Pedidos de patentes por Estados brasileiros - Faltam políticas regionais para a inovação

O INPI divulgou em seu site (http://www.inpi.gov.br/noticias/Pedidos%20de%20patentes%20por%20estado.pdf) o número de pedidos de patente de cada um dos Estados da Federação nos anos de 2007 a 2009. Por receber todos os pedidos vindos do exterior, o Rio de Janeiro aparece como o Estado com mais pedidos de patentes, mas certamente os pedidos nacionais ali depositados são em muito inferiores a este número. Provavelmente o Estado de São Paulo é o que deposita a maior quantidade de pedidos de patentes. Aliás, São Paulo sozinho deposita mais pedidos de patentes do que todo o resto do país (excluindo-se da conta o Rio de Janeiro, cujo número próprio não conhecemos).

O curioso é perceber que em alguns Estados o número de patentes requeridas diminuiu em 2009 (provavelmente reflexo da crise econômica iniciada no final de 2008). Minas Gerais, Rio de Janeiro, Amazonas, Rondônia, Tocantins, Bahia, Paraíba, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Espírito Santo requereram menos patentes em 2009 do que em 2008. Em alguns casos, a redução foi pequena (às vezes porque o número de 2008 já era baixo, como em Rondônia), mas houve casos em que a queda foi mais expressiva, como em Minas Gerais e no Espírito Santo.

Em contrapartida, o Distrito Federal e os Estados do Ceará, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Alagoas, Maranhão, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe e Santa Catarina apresentaram crescimento. Acre e Pará depositaram a mesma quantidade de pedidos de patente em 2008 e 2009. O Amapá se destaca (negativamente) como o único Estado da Federação que não requereu nenhuma patente nos três anos levantados. A seguir, a tabela divulgada pelo INPI:

 

image

Colocadas estas informações em um gráfico, fica mais fácil identificarmos a disparidade nos números de pedidos de patentes.

 

image 

Excluindo-se São Paulo e Rio de Janeiro, temos um retrato mais fácil de visualizar sobre quão expressiva vem sendo a inovação nos outros Estados do país, destacando-se o desempenho dos Estados da região Sul:

 

image

 

Do exame destes dados e gráficos fica claro que a inovação (o número de patentes depositadas é um importante indicativo) está concentrada principalmente nas regiões Sudeste e Sul, seguidas do Nordeste, e mais escassa nas regiões Norte e Centro-Oeste.

 

Separando estas regiões por números e considerando o total de patentes depositadas nos últimos três anos percebemos que apenas as regiões Sul e Nordeste apresentaram crescimento no volume de patentes depositadas no ano passado (comparado com 2008), ao passo que as regiões Sudeste (nas quais estão englobados os pedidos internacionais, lembre-se), Norte e Centro-Oeste requereram menos patentes no mesmo período. Contudo, comparando-se o desempenho de 2009 com o de 2007, à exceção da região Norte, todas apresentaram aumento no total de patentes requeridas:

 

image

 

Mais uma vez excluindo-se a região Sudeste do gráfico fica mais fácil a visualização do desempenho das demais regiões:

 

image

 

Ante todas estas informações, o que se constata é o que já se sabia: é imperioso que sejam criadas e implementadas políticas locais de investimento e incentivos para a inovação, descentralizando o desenvolvimento do país.

Exibições: 447

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço