Joana Belarmino de Sousa
  • Feminino
  • João Pessoa, PB
  • Brasil
Compartilhar no Facebook Compartilhar

Presentes recebidos

Presente

Joana Belarmino de Sousa ainda não recebeu nenhum presente

Dar um presente

 

Página de Joana Belarmino de Sousa

Informações do Perfil

Profissão
Professora universitária

 

Uma Pedra na Rota do Curiosity

 

)minha coluna de 3 de outubro do Jornal A União)

 

Nos meus giros frequentes pela net, uma notícia me chamou a atenção por esses dias. O robô da Nasa enviado à Marte para explorações, aterrou em uma depressão e encontrou seixos, lascas de pedra que sugerem água abundante no planeta vermelho.

O Curiosity mandou à terra, imagens das pedras encontradas, e, desalojou desse meu cérebro, pensamentos que ouso compartilhar aqui, nessa planitude de 36 linhas impressas.

Pensei sobre como o nosso mundo já nos parece pequeno. Conseguimos atravessá-lo com alguns simples cliques. Revolvemos lugares, prateleiras, vitrines. Engalfinhamo-nos em disputas virtuais e reais, fazemos girar as manivelas da política, dos negócios, das festas. Passeamos pelas ruas da nossa cidade e, de volta pra casa, alguns de nós erguem vilas e cidades virtuais, que ora são dizimadas por pestes e episódios bizarros, ora florescem em gigantescos projetos bem sucedidos.

Pedra, água, vida. A combinação funciona como um excelente aperitivo para a imaginação humana, o sonho por descobrir vida inteligente fora da terra, descoberta que poderia, de umaúnica assentada, remover tantas outras pedras que estão a empacar a evolução e a sustentabilidade no planeta terra.

De fato, a alavanca do progresso industrial nos soterrou num respeitável atoleiro, no qual somos assombrados pela  mais recente crise capitalista, a crise energética, a desenfreada exaustão dos recursos naturais, os desequilíbrios ambientais de toda ordem, a fome, e, pairando sobre nossas cabeças, nossos espíritos, a miséria intelectual e moral.

Se a natureza ocupou-se silenciosamente por milhões e milhões de anos, para compor a nossa biosfera, a cultura que fizemos germinar desperdiça, em velocidade acachapante, o que temos de melhor, a nossa condição de humanidade.

As máquinas de morte do humano, nós as inventamos com nossas cápsulas de irresponsabilidade,  de irreflexão,  de falta de planejamento do tempo que virá, tempo que chamamos de futuro e que terá necessariamente a pele dos nossos gestos e escolhas do agora.

“...para onde estamos nos precipitando? Se uma era da ciência está terminando e outra apenas começando, para onde tudo isso está nos levando”? A pergunta foi feita por Michio Kaku, no seu livro “Visões do Futuro”. Astrofísicos acreditam que,  há vida fora do nosso planeta. São mais de duzentos milhões de estrelas, somente em nossa galáxia, e, no universo, há trilhões e trilhões de galáxias.

Inteligência fora da terra? Se houver, e se conseguirmos um “contato”, como tanto almejou Carl Sagan, de certo ela sentirá vergonha de nós, terráqueos, por toda a nossa inteligência jogada fora.

Blog de Joana Belarmino de Sousa

Quando Nasce um Jornalista

(Minha homenagem aos graduados em Jornalismo da UFPB, período 2013.1).

 

Nem sempre pode se dizer que seja um acontecimento sísmico, tampouco algo semelhante a uma tempestade solar. Nada de roda de samba, distribuição de doces, choro alto.

            E velas? Pode ser que haja velas. Um jornalista, quando nasce, não surge do meio de escombros, mas, tem cheiro das antiguidades vasculhadas, das raridades que tenta segurar, no anteparo das palavras, a medo, não vá o editor…

Continuar

Postado em 9 setembro 2013 às 22:16

Fim de Sábado e uma Colheita Surpreendente de "Flores Raras"

            “...e na escuridão, sobre as amantes, flutua uma lua crescente”. Esta coluna, em certa medida, está sendo escrita a quatro mãos, e, começa pelo fim. Começa pelo fim, pois este é o trecho final da descrição que minha filha Mariana fez para mim, do quadro pintado pela escritora americana, Elizabeth Bishop, no filme “Flores Raras”, produzido pelo cineasta Bruno Barreto.

A aventura de ir ao cinema, em pleno século XXI, e usufruir, como pessoa cega, do que há de melhor…

Continuar

Postado em 1 setembro 2013 às 15:26

Mais do Mesmo na Velha Mídia

            Estão chegando. Da Espanha, de Cuba. Falam a mesma língua, mas, curiosamente, cada um tem um discurso territorializado. A médica cubana, no aeroporto do Recife, diante dos microfones da Globo, disse que vinha para colaborar com o povo brasileiro. A médica espanhola disse que estava vindo “com medo do desconhecido”.

            O que impressiona, nesta cobertura do programa “Mais Médicos” feita pela velha mídia, é o desarrolhar da antiga maquinaria discursiva da época da…

Continuar

Postado em 25 agosto 2013 às 13:21

O Longo Aboio

Quando eu e o meu pai deixamos de nos falar, naquela semana de maio de 1993, ele não passava de um amontoado de células, músculos e pele, encharcados de medicamentos, na UTI do hospital de Bayeux, meu pai a tocar às portas da eternidade, eu, presa a um profundo sentimento de perda, desenraizamento, saudade antecipada.

            Houve uma tarde, uma cena, a qual não conseguirei nunca esquecer. Eu e o meu irmão Belo, cada um do lado da cama de utei, segurando as mãos do meu pai. De…

Continuar

Postado em 11 agosto 2013 às 15:11

Caixa de Recados (1 comentário)

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Às 3:40 em 7 dezembro 2012, happiness disse...

Olá, sou Diana, eu realmente quero ter uma boa amizade com você. eu tenho algo especial eu quero discute com você. Você pode voltar para mim, diretamente para o meu e-mail. babydiana1988@live.com

 
 
 

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço