O MASSACRE DO FUNCIONALISMO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

 

 

         Com certeza será muito difícil que alguém encontre um servidor concursado, daqueles que eliminaram até milhares de candidatos por uma vaga, seja ela de nível fundamental, médio ou superior, que tenha votado em Alckmin ou Serra. O descaso para com os servidores estaduais teve início ainda no governo Covas e prosseguiu de maneira cruel e revoltante com alckmin e Serra e agora, com toda certeza, terá continuidade, novamente, com o recém-eleito Alckmin.

         O que se tem dado no governo tucano não são reajustes, nem mesmo a reposição da inflação, mas bônus para determinadas categorias em certas épocas, e gratificações vergonhosas, que são retiradas quando o servidor se aposenta. Assim, e essa é uma terrível realidade, há servidores que estão há mais de dez anos sem um centavo de reajuste. É o meu caso,  que posso comprovar com os demonstrativos de pagamento que tenho arquivados, ou que estão nos arquivos da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo.

         Vale ainda dizer que tal situação agravou-se por ocasião da reforma da previdência, cujas Emendas Constitucionais 41 e 47, votadas sem que o presidente Lula tivesse pleno conhecimento do que se tratava, massacram os servidores concursados efetivos, regidos pelo EFP e os concursadas, também com função de natureza permanente, regidos pela Lei 500/74.

         Essa maldita reforma, cria de FHC (que precisa ser reformada), não deve escapar às aos olhares de Dilma Roussef, que já demonstrou preocupação com a situação de miséria na qual vivem os servidores públicos de todo o país, cujos Estados aderiram à tal reforma.

         Hoje um encarregado de compras de qualquer hipermercado, sem nenhum concurso público, recebe o triplo do que um na mesma função no serviço público do Estado de São Paulo. E não digo que o funcionário privado não mereça o que recebe. Apenas acredito que o concursado do Estado, que estudou arduamente para um concurso público, eliminado milhares de candidatos, deveria ter uma sorte similar.

         Pelo exposto e pela insustentabilidade da situação, o próximo governo do Estado de São Paulo irá conviver com inúmeras greves reivindicatórias, situação para a qual espero não ver uma repressão policial violenta como a praticada pelo tucano que, embora tarde, se foi.

Exibições: 215

Responder esta

Respostas a este tópico

À ver e conferir Cairbar!
O governo petista também anda colecionando seus saquinhos de maldades por aí, mas longe da falta de apreço e vergonha dos tucanos. Voce sabe que hoje em política não há o melhor, mas sim o menos ruim. No momento com todas as mazelas, ficamos com o PT, mas não esperemos muito. Certo?
Um abraço.
O governo petista, pelo menos no que se refere ao funcionalismo (que trabalha de fato, os concursados) tem sido justo e paga relativamente bem seus servidores. No caso de São Paulo, mesmo sendo o Estado mais rico da Federação, temos um exército de funcionários vivendo quase em situação de miséria.
Obrigado pelas observações.
Com certeza Cairbar! Lula recompos os salários do funcionalismo federal tão aviltados por FHC. É que já andei tomando na cabeça com FUP/CUT, e ando escolado (acho que dei uma comentada disso lá no tópico da Petrobras). Mas se antes não deixei claro, deixo agora, com o PT a relação fica entre tapas e beijos, já com PSDB/DEM, é luta de vida ou morte.
Um abraço.
Bem colocado, Sérgio. Com o PT a relação é entre tapas e beijos. Com o PSDB, exceção louvável ao governo Montoro, lá pelo início da década de 1980, não me lembro ao certo, Não houve uma greve sequer, concursos foram feitos em quantidade e qualidade para suprir o déficit deixado pelos governos anteriores; os vencimentos eram justos, os servidores trabalhavam animados e com muita eficiência, tanto que, fazendo aproximadamente três décadas do fato, os servidores remanescxentes, já aposentados, ainda amam André Franco Montoro. Depois vieram esses merdas como Quércia, Fleury, Covas e o resto do elenco. Se você encontrar um serviror público estadual, concursado, que não odeie esses três últimos, jogue na Mega Sena. Vai ganhar, com certeza.
Mas eu me enrolei um pouco na reposta. Eu dizia que a relação com o PSDB é na porrada mesmo, mas porradas unilaterais, por parte deles.

Desculpe se me alongo, mas como vítima é difícil encurtar o discurso.

Abraços.
Alckminn é outro lixo que deve ser investigado por todos os orgaos publicos do Brasil, ta envolvido em tudo que é podre no governo de sao paulo a mais de 15 anos......ele tambem é podrissimo....deveria ser amante do Serragio? e ainda tem tucano inocente util, que entra neste blog pra falar mal do PT......é tao mal informado que nao sabe o quanto se rouba em SP, no governo tucanodemocrata????
Nem tenho o que comentar, caro Claudio. Você disse tudo com poucas e verdadeiras palavras.
Abraços.
Reafirmo:Foram 16 anos de PSDB em São Paulo, onde o servidor público foi desprestigiado, desvalorizado e até mesmo agredido, quando reivindicava seus direitos. O Governo do estado de São Paulo, encabeçado pelos governadores do PSDB, pouco fizeram de concreto pela população do estado, ou melhor, se preocuparam em gastar mais em propaganda do que em saúde, segurança e educação, bastando ver que os verdadeiros índices de criminalidade estão cada vez maiores (não se enganem com mentiras), bem como a polícia está desmotivada, com os piores salários pagos no país e acuada pela atuação discriminatória exercida pelo estado aos seus membros, bem como a saúde, que não consegue atender bem a população pela falta de investimentos em infraestrutura, e pelos baixos salários que são pagos aos seus profissionais, além do total abandono na política de combate às epidemias, o que é claramente demonstrado nos índices da dengue em nosso estado (no resto do Brasil os índices ficaram muito abaixo), mostrando o total descaso do governo do estado; por fim a educação, onde o governo instituiu que os estudantes devem ser aprovados independente de seu aproveitamento, bem como a falta de apoio e segurança que acompanham os professores da rede pública estadual, sem mencionar o óbvio, que é baixo salário atribuído aos professores (14º do Brasil), além do mecanismo ridículo de gratificação adotado para quase todo o funcionalismo público, e que priva os aposentados e pensionistas de uma melhor remuneração. Por todos estes fatos, é imprescindível que empunhemos a bandeira da mudança, pois se São Paulo continuar nas mãos destes políticos neoliberais (PSDB e DEM), a população sofrerá cada vez mais pelo abandono e continuará sem poder contar com uma boa educação, um bom atendimento na saúde e também continuará a viver com medo de sair às ruas.
Meu amigo Brizolla. No início da década de 1990 os funcionários da educação, que é o meu caso, fizemos uma greve qu paralisou todas as escolas do Estado. O Governo era o Fleury, truculento, governador do massacre do Carandiru, mas mesmo assim conseguimos os nossos objetivos. Eu dirigia a AFUSE (Sindicato da Educação) em São José do Rio Preto. Depois disso houve uma certa acomodação peleguista (?) por parte da Sede Central em São Paulo e perdemos todo o poder de mobilização. Acho que houve um certo medo da truculenta polícia do governo tucano e a coisa chegou ao ponto em que se encontra. Acredito que temos apenas uma saída: usarmos todas as forças e todos os meios possíveis para jogar a população contra o governo estadual, agora em mais quatro longos anos do Alckimin. Precisamos mostrar que a precariedade dos serviços públicos, a insegurança e o exército de analfabetos que terminam o ensino fundamental ou mesmo o médio, além das mortes pelo péssimo serviço de saúde pública, deve-se exclusivamente ao descaso e à insensibilidade desses malditos tucanos.

Obrigado por enriquecer o debate.

RSS

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço