Portal Luis Nassif

 

 

 

 

 

 

 

Na imagem, pintura de Portinari. Moleques Pulando Cela é de 1958.

 

 

Que lindos olhos, que lindos olhos tem você

Que ainda hoje, que ainda hoje eu reparei

Se eu reparasse, se eu reparasse há mais tempo

Eu não amava, eu não amava a quem amei

 

 

Exibições: 7294

Responder esta

Respostas a este tópico

Luis Henrique

e a imagem, qual o autor/artista?

 

Lena

pintura de Portinari. Moleques Pulando Cela é de 1958.
Chutamos Portinari? Meio fora do tom?
O fundo parece Volpi.

Prezado Bueno de Oliveira, essa lembrou uma aproximação cubana.
Mais ou menos, não?

Esta música, me traz recordações funestas. Mesmo assim, gosto demais dela. Uma vez, ouvi-a cantada por Xuxo Martinez e depois, com os Los Panchos. Nessa época, eu tinha pretensões de namoro com uma moreninha de fartas "ocejas", lá em Uberaba e pedi a um amigo que me acompanhasse ao violão e parti para uma serenata. A música era simplesmente a favorita da garota, que nunca mais quiz saber de mim, sob a alegação que eu tinha "massacrado" a música predileta dela. A propósito,os versos postados pelo Luis são de um sintetismo fantástico. E o tema, ora o tema é o melhor que se tem para inspirar versos.

Zezita

vou me" apropriar" do video

xeros.

fora do tom? 

Luis Henrique Bueno que me permita, falando nele cadê ele?

 

Continuando então; bela estrofe, bela imagem mas está fora do tom.

não configura o olhar tratado na estrofe, embora ta bem dentro do tom atual

onde as pessoas, se olham e não se percebem.

um mundo cheio de movimento e descontinuidade.

Embora já no tempo do Eurípides a mocinha não tinha entendido

que com lindos olhos ele a viu.

Mas sobre as cantigas folclóricas, quem viveu jamais esquecerá. 

Xii,

Lenita

Tantas coisas( coisinhas!)que a gente nunca esquece.

Frase mal feita.
"Fora do tom" foi dúvida, se foi um chute fora.
O desenho tá impecável e a ilustração idem.
Portinari por causa dos pés e mãos. Grife. Portinari pra menores...

E o uso feito pelo Caetano em It's a Long Way.
"Os óio da cobra verde
Hoje foi que arreparei
Se arreparasse há mais tempo
Não amava quem amei..."

Tudo gira e roda, e permanece. Ainda bem.

eu entendi.  Zezinha nunca ia achar Portinari fora do tom.

As imagens a meu gosto são  espetaculares  

tem a  idéia da infância, Felicidade nas juntas.

 

Esta  parece ser da mesma série.

 

 

"A paisagem onde a gente brincou pela primeira vez não sai mais da gente.

 Candido Portinari


 

Esta me fez lembrar a serie de fotografias de minha sobrinha>

 

Outro dia ela se casou e os fotógrafos levou-a e o noivo para  uma produção de fotos numa fazenda antiga belíssima.

Vestiram o  filhinho deles "dois anos"  de noivinho e deixaram ele livre no fundo. O menino e um  cachorro que apareceu sei lá de onde .

o fotografo teve a delicadeza de deixar as coisas acontecerem e as fotos ficaram geniais.

 

 

 

Cantiga folclórica

Constança

Constança, meu bem, Constança
Constante sempre serei
Constante até a morte
Constante eu morrerei

 

 

 

RSS

Publicidade

© 2017   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço