Portal Luis Nassif

Villa-Lobos, cinquententário da morte

Informação

Villa-Lobos, cinquententário da morte

Videos, áudios, trabalhos, estudos, mp3 sobe o maior compositor brasileiro

Membros: 76
Última atividade: 11 Jun, 2016

Fórum de discussão

INTERPRETES DE VILLA LOBOS: 5 respostas 

Iniciado por Marcia. Última resposta de VILMAR BARBOSA SANTANA 26 Nov, 2010.

Caixa de Recados

Comentar

Você precisa ser um membro de Villa-Lobos, cinquententário da morte para adicionar comentários!

Comentário de charles marques em 14 agosto 2011 às 18:49

No século passado passou pelo Brasil uma Orquestra de gênios...

Vamos citar alguns destes mestres.

Arquitetura:Sérgio Bernardes,Burle Marx,Vilanova Artigas,Rino Levi,

Lúcio Costa,Afonso E. Reidy,Lina Bo Bardi,...

e o Querido Oscar Niemeyer que está aí...batuta na mão aos 103

Artes Plásticas: Cândido Portinari,Di Cavalcanti,Alfredo Volpi,

Amilcar de Castro,Guinard,Brennand,Mario Cravo Neto,Tarsila,Iberê,

Segall,ligya Clarck.Antonio Bandeira...

Poetas : Vinicius de Moraes, Carlos Drummond, Jorge Amado e Zélia,

Raquel de Queiroz,......

Música : Pixinguinha,Cartola,Nelson Cavaquinho,Adoniran,Jacob,

Valdyr Azevedo,Altamiro,Poyares,Lupércio,Tia Amélia,Canhoto,

Meira,Dino,Radamés,Guerra Peixe,Paulo Moura,Sérgio Mendes,

Carlos Lyra,Menescal,.....  e  o querido Tom Jobim.

João Pacífico,Tonico e Tinoco,Sivuca,Orlando Silveira,Luiz Gonzaga...

Villa Lobos é a alma Brasileira;e quando ouço as obras do Mestre, sinto

todas as formas,cores,sons e a poética de cada um destes Gênios.

 

 

Comentário de Maria Regina de Souza em 11 maio 2011 às 17:05

Viva Villas!!!

Amor da minha vida. Embora não seja tão rígida em relação às demais manifestações musicais de nosso povo por achar que representam parte de nossa sociedade, devo admitir que conhecer esse mestre aos 10, 11 anos, me fez alguém melhor. Gostaria que isso pudesse acontecer para milhões de brasileiros que ainda nem sonham com sua existência.

Comentário de Max Robert em 27 março 2011 às 16:39

"Folclore, é a ciência da persquisa, o traço da união que se utiliza o criador, tirando do povo essa música, essa arte espontânea. Ele burila no seu coração e na  sua alma e traz novamente ao seu povo."

(Villa -Lobos)

Comentário de Marcê Porena em 8 março 2011 às 14:24

Viver sem Villa...

Não dá!

Comentário de VILMAR BARBOSA SANTANA em 26 novembro 2010 às 22:19
Vi no youtube algumas interpretações de bachianinha n.1 e fiquei encantado. Gostaria de receber sugestões de outras peças imperdíveis desse nosso grande músico.
Comentário de Luiz Carlos Almeida de Araujo em 26 setembro 2010 às 9:28
Meu contato mais estreito com a produção villalobiana se deu através da minha professora de piano, Sonia Maria Strutt, sobrinha do Maestro via Mindinha (D. Arminda, seunda companheira dele), quando eu era aluno na Escola de Música Villa-Lobos, no Rio de Janeiro. Mais do que estudar repertório, ela me deliciava com almuas estórias do Maestro, sua irascibilidade quando ela errava alguma passagem da partitura ou não a executava da forma como ele queria. Eu ficava intrigado com alguns depoimentos da Profa. Sonia, principalmente aquele que se referia ao fato do Villa conseguir ouvir as radionovelas e, ao mesmo tempo, ficar compondo uma peça nova, pondo aquilo tudo no papel...Villa era um gênio instintivo e, por isso, com direito às suas idiossincrasias. Suas "viagens fantasiosas", seus "contatos exuberantes" tambémn faziam parte de um universo todo próprio, criado por ele, a partir da compreensão de uma brasilidade natural, exponrânea, que brotava selvagem, quase pura...Villa traduz o real som de um Brasil primeiro, aparentado de tudoi que é cultura e influência, mas sem perder a originalidade. Villa não gostava de se submeter às regras, preferindo criar as suas. Bebeu das fontes populares, teve acesso ao povo e foi um pioneiro na tentativa de tratar a Música - mais propriamente a Educação Musical - com dignidade, respeitando seus profissionais envolvidos e garantindoi uma unidade de trabalho, coisa que aparentemente contrastava com seu "caos" interior. Sua visão de Brasil e de mundo, sempre "em grande", permitiram que o nosso país fosse reconhecido, lá fora, também como potência musical a ser considerada. Villa-Lobos é um nome prá não se esquecer e se dizer de boca cheia...Um Amazonas, a fluir talento pelos poros-afluentes...
Comentário de josé wilson malheiros da fonseca em 30 agosto 2010 às 11:41
Villa Lobos é um de meus paradigmas.
Comentário de Marco Aurelio Dias em 13 julho 2010 às 0:11
Tive uma grande admiração por Villa Lobos, na minha adolescência. Eu costumava ficar no meu quarto, a luz apagada, olhando a lua cheia surgindo atrás do morro, quando morava em Jacarepaguá, subúrbio do Rio de janeiro. Olhava a lua cheia ouvindo as Bachianas Brasileiras Nº 5, e achava uma combinação perfeita. Eu era um tolo! Estava tão apaixonado por Villa Lobos que mandei uma gráfica fazer 500 folhetos onde eu explicava que a poética da lua estava toda encarnada na Bachiana Nº 5, de Villa Lobos. E entreguei aqueles 500 folhetos nas ruas, no trem, entre Cascadura e a Central do Brasil, no Rio de Janeiro. Mas a maioria não sabia nem quem era Villa Lobos e nem o que era a Bachiana Nº 5. Quando fiz minha primeira viagem de trem para Belo Horizonte, no famoso "macaquinho" que saía da Estação Leopoldina, foi numa noite de lua cheia. Eu olhava a lua cheia e na minha alma ressoava o Trenzinho Caipira, de Villa Lobos. Acho que a natureza conspira a favor da juventude. Havia uma família viajando e a mocinha estava sentada bem ao meu lado. Eles moravam na Serra da Canastra. Logo começamos uma conversa, e da conversa para os beijos foi um pulo. O trem só ia chegar a Belo Horizonte pela manhã. Foi perfeito. A lua cheia, a mocinha, o trem macaquinho e a melodia do Trenzinho Caipira embalando minha alma...
Comentário de Terramel em 22 março 2010 às 21:52
Gostaria de dizer que é uma vergonha quando falam em incentivar a nossa cultura, a nossa música e colocam axé ou funk carioca ou pagode ou música sertaneja. Isso não é nossa música. É apenas uma coisa de fácil digestão. Nossa música, nossa cultura, nosso orgulho, está em Villa-Lobos. Todo brasileiro deveria saber quem foi e conhecer sua música. As escolas deveriam colocar a música do mestre Villa-Lobos nas aulas de História do Brasil ou então nas aulas de música, mas deveria ser algo obrigatório para todos os brasileiros conhecerem. Me envergonha saber que Ivete Sangalo é mais conhecida pelos brasileiros do que Villa-Lobos. Me envergonha que a mídia nunca fale ou toque nada do Villa. Me envergonha ainda mais os músicos eruditos brasileiros que preferem tocar peças de compositores europeus, quando temos em nosso país um compositor de genialidade muito maior.
Viva o mestre Villa-Lobos!
Comentário de Lica Cecato em 2 março 2010 às 17:01
Fiz uma apresentação em 13 dezembro, em Paris, na Radio France, Salle Olivier Messiaen, que foi muito interessante. Eramos somente 4 percussionistas sinfônicos (da Orquestra Nacional Francesa) e voz. Fizemos 10 canções, canto e epercussão e ficamos muito contente de nosso resultado, assim como a Radio France. Talvez isso traga uma continuação de trabalho. Festival Villa-Lobos : Fête avec les percussionnistes de l'ONF

Concert donné le 13 décembre 2009, Salle Olivier Messiaen de la Maison de la Radio

Programme:
Camargo Guarnieri
Etude / Création française

Marlos Nobre
Variations Rythmiques / Création française

Heitor Villa-Lobos
Mélodies

Edgar Varèse
Ionisation

Percussionnistes de l'Orchestre National de France
Lica Cecato, Voix
 

Membros (75)

 
 
 

Publicidade

Blogs Brasilianas

© 2017   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço