Maria Luiza Silveira Teles
  • Feminino
  • Montes Claros
  • Brasil
Compartilhar no Facebook Compartilhar

Amigos de Maria Luiza Silveira Teles

  • MariaDirce Cordeiro
  • Raquel Crusoé Loures de M. Meira
  • GILBERTO CAMPOS DE OLIVEIRA
  • Nina Araújo
  • Marco Antônio  Júnior
  • Anarquista Lúcida
  • Antonio Barbosa  Filho

Música

Carregando...
 

Bem-vindo(a), Maria Luiza Silveira Teles!

Informações do Perfil

Profissão
Escritora e professora universitária aposentada

O silêncio da batuta do maestro

O SILÊNCIO DA BATUTA DO MAESTRO



Já completou um ano da morte de Artur da Távola. Calou-se para sempre sua voz tão cheia de sensibilidade que, em seus escritos ou apresentações televisivas, nos tocava, ensinava e encantava. Aquela que traduzia o clássico em linguagem popular.
No seu último programa “Quem tem medo de música clássica?”, olhei triste seu rosto abatido e, temerosa de que a morte se avizinhasse, fui tomada de emoção, pois não conseguia imaginar o momento de não tê-lo mais entre nós. Era uma premonição ou constatação, não sei...
E, no dia nove de Maio, seu espírito deixou seu corpo, enquanto dormia.
Costumo dizer que poucas pessoas merecem morrer dormindo. E, com certeza, ele era uma destas. Exemplo de ser humano, de cidadão, de político correto, em um tempo em que os indivíduos de caráter parecem ser uma rara exceção.
Sempre haverei de lembrar-me dele ao ouvir os clássicos. As palavras ária, sonata, piano, pianíssimo, allegro, cantante, e outras tantas do ramo haverão de remeter-me às suas belas lições, às suas análises criteriosas das músicas, que tanto mexiam com a sua e a nossa emoção.
Eu o admirava muito como jornalista, cronista, político e, ultimamente, como apresentador e analista musical. Aprendi muito com ele e as palavras com que terminava sempre o seu programa estarão caladas dentro de mim: “Música é vida interior e quem tem vida interior jamais padece ou padecerá de solidão.”
Recebendo pela televisão a notícia de sua partida, repeti o que costumo dizer quando morre alguém extraordinário: “Existem homens que jamais deveriam morrer.” Mas, pensando bem, qual o grande homem que morre, realmente? Todos eles deixam rastros de luz em nossos caminhos e, assim, vivem para sempre.
Acho que meu comentário usual deveria mudar para a constatação de que certos homens não morrem nunca. O certo, provavelmente, é dizer como o nosso grande autor do sertão, Guimarães Rosa: não morrem, “ficam encantados”. Assim, posso dizer que Artur da Távola “ficou encantado”. Em outras paragens, ele estará, decerto, despertando a sensibilidade daqueles que partiram sem alcançar a plenitude de sua humanidade.
Ah, meu prezado maestro, sentirei muito sua falta, mas pode ter certeza que, também, por ter lido seus livros, seus artigos, ouvido seus belíssimos comentários sobre Beethoven, Mozart e outros tantos, tornei-me uma pessoa melhor e cresci muito como ser humano. Você, em sua simplicidade, provavelmente, nem sabia que iluminava a vida de tantos.
Também porque o conheci e, junto com você, continuando as lições que recebi de meu saudoso pai, aprendi, mais e mais, a amar a música, sei que, desta forma, jamais haverei de padecer de solidão.
Enquanto existirem a música, as auroras e crepúsculos, os amores e desamores, encontros e desencontros e meu coração continuar batendo, com a emoção tomando conta de meu ser, serei muito rica de vida interior. Poderei, inclusive, ouvir as músicas das esferas celestiais e, até nos meus silêncios, estarei ouvindo os sons da Divindade.
Sabe, grande maestro, repetindo palavras suas, citando não me lembro quem, devo dizer-lhe: “A dor da gente não sai no jornal”. E a minha dor pelo silêncio de sua batuta não pode ser traduzida em pobres palavras de jornal. Mas ficam aqui registradas.
E, como diz o Pe. Fábio de Melo, brincando com o poema de Drummond: “A festa acabou, a luz apagou e, agora, é você e Deus”. E Deus, certamente, gostará de ter em seu regaço um grande homem, um filho muito amado, que soube perseguir a Sua Luz e dignificar a arte e a política.

Maria Luiza Silveira Teles

Fotos de Maria Luiza Silveira Teles

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Vídeos de Maria Luiza Silveira Teles

  • Adicionar vídeo
  • Exibir todos

Blog de Maria Luiza Silveira Teles

CONVITE

Prezados amigos:

A minha prolongada ausência tem motivos bastante sérios. Nunca me esqueço, porém, dos amigos que fiz aqui e do carinho com que sempre fui tratada. Sinto saudades, mas não dou conta de tudo...

Estou convidando-os para visitar o meu site www.mluizateles.com e meu blog…

Continuar

Postado em 31 dezembro 2011 às 10:10

O PERIGO DO FANATISMO

Mente alerta é o milagre pelo qual restauramos e conquistamos a nós mesmos.”

Thich Nhât Hanh



A religiosidade é uma das mais antigas manifestações do homem. Sempre, de alguma forma, ele tem procurado unir-se ao Criador.

Entretanto, o fanatismo religioso, como acontece também em outras áreas, indica distúrbios de personalidade e oferece perigo não só para a pessoa como para toda a sociedade.

Muitos dos conflitos…
Continuar

Postado em 24 novembro 2010 às 15:12 — 2 Comentários

DOR DE AMOR



Sou como uma andorinha triste

Em dias sem primavera...

Como aquela nuvem sozinha

Que o dia está a nublar

O amor em meu peito fez ninho

A nuvem se vai com o vento

Mas o amor não conhece o tempo.

O tempo revela o avesso

Desta alma desalentada

Que vive embriagada

De uma saudade tão doída

De uma vida sem alegria...

Ah, como quisera esquecer

Esta dor que me esmaga o peito

Mas este é um mal sem… Continuar

Postado em 12 junho 2010 às 17:32

SERESTA NO SERTÃO

A noite estrelada e enluarada

Traz acordes tristes

De um violão.

E a voz do seresteiro

Parece chorar

Dentro da noite

Com um tom de tristeza

A lembrar um pássaro triste

Piando na solidão...

Por trás da janela,

Um coração partido

Sabe bem a razão.

A lembrança de um único beijo...

De um amor que não aconteceu...

Na beleza da noite clara

Brilha uma luz rara...

E nas sombras das… Continuar

Postado em 30 maio 2010 às 20:55 — 1 Comentário

Afastamento

Caros amigos: uma série de intercorrências, inclusive a dengue, retardou a minha cirurgia que acontecerá na quinta-feira próxima. Depois disto terei que ficar afastada do pc por um mês. Perdoem-me a ausência. Só quem tem perdido sou eu mesma. grande abraço a todos e, principalmente, às mães pelo seu dia.
Maria Luiza

Postado em 9 maio 2010 às 15:18 — 4 Comentários

Caixa de Recados (11 comentários)

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Em 1:09am on junho 06, 2010, Raquel Crusoé Loures de M. Meira deu para Maria Luiza Silveira Teles um presente...
Presente
Oi minha querida e talentosa amiga. Um domingo muito iluminado para você. Bjs
Em 3:35am on maio 04, 2010, Anarquista Lúcida deu para Maria Luiza Silveira Teles um presente...
Presente
Oi, Maria Luiza Feliz aniversário! Abs AnaLú, a Anarquista Lúcida
Às 22:16 em 30 março 2010, GILBERTO CAMPOS DE OLIVEIRA disse...
Artur da Távola já dizia:
- Quem tem vida interior nunca padecerá de solidão!


Em oração pela sua saúde, Maria Luiza!!!
Às 22:14 em 30 março 2010, GILBERTO CAMPOS DE OLIVEIRA disse...
Fé, esperança e confiança, minha querida e abençoada Professora Maria Luiza Silveira Teles!!! Tudo já deu certo!!! Você já recebeu a bênção, minha amiga!!! 2010 aguardo mais um livro seu de filosofia, certo!!!
Saúde, paz, proteção de DEUS!!!
Às 21:45 em 24 dezembro 2009, Nina Araújo disse...
recados super legais

RecadosOnline - Os melhores recados de Natal Engraçado! Envie também para seus Amigos!


MARIA LUÍZA,

FELIZ NATAL QUERIDA AMIGA!!
BEIJOS POÉTICOS DE NINA,
Às 14:08 em 24 dezembro 2009, Marco Antônio Júnior disse...
Olá, Maria Luiza, saiba que é uma honra inexcedível poder incluir-me entre seus amigos. Melhor seria dizer entre os admiradores incondicionais de sua arte. Espero poder aprender muito com você neste espaço que é também uma família para muitos que convivem aqui frequentemente. Aproveito para desejar-lhe um Natal lindo, sob as bençãos de Deus, e um 2010 repleto de alegrias, saúde, paz, conquistas e amor. Um grande abraço, Marco Antonio Junior.

P.S. Obrigado pelos elogios, muito mais devidos à sua generosidade e gentileza do que a inexistentes méritos meus.
Às 13:42 em 29 novembro 2009, MariaDirce Cordeiro disse...


cada música hein
Às 21:00 em 12 outubro 2009, Antonio Barbosa Filho disse...
Esta é a sensação que me emociona: eu poderia ter escrito aquilo. Mas podemos dizer e agir da mesma forma, com outros gestoe e palavras. Violeta Parra é única, assim como Mercedes Sosa, Piazolla ou Taiguara (lembra-se del, vc que que é tão jovem).
Vamos festejar o melhor da arte humana, que sentimos e fazemos.
Um beijo fraternal a você!
Às 0:24 em 12 outubro 2009, Antonio Barbosa Filho disse...
Obrigado, Maria Luiza, porque vc tem uma página maravilhosa, riquíssima em tudo - assim seu elogio ao meu modesto espaço me enche de alegria.
Cheguei ao Brasil, ou melhor, em minha casa, há uma hora, depois de três meses na Europa, e sua comentário me soa como boas-vindas, fico muito feliz.
O "La Pátria Grande" está aberto para suas contribuições, que eu sei que valorizarão muito nosso grupo, formado por gente muito especial.
Parabéns (voltarei outras vezes para explorar tanta coisa linda, agora estou cansado do vôo e das emoções...).
Um beijo, amiga!
Às 6:33 em 27 setembro 2009, Antonio Barbosa Filho disse...
Oi Maria Luiza, realmente o tempo é escasso para tanta coisa. Mas sempre que puder, apareça lá no "La Pátria Grande", comente, inclua seus textos, imagens, etc. Temos um bom material reunido em várias páginas, e o pessoal é muito legal.
Basta clicar em "grupos", no topo desta página, e aí na foto correspondente ao "La Pátria Grande".
Seja bem-vinda!
 
 
 

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço