XX FIG 2010 - UM FESTIVAL DE INVERNO QUE MERECE TER DIMENSÃO NACIONAL

GRANDE PARTE  DO NORDESTE CONHECE  - MAS  COM CERTEZA ESTE   FESTIVAL  DE INVERNO QUE OCORRE  NO  AGRESTE MERIDIONAL DE PERNAMBUCO  MERECE  TER DIMENSÃO EXTRA REGIONAL  PELA ABRANGÊNCIA   CULTURAL , PELA  TOTAL GRATUIDADE  E  PELA QUALIDADE  DE SUAS ATRAÇÕES .  PARA OS QUE NÃO O CONHECEM  OU  APENAS OUVIRAM FALAR   AI  VAI ALGUNS INFORMES :


PARA  QUEM  QUER  TER UMA VISÃO GERAL SOBRE  A CIDADE DE GARANHUNS -PE
(LUGAR  DE ORIGEM  DO CAMARADA LULA)  ACESSAR OS SÍTIOS :


http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=575002


http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=488291

http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=247822

http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=800660

http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=743800



PARA OS QUEREM TER  UMA VISÃO  DO FANTÁSTICO  FESTIVAL QUE OCORRE POR LÁ  A 20 ANOS CONSECUTIVOS  (XX FIG)   VEJAM A PROGRAMAÇÃO  2010 (15-24 DE JULHO)



Ascom Fundarpe




De 15 a 24 de julho, o Agreste pernambucano será o centro das atenções do turismo cultural brasileiro. É chegada a hora da 20ª edição do Festival de Inverno de Garanhuns (FIG 2010), que também recebe a terceira etapa deste ano do Festival Pernambuco Nação Cultural. Uma verdadeira maratona cultural, que este ano contará com 17 polos atrativos. Serão 10 dias de oficinas, fóruns de discussão, ações gastronômicas, shows, espetáculos de teatro e dança, exposições de arte e fotografia, mostra de cinema e circo. A celebração, que integra a lista dos mais conceituados festivais do Brasil, é uma realização do Governo do Estado, por meio da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), em parceria com a Prefeitura de Garanhuns.

Nesta edição, o FIG está homenageando os 50 anos do Movimento de Cultura Popular, que, de 1960 a 1964, durante o governo de Miguel Arraes e Pelópidas Silveira, revolucionou o sistema de educação e alfabetização do Estado por meio de uma articulação cultural. Durante o Festival, quem estiver por Garanhuns reviverá, de certa forma, este movimento, que teve como condutores e idealizadores grandes nomes da educação e da classe sócio-político-cultural pernambucana como Paulo Freire, Hermilo Borba Filho, Ariano Suassuna, Abelardo da Hora, Germano Coelho, Silke Werber, Francisco Brennand e tantos outros intelectuais atuantes na época.

Com o objetivo de valorizar e fomentar a cultura pernambucana presente nas quatro macrorregiões do Estado, todos os anos, o FIG atrai cada vez mais turistas, colocando as produções pernambucanas em interação com nomes da arte nacional e internacional. Na edição em que o Festival completa 20 anos, a expectativa da Fundarpe e da prefeitura local é que mais de 400 mil de pessoas de diversas localidades do Brasil circulem durante os 10 dias do evento, considerado o maior exemplo da consolidação da política cultural. Para compor a grade de programação da festividade, a Fundarpe, democraticamente, contou com a participação da classe cultural, que por meio de uma comissão setorial, avaliou e pontuou cada um dos projetos inscritos no edital de convocação.

Os 17 polos atrativos do FIG ficarão distribuídos nos seguintes pontos de integração cultural: Praça Guadalajara, que abrigará shows de atrações locais, nacionais e internacionais; Parque Ruber Van Der Linden, conhecido como Pau Pombo, dedicado a música instrumental; Catedral de Santo Antônio, espaço dedicado à música erudita; Parque Euclides Dourado, que acomodará a maior parte dos polos, como o Palco Forró, o Palco Pop, o Circo, o Pavilhão de Teatro e Dança, o Pavilhão de Artesanato, a Unidade Móvel do Programa de Artesanato de Pernambuco (Pape), o Espaço Fundarpe, a Praça de Alimentação, o Espaço Gastronômico e os estandes institucionais; Teatro Luiz Souto Dourado, que acomodará parte da programação de teatro; Autarquia de Ensino Superior de Garanhuns (Aesga), que sediará a maior parte das oficinas de capacitação; Avenida Santo Antônio, onde ficará o Palco Cultura Popular; Cine Eldorado, local da mostra especial de cinema; e Comunidade de Remanescentes Quilombolas do Castainho, que abrigará o Circo Multicultural com shows, apresentações de dança, teatro, circo e resultados das oficinas.

GUADALAJARA – Também conhecido como Palco das Multidões, a Esplanada Guadalajara abrigará os shows mais aguardados pelo público. A programação começará sempre às 21h. Este ano, o palco contará com uma iluminação diferenciada e um design mais arrojado. A esplanada também terá duas praças de alimentação com telões sonorizados. A abertura da festividade, no dia 15, fica por conta do espetáculo Pernambuco Nação Cultural, o mesmo que será apresentado em Cuba, no início de julho, durante o Festival del Caribe, que este ano está homenageando Pernambuco. Quem fecha a noite é o cantor Alceu Valença. O dia 16 contará com a apresentação de Nação do Samba, de Garanhuns, Trio Pouca Chinfra, do Recife, além do encontro dos sambistas Belo Xis (PE) e Neguinho da Beija-Flor (RJ) e o show de um dos mais importantes ícones da MPB, a cantora Gal Costa (BA), que fará uma apresentação especial para o evento.

No dia 17, a noite arcada pela mistura do rock, pop e ska. Apresentam-se as bandas Rogério e os Cabras, (PE), Dona Zefinha (CE), Móveis Coloniais de Acaju (DF) e Skank (MG). No dia 18, a Guadalajara será tomada pela Jovem Guarda, representada por The Fevers e Adilson Ramos.

O dia 19 será embalado pelo forró e pela música regional. Quem abre a noite é o grupo Cascabulho, seguido por Gláucio Costa e pela homenagem a um dos maiores sanfoneiros do Estado, Mestre Camarão. Fechando a noite, Elba Ramalho promete colocar o público pra dançar muito forró, xote e baião. Recentemente, a cantora paraibana gravou um CD com músicas de grandes compositores da terra como Accioly Neto, Maciel Melo, Dominguinhos, Petrúcio Amorim, Xico Bizerra e Rogério Rangel. Já no dia 20, quem abre a noite é a atração garanhuense Paulinho Groove, seguido de Maestro Forró que levará à esplanada o frevo da Orquestra Popular da Bomba do Hemetério. Neste mesmo dia, Garanhuns recebe uma atração internacional. O público vai conferir a apresentação cubana de Septeto La Botija, Eva Grinan e Gabino. Quem fecha a noite é o cantor Reginaldo Rossi, com os maiores sucessos dos seus 46 anos de carreira.

A noite do dia 21 será dedicada ao rock que vem conquistando jovens e adolescentes de todo o Brasil. Quem abre o palco é a cantora Karla Rafaela. E quem comparecer ao local também poderá conhecer o projeto solo de Lucas Silveira, integrante da banda Fresno, chamado Beeshop, um rock mais emotivo e com letras em inglês. No mesmo dia se apresenta uma das atrações mais requisitadas pelo público do FIG, a cantora baiana Pitty. A noite conta ainda com a apresentação da banda Volver, do Recife. No dia 22, a Guadalajara será do rap e do hip-hop. A cidade recebe o engajado MV Bill e o carioca Marcelo D2. Nesse mesmo dia, o público confere o samba-rock da banda paulista Sandália de Prata. O primeiro show é da banda pernambucana Instinct Noise.

Na sexta-feira (23), o rock dos anos 80 marca presença na programação do FIG 2010 com a banda Os Paralamas do Sucesso, que tocará os hits que há 30 anos vêm embalando a vida de muitos brasileiros. E, representando Pernambuco, as atrações Lucioly Maranhão e Eddie, que levará ao palco o seu Original Olinda style. Neste mesmo dia, o público terá a oportunidade de conhecer a cantora brasiliense Ligiana, considerada uma das grandes revelações da MPB e do samba brasileiro. No sábado (24), sobem ao palco da Esplanada o garanhuense Flávio Pontes, a cantora macapaense Patrícia Bastos, o cantor paulista Jair Oliveira, e encerrando a programação do FIG 2010, Paulinho da Viola.

PALCO POP – A programação do Palco Pop, que este ano dividirá o mesmo espaço com o Palco Forró, começa no dia 17 de julho e segue até o dia 24. Os shows terão início sempre às 18h. Quem abre a programação é o projeto PEBA, uma parceria cultural entre Pernambuco e a Bahia. O primeiro a subir ao palco é o músico recifense Jam da Silva com uma mistura de música eletrônica e elementos percussivos. Depois é a vez de um encontro interessante entre o Mestre Galo Preto e Zé Brown, com muito coco, embolada e hip hop. Neste dia, também se apresentam o grupo pernambucano Bongar com Benjamim Talbkin e os representantes baianos Lucas Santana e Baiana System. No dia 18, as atrações são Sambada de Viola, o projeto solo do percussionista pernambucano Sérgio Cassiano, ex-integrante da Mestre Ambrósio, e o forró do grupo Rabecado.

O dia 19 de julho será dedicado à seletiva de bandas do Agreste Meridional do projeto itinerante Observa e Toca. Seis grupos musicais vão estar na disputa: Djair e Banda (Garanhuns); Paulo Isidoro (Garanhuns); Valéria Cavalcanti (Garanhuns); Erva Nativa (Jupi); Dressesdoll (Canhotinho); Jarlan Silmont (Jupi). A proposta é fazer com que os músicos da região divulguem seus trabalhos e com que os pernambucanos percebam as novidades e produções musicais que acontecem no Estado. Uma comissão julgadora selecionará duas bandas para se apresentar em outras etapas do Festival Pernambuco Nação Cultural. Ao final do ano, os três grupos mais bem pontuados em 2010 terão direito à gravação de um DVD.

O dia 20 será aberto pelas bandas Nom Hilum e Still Living, de Garanhuns. Em seguida, o público confere a levada interessante do músico pernambucano ZaldoRF, que mescla elementos do rock com o erudito, música eletrônica e regional, e a atração alagoana Wado, com metais de reggae e eletro funk. No dia 21, o Palco Pop recebe o rock metal do grupo Cangaço e o punk-rock hardcore do Alto José do Pinho com a banda Devotos. Integram ainda a programação do dia Swianne e Estado Suicida. No dia 22, tem apresentação da Soul Blues, o rap abrasileirado de Renegado, de Minas Gerais, e o hip-hop pernambucano de Tiger. No dia 23, é a vez do músico Thiago Pethit, de São Paulo, mostrar o seu trabalho. Recentemente lançou o seu primeiro álbum “Berlim, Texas”. Apresentam-se ainda o compositor regional Tonino Arcoverde e a banda Neander, de Garanhuns. No dia 24, o público confere o rock da banda baiana Vendo 147 e do pernambucano Lula Cortes, um dos grandes representantes do movimento Udigrudi, que surgiu no Recife da década de 70. Também sobem ao palco as bandas Borboleta Prematura e Doxo.

PALCO FORRÓ – O Palco Forró, localizado no Parque Euclides Dourado, tem início no dia 17 com Cláudio Rabeca e Mestre Luiz Paixão. No dia 18, apresentam-se a banda Segnos (Recife-PE), o Mestre Manoel Pereira (Recife-PE), Joci Batista (Olinda-PE). No dia 19 tem Forró Matulão e Messias do Acordeom (Aliança -PE) e Os Três do Cariri (Salgueiro - vencedora da etapa Sertão Central do Observa e Toca). No dia 20, sobem ao palco o grupo Cachimbo de Barro (Goiana - PE) e André Macambira (Recife-PE). No dia 21, apresentam-se Silva Alhandra (Camaragibe-PE/ Alhandra - PB) e a banda Toadas de Pernambuco (Cabo de Santo Agostinho-PE). No dia 22, o público confere a apresentação de Caçuá do Mangaio (Goiana-PE) e do casal Zé Bicudo e Paula (Recife-PE). No dia 23, tem Muniz do Arrastapé (Recife-PE) e Roberto Cruz (Recife-PE). No dia 24, encerram a programação do palco os cantores Toninho do Baião (Recife-PE) e Rogério Rangel (Recife-PE). Os shows deste palco começarão às 23h.

PALCO INSTRUMENTAL – A partir do dia 19, os amantes da música instrumental podem se dirigir ao Parque Ruben Van Der Linden (Pau Pombo), sempre às 18h. A programação começa com Marcos Cabral (PE), Aglaia Costa (PE) e o grupo Sagrama (PE). No dia 20, apresentam-se Orquestra 22 de Novembro (PE), Scott Feiner & Pandeiro Jazz (RJ) e Leo Gandelman (RJ). No dia 21, as atrações são Roberto Lima e Banda, o músico Paulo Rafael (PE) e o grupo Contrabanda (PE). No dia 22, Krakatoa (PE), Camarones (RN) e Guizado (SP) esquentam a programação. No dia 23, é a vez do grupo Street’s Jazz (PE), Grupo Tiento (PE), Trio Curupira (SP) e do mestre Naná Vasconcelos (PE). No dia 24, marcam presença a banda Só Choro (PE), o grupo pernambucano Canção do Coreto (vencedor da etapa Sertão Central da seletiva de bandas do Observa e Toca), Renato Anesi (SP) e Henrique Annes e Beto Bandolim (PE).

PALCO CULTURA POPULAR – Localizado na Avenida Santo Antônio, no Centro de Garanhuns, o Palco Cultura Popular mostrará a diversidade cultural de Pernambuco com apresentações de grupos de cultura de raiz. O palco funcionará das 10h às 18h. A programação tem início no dia 19 de julho com a apresentação do Grupo Folclórico Bacamarteiro (Abreu e Lima-PE), do Afoxé Alafin Oyó (Olinda-PE) e do Clube Carnavalesco Mixto Elefante de Olinda (Olinda-PE).

No dia 20 de julho, apresentam-se o Maracatu Estrela Brilhante de Igarassu (Igarassu-PE), o Grupo Xaxado Cabras de Lampião (Serra Talhada-PE) e Santino Cirandeiro (Paulista-PE). No dia 21 de julho, o público confere a apresentação do Grupo de Percussão Quebra-Baque (Recife-PE), do Grupo Artístico e Cultural Boi Ta Ta Ta (Recife-PE) e da Mazuca de Agrestina (Agrestina-PE).

No dia 22, sobem ao palco os Caboclinhos Canindé do Recife (Recife-PE), Reisado da Maninçoba (Garanhuns-PE) e a Família Salu e a Rabeca Encantada (Olinda-PE). No dia 23 de julho, o público terá oportunidade de assistir à Banda de Pífano X (Monteiro-PB), o Maracatu Cambinda Brasileira (Nazaré da Mata-PE) e as Sambadeiras (Olinda-PE). Fechando a programação, no dia 24, sobem ao palco O Bonde Bloco Carnavalesco Lírico (Recife-PE), Coco de Umbigada (Olinda-PE), Quentes do Forró e Orquestra Curica (Goiana-PE).

ARTES CÊNICAS – Espetáculos locais e nacionais de teatro, circo e dança formam a programação de Artes Cênicas do FIG 2010, que ficará concentrada no Teatro Luiz Souto Dourado e no Parque Euclides Dourado, mais precisamente na Lona de Circo e no Pavilhão de Teatro e Dança. As ruas da cidade também serão palco para as intervenções artísticas. Para a alegria da criançada, este ano, a produção do Festival decidiu dobrar as sessões dos espetáculos circenses aos finais de semana, já que nos anos anteriores houve uma grande procura por parte do público. Agora, os espetáculos agendados para os sábados e domingos terão dois horários de apresentação (um pela manhã e outro à tarde).

A programação de Artes Cênicas tem início no dia 16 de julho, a partir das 10h, com o espetáculo teatral pernambucano Polo Marginal, do Grupo de Teatro de Rua Loucos e Oprimidos da Maciel (PE). No mesmo dia, a partir das 16h, tem o espetáculo de circo Picadeiro Pernambuco, uma mostra de números circenses com artistas pernambucanos. E a partir das 17h, o público confere os espetáculos de dança Catirinada, da Companhia Pé-Nambuco de Dança (PE), e 5 Minutos para Blackout, do Acupe Grupo de Dança (PE).

No dia 17 de julho, a partir das 10h, a criançada vai poder conferir o espetáculo teatral História de Pingos e Chuva, da Companhia Ânima de Teatro (PE), e a mostra artística da Escola Nacional de Circo, que terá dois horários de apresentação (10h e 16h). Mais tarde, às 17h, o Palco Dança recebe o espetáculo Por Dois, de Fábio Costa (PE). E às 17h20, Preto no Branco, da Companhia de Dança Artefolia (PE). No dia 18 de julho, a partir das 10h, as opções são os espetáculos pernambucanos de teatro Reprilhadas e Entralhofas - Um concerto para acabar com a tristeza, da Companhia 2 em Cena de Teatro, Circo e Dança, e Guerreiros da Bagunça, de Pedro Portugal Produções. Também às 10h, acontece a mostra Sonho de Circo, da Escola Pernambucana de Circo. Este espetáculo será reapresentado às 16h. E partir das 17h, o Palco Dança recebe os espetáculos De Dentro, do Qualquer um dos 2 Companhia de Dança, e, na sequência, Tribos, do Núcleo Experimental.

A programação segue no dia 19 com o espetáculo circense Pano de Roda, do Grupo Pitanguinha Show, programado para as 16h. Também, à tarde, a partir das 17h, no Palco Dança tem a mostra de coreografia do Grupo de Balé Infantil Espaço Bailarte (Garanhuns-PE). E às 19h, no Teatro Luiz Souto Dourado, a será apresentada a peça baiana A Cela, do Groove Estúdio Teatral, um teatro para adultos. No dia 20 de julho, às 16h, a Lona de Circo recebe uma mostra da Associação dos Proprietários e Artistas Circenses do Estado de PE (Apacep). No Palco Dança, às 17h, o público confere a apresentação do Gesttus Grupo de Dança com o espetáculo Seu Chico, e do Grupo Pé No Chão com a mostra Kilandukilu. A partir das 19h, a Cia. do Estilhaço, de São Paulo, se apresenta no Teatro Luiz Souto Dourado com o espetáculo Estilhaço.

No dia 21 de julho, às 10h, tem o espetáculo mineiro de teatro Baby Dolls, uma exposição de bonecas, de Elvina Maria Caetano Pereira. Às 16h, tem apresentação do Circo Mágico Alakazam. Neste dia, a dança será representada por uma mostra do Programa Pacto pela Vida, às 17h. No Teatro Luiz Souto Dourado, às 19h, o público adulto confere o Entre Amores, Flores e Frustrações, da 1ª Companhia Teatral Nós de Gato. Para o dia 22 de julho, está programada a apresentação do Circo de Mônaco, às 16h. No Palco Dança, às 17h, tem as ações artísticas do Programa Pacto pela Vida. E no Teatro Luiz Souto Dourado, às 19h, o espetáculo Guiomar, a filha da mãe, do Grupo Pharkas Sertanejaz.

No dia 23, às 10h, o público confere a peça O Fantástico Mistério de Feiurinha, do Grupo Diocesano de Artes, que, assim como o FIG, está completando 20 anos. No mesmo dia, às 16h, acontece a apresentação circense Troca e Retroca, uma mostra de trupes circenses pernambucanas. Às 17h, tem o espetáculo de dança Orun Ayê, do Grupo de Dança Quilombo Axé (Garanhuns-PE). No Teatro Luiz Souto Dourado, às 19h, tem o espetáculo Cordel do Amor Sem Fim, do grupo Poste: Soluções Luminosas e Samuel Santos. A programação de cênicas chega ao fim no dia 24 de julho com o espetáculo circense Histórias de Goiás no Picadeiro, do Circo Laheto, que se apresenta às 10h e às 16h, no Parque Euclides Dourado. Também no Euclides, às 17h, no Pavilhão de Teatro e Dança, Ariano Suassuna conduzirá a sua aula-espetáculo Concerto ao Piano. E às 19h, no Teatro Luiz Souto Dourado, o público confere a peça pernambucana Mercadorias e Futuro, de José Paes de Lira Filho, o Lirinha do recém-extinto Cordel do Fogo Encantado.

FOTOGRAFIA – Durante o Festival, o público poderá conferir exposições fotográficas no Parque Euclides Dourado e na Casa Galeria Galpão, relativas às três edições do Prêmio de Fotografia Pernambuco Nação Cultural. São 37 imagens clicadas por fotógrafos residentes em Pernambuco. Em cada edição, um tema específico. Na primeira, as fotos selecionadas dizem respeito aos Patrimônios Imateriais (Cavalo-Marinho, Caboclinho e Maracatu Nação e Maracatu Rural). A segunda reúne imagens da cultura das 12 regiões de desenvolvimento de Pernambuco. E a terceira edição do prêmio tem como tema “Cidades, Paisagens Contemporâneas”.

Paralelamente às exposições, a Coordenadoria de Fotografia da Fundarpe estará com uma convocatória aberta para fotógrafos do Estado que tenham interesse em registrar o FIG 2010. As duas melhores fotos clicadas durante a maratona cultural serão selecionadas, junto com as finalistas das outras etapas do Festival Pernambuco Nação Cultural, para uma mostra na capital pernambucana, no final do ano, na Torre Malakoff.

MÚSICA ERUDITA – Durante o Festival de Inverno de Garanhuns, a Catedral de Santo Antônio se transformará num reduto da música erudita, recebendo uma programação especial montada pelo Conservatório Pernambucano de Música (CPM) e a 6ª edição do projeto Virtuosi na Serra, reunindo grandes nomes da música nacional e internacional.

A programação do CPM acontece de 16 a 19 de julho, com duas sessões diárias (às 16h30 e às 21h). A tarde do primeiro dia terá como atrações o violonista Guilherme Calzavara, o Presto Ópera da Universidade Federal da Paraíba e o Coro do CPM. A noite do dia 16 será comandada pelo grupo Allegretto, com música renascentista.

Programação completa e mais informações: www.fundarpe.pe.gov.br/

Exibições: 384

Responder esta

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço