Portal Luis Nassif

Blog de Luis Henrique Bueno de Oliveira (49)

Letras

Letras

 

Letras lindas

leves levitam

pulsão de paixão

 

Com vinte e cinco letras…

Continuar

Adicionado por Luis Henrique Bueno de Oliveira em 31 julho 2011 às 21:14 — Sem comentários

Celebração

 

Celebra, meu coração, teus dias bonitos.

deixemos os queixumes

viver é o que basta.

A sede de alegria é antiga

e pede passagem pela vida.

Se os sinais da morte rondaram os dias

e quiseram plantar suas sementes de…

Continuar

Adicionado por Luis Henrique Bueno de Oliveira em 6 abril 2011 às 14:36 — 1 Comentário

Galáxia

 

Via Láctea

Nosso canto do cosmos

imensa vastidão

de vácuo e pó.

A vaca ancestral

derrama seu leite

banho branco de luz

sobre os grãos planetas.…

Continuar

Adicionado por Luis Henrique Bueno de Oliveira em 6 abril 2011 às 14:34 — Sem comentários

Verão

 

Verão quente

dilata o ferro

dilata o aço

dilata os corpos

expansão constante da matéria.

Dilata o coração

dilata o sexo

a libido submerge

o…

Continuar

Adicionado por Luis Henrique Bueno de Oliveira em 6 abril 2011 às 14:33 — Sem comentários

Fabrix

 

 

É bar de puta?

Quem não se vende por ninharia?

Eu, por um sorriso...

Daqui celebramos,

a  vida, a amizade, o amor.

Nenhum lugar,

donde se celebra a vida é ordinário!

para…

Continuar

Adicionado por Luis Henrique Bueno de Oliveira em 6 abril 2011 às 14:30 — Sem comentários

Íntimo

 Íntimo

Quando adolescente achava

que o sumo da intimidade

era a nudez do corpo.

bobagem

A vida entre os viventes

Tinha labirintos menos óbvios.

Busquei no…

Continuar

Adicionado por Luis Henrique Bueno de Oliveira em 6 abril 2011 às 14:30 — 3 Comentários

Ruína

Ruína



A antiga praça de concreto será demolida.

Colorimos a praça.

É preciso nos despedirmos,



do sombrio monumento

de ferro e concreto,

Que foi nosso canto,

dos encantos…

Continuar

Adicionado por Luis Henrique Bueno de Oliveira em 14 novembro 2010 às 22:30 — 7 Comentários

Esboço







Esboço





Aos poucos a vida esboça



o contorno de uma existência.



Por mais árdua e pesada,…

Continuar

Adicionado por Luis Henrique Bueno de Oliveira em 8 agosto 2010 às 10:17 — Sem comentários

Luciana

Luciana





Para os íntimos é Billy.

Mas quem é a Billy?

Billy boa

Billy amiga

é Paraná, é Bahia,

é São Paulo.

mas é pouco!

A Billy é Brasil!





Boa de cama, mesa e banho.

Diga o contrário quem não provou...

Seu bobó de camarão.

É mulher, mulherão,


é mãe, é… Continuar

Adicionado por Luis Henrique Bueno de Oliveira em 28 julho 2010 às 15:30 — 2 Comentários

São Paulo

São Paulo



Do ângulo que te vejo

Não és tão imponente como dizem

imensa urbanidade

comprido cobertor de concreto

milhões de gentes te habitando



Do ângulo que te vejo

Não és tão feia como dizem

Tens graça província e cosmopolita

Miscelânea arquitetônica…
Continuar

Adicionado por Luis Henrique Bueno de Oliveira em 28 julho 2010 às 14:05 — Sem comentários

Lázaro

Lázaro



Por um descuido do destino,

Um vacilo, um tropeço

Com meu andar desatento

Cai no poço fundo.

Vi seu escuro,escutei seu eco.

O úmido da empoçada mágoa

Acumulada num milênio.



Mágoa antiga,nunca evaporou

Não conheceu o sol e seu calor

E eu não sabia de sua existência

Tão bem adaptado estava na vida.



Com desespero e agonia

escalei com as mãos, com as unhas

cada milímetro da parede de…

Continuar

Adicionado por Luis Henrique Bueno de Oliveira em 26 julho 2010 às 18:00 — 1 Comentário

Labuta

Labuta



A vida cobra mais do que temos!



muito mais do que sabemos

nos socorremos:

de orações, de palavras…
Continuar

Adicionado por Luis Henrique Bueno de Oliveira em 24 julho 2010 às 8:00 — 5 Comentários

Noite clara

Noite clara



Sem sono

sem consolo

vida breve

longa noite

Conto os minutos


das horas dolorosas.




A gangorra não para:

ora alegria

ora…
Continuar

Adicionado por Luis Henrique Bueno de Oliveira em 23 julho 2010 às 13:00 — 2 Comentários

Minha prece

Minha prece

Deus, pai, criador de tudo

do que conheço e desconheço
Pai que julga seus filhos
sobe um único critério:
Amor.
Peço-Te como filho menor,
coloca-me em teu Plano
Que eu ame, ame,
ame sempre, tudo
que conheço e desconheço.
eis me aqui, pronto.

Adicionado por Luis Henrique Bueno de Oliveira em 21 julho 2010 às 17:30 — Sem comentários

Erótico





Erótico



O sexo me chama.




e o desejo, senhor feudal,



me cobra o imposto:



pago com gosto





Tem seus…

Continuar

Adicionado por Luis Henrique Bueno de Oliveira em 21 julho 2010 às 6:30 — Sem comentários

Amantes

Amantes



Do improvável

do inesperado

nos aconteceu

a paixão



foi acidente,

por um acaso

de repente

um caso de amor



É destino?

foi coincidência?

o que foi isto?



Vou à psicanalista

ao psiquiatra

ao padre

ao pastor

a guia da Umbanda



Vou tirar tarô

Passo na vidente

Jogo búzios...



-Alguém há de me…

Continuar

Adicionado por Luis Henrique Bueno de Oliveira em 20 julho 2010 às 17:00 — 1 Comentário

Basta

Basta

Chegou a hora
de dizer basta!
chegou a hora
de dizer chega!

Bebi de cair
sequei a garrafa
e as lágrimas
esmurrei a ponta
da faca.

Fiquei
sem sono
sem fome
sem alegria
sem esperança

dor e alívio
oscilam pendulares
como as boas
e más lembranças

Então, morri.
Já estive no inferno,
Aguardo no limbo
A ressurreição
Que virá!

Adicionado por Luis Henrique Bueno de Oliveira em 19 julho 2010 às 16:16 — 6 Comentários

O torto

O torto



Não estudo métrica

nem gramática

nem mesmo ortografia

que dirá semântica



A poesia me consome

passo fome

sem seu nome

no verso impresso



Não me importo

como me visto,

não me importo

se há outro destino.



os dias passam,

vendo panfletos,

com meus versos escritos:

de mão em mão

Só Deus sabe…

Continuar

Adicionado por Luis Henrique Bueno de Oliveira em 16 julho 2010 às 17:30 — 3 Comentários

Sol a pino

Sol a pino

Meio dia neste hemisfério
Só aqui o sol a pino
Furta a sombra
do nosso corpo.

Sem sombra,
Ao sol
Ficamos incandescentes.

Brilha
no nosso coração
As menores partículas,
ainda não descobertas
pela ciência.
A possibilidade real
de ser simplesmente:
feliz.
Flertando deliciosamente
os outros seres viventes.

Adicionado por Luis Henrique Bueno de Oliveira em 15 julho 2010 às 8:00 — Sem comentários

Adorno

Adorno



O vaso solitário é


aquele

que só cabe

uma rosa

(geralmente uma rosa)

o destino da pequena

peça de cristal ou metal,

era guardar

o galho cortado

da planta,

sem consciência

do que é.

Sem saber o seu

próprio significado.



Belo, lírico, triste,

encantador

objeto!

Seu destino

é apenas embelezar...

o quarto,

a casa

a vida…
Continuar

Adicionado por Luis Henrique Bueno de Oliveira em 15 julho 2010 às 8:00 — Sem comentários

Últimas mensagens do blog

Arquivos mensais

2011

2010

Publicidade

Blogs Brasilianas

© 2017   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço