Governo Lula privatiza a amazônia

Infelizmente, o governo Lula colocou em prática o programa de privatização da Amazônia. Sim, é isso mesmo que você leu. Sob o nome de FUNDO AMAZÔNIA, qualquer país poderá fazer "doações" em dinheiro para a preservação da Amazônia. Com isso, o governo Lula assume publicamente que o Brasil não tem condições de administrar os recursos da Amazônia, e decide privatizar a região mais rica do mundo. A Noruega, primeiro país a investir, vai "doar" R$1 bilhão. Alemanha, Japão, Suíça e Suécia também estão negociando "doações". Segundo o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, espera conseguir em 1 ano US$900 milhões em "doações", sendo que a meta até 2021 é atingir o montande de US$21 bilhões (vinte e um bilhões de dólares). Minc garante que o Fundo Amazônia não sofrerá ingerência externa, pois o Brasil é um país soberano. Mentira. Como sabemos, a Amazônia é a região mais rica do mundo. Não pela quantidade de madeira, ou pela sua biodiversidade apenas. Mas, porque tem petróleo, ouro, nióbio, manganês, ferro, diamante, esmeraldas, rubis, cobre, zinco, prata... a maior biodiversidade do planeta, que pode gerar grandes lucros para as indústrias farmacêutica, alimentícia e cosmética... enfim, todos os ramos da indústria. Calcula-se que a riqueza da Amazônia está estipulada em 14 trilhões de dólares. Ora, é evidente o interesse dos países desenvolvidos na Amazônia, que aliás, é a região do mundo com o maior número de ONGs estrangeiras. Por que será?! Logo, entende-se que ninguém vai "doar" rios de dinheiro para fazer caridade. Todos os doares vão exigir alguma contra-partida, que lógico, será o direito de explorar as nossas maiores riquezas.


Fernando Henrique queria entregar tudo ao capital externo, até a Petrobrás e o Banco do Brasil. Em 1997, privatizou a CVRD (uma estatal lucrativa), por uma mixaria de R$3 bilhões. No ano seguinte, já privatizada, deu lucro de R$5 bilhões. Em 2007, obteve o lucro de R$13,4 bilhões. Mais de 4 vezes do seu valor de compra. O responsável pelo Plano Real, é mesmo um gênio da economia...
Lula é outro entreguista e continuista da política neolibelal de FHC, FMI e Banco Mundial. Mascarado pelo Bolsa Família, que lhe rende popularidade recorde, é um lobo em pelo de ovelha, que se rendeu aos interesses do capital externo, em detrimento dos interesses do povo brasileiro.
Se o Brasil tem freio, parem, porque eu quero descer.

Marco Antonio de Carvalho

Publicado originalmente no jornal O Globo (Opinião), 29/09/08
Load Previous Replies
  • para cima

    luzete

    Quanto a sua pergunta, se o Brasil tem freio, te digo: tem sim. E a porta está aberta...
    1
    • para cima

      Jorge Henrique Cordeiro

      Eu ia comentar, mas a luzete já o fez, com propriedade... O Fundo Amazônia é um avanço para a proteção da floresta. Como bem lembra a Unctad, a atual crise financeira nos mostrou que país algum do mundo vai resolver seus problemas isoladamente. É hora de compartilhar responsabilidades e deveres. Isso vale para proteger a Amazônia, combater o aquecimento global, regular os mercados, etc.

      Comparar o fundo Amazonia com a privataria dos anos FHC é brincadeira de mau gosto...
      2
      • para cima

        Gabriel Lemos

        Se há alguma acusação sobre o Lula é tão somente por ter aberto esta "brexa" para que governos estrangeiros ou empresas "doem" recursos a amazônia brasileira sem um esclarecimento maior a população em geral.
        Não coloco aqui em dúvida a boa fé do Lula e nem de seu governo, porém tal ato torna-se muito temeroso para o futuro, pois se acaso dermos o azar de elegermos os tucanos ou mesmo outros, sabemos bem como vão se utilizar com galhardia desta "brecha" a fim de "doarem" em troca a própria amazônia.
        Vez por outra há declarações no exterior de que o Brasil não tem condições de cuidar da Amazônia e que porisso mesmo, o mundo, notadamente o EUA deveriam ter ingerência nela sob a esdrúxula desculpa que seria um patrimônio mundial e não brasileiro.
        Agindo assim, certamente o Lula mostra concordância com tais declarações. O que se torna muito perigoso, diante da ganância internacional sobre aquela região.
        E se o Brasil não cuida da amazônia, não é por falta de dinheiro e sim por falta de empenho político, mais especificamente dos políticos daquela região.