gostei) e a dupla Miranda Kassin e André Frateschi- ótimos..

Também vcs 3 me vieram à mente porque apesar dos preços salgados impedirem a democracia REAL, estavam lá pacifica e harmonicamente um sonho nosso acalentado: gente de todas as tribos. Só faltou, milagrosamente a chuva, maravilhosamente substituída pela lua e céu estrelado...


Casais gays masculinos e femininos assumidamente se beijando, namorados hetero, gente mais velha, crianças, gente tatuada até a alma e gente careta, maria joana e cerveja, gente de todas as cores, japas e chinas, negros e branquelas como eu, gente bem e mal vestida, de tudo...


Música é tudo de bom e todos pareciam estar ali a celebrar a música e portanto a alegria de viver, nessa semana especialmente dura de estar feliz...

E, na saída, o que não vemos mais: as pessoas, cerca de 30 mil, tomando o lugar dos carros, ocupando o espaço público, andando no meio da rua, atrapalhando o tráfego que tanto nos atrapalha, se vingando do fechamento de mais um espaço - o Belas Artes -nessa cidade insuportavelmente individualista e claustrofóbica...

E, claro, lembrei pela inveja de não saber escrever tão bem como os 3, prá poder expressar melhor a emoção que senti...

Beijos a vocês e salut Miss Amy...

 



 

Exibições: 382

Responder esta

Respostas a este tópico

E num é que em pleno Sertão a danadinha tinha fã...

fiquei admirada.

E sem palavras...

eu tambem , descobri aos poucos.tão jovem quanto Hendrix, Joplin ,Morrison, e tantos outsiders

psé, a filhota que sabe que eu curto soul e jazz me apresentou o disco back to black, foi amor à primeira escuta...

O disco já era o segundo dela e deve ter uns 6 anos, então ela tinha 21...

dureza, como diz Simone, na minha idade morrer aos 27 é um escândalo...

 

esses grandes talentos quando se vão, nós que os amamos sempre sentimos, mas ficam eternamente, essa a nossa vingança contra os moralistas de plantão

vero..

De quem meu filho roqueiro é fã (fora a beatlemania..): Hendrix, Joplin, Morrison...

Entre outros que estão na estrada ainda, claro.

E tem 14 anos de idade...

Não só com relação a essa cantora Amy Winehouse, mas a quase todos os gringos especialmente os que vizitam o Brasil e aqui defecam no Governo e em todos nós como centenas deles e mais recentemente o que fez a cantora mexicana Glória Trevi, tenho  verdadeira antipatia, repúdio e asco a essa cultura americanizada que toma conta da mentalidade de nossos compatriotas. Quando morre um cidadão brasileiro verdadeiramente e comprovadamente patriota como recentemente o saudoso José Alencar, não como vice presidente que foi, a imprensa brasileira e  o povo, esquecem rapidamente ainda nas primeiras horas de ausencia do falecido e nada mais se comenta sobre o assunto, porém, o gringo aqui em nossa patria é endeusado pelo povo e  bajulado pelo Governo, uma fedentina que fica eternamente a incomodar aqueles que lutam pela conservação do amor, dignidade e vlorização do Brasil. Se eu fosse falar aqui o que penso desse sentimento, com certeza eu seria crucificado e provavelmente expurgado deste espaço.

Ariston, no que depender de mim, vc fala o que quiser, concorde eu ou não.

Mas, opinião minha, a arte não tem fronteiras...

E ainda bem, assim a bossa nova chegou aos gringos, o jazz soul e rock chegou a nós...

Assim leio Cervantes, Sheakspeare, Fernando Pessoa, como leio Machado de Assis, Monteiro Lobato.

Assim escuto Bach, Beethoven, Mozart como escuto Villa Lobos, Camargo Guarnieri,

E a lista poderia seguir indefinidamente.

Salut.

Cabocla, Del Ryo, Liu: nos encontramos em outro lugar. A mediocridade é insuportável, o bairrismo idem, a ignorância é o pior dos males, e gera o preconceito. beijos e bye

 

Para não passar como  desatencioso: Não posso nem devo responder à uma mulher no que ela exige, vejo-a generalizadamente como uma SANTA e à ela eu me reverencio, porém, desde que ela não seja uma exceção como a de quem falo, Glória Trevi.

Vejo que estamos diante de uma pessoa culta e ética e isso se mostra a mim, através de cada palavra desta honrosa resposta. Obrigado.

salut e enjoy Amy....

ela nãofoi "criada" pela indústria musical, talvez destruída sim...

 

RSS

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço