Blog de Maria Luiza Silveira Teles (29)

CONVITE

Prezados amigos:

A minha prolongada ausência tem motivos bastante sérios. Nunca me esqueço, porém, dos amigos que fiz aqui e do carinho com que sempre fui tratada. Sinto saudades, mas não dou conta de tudo...

Estou convidando-os para visitar o meu site www.mluizateles.com e meu blog…

Continuar

Adicionado por Maria Luiza Silveira Teles em 31 dezembro 2011 às 10:10 — Sem comentários

O PERIGO DO FANATISMO

Mente alerta é o milagre pelo qual restauramos e conquistamos a nós mesmos.”

Thich Nhât Hanh



A religiosidade é uma das mais antigas manifestações do homem. Sempre, de alguma forma, ele tem procurado unir-se ao Criador.

Entretanto, o fanatismo religioso, como acontece também em outras áreas, indica distúrbios de personalidade e oferece perigo não só para a pessoa como para toda a sociedade.

Muitos dos conflitos…
Continuar

Adicionado por Maria Luiza Silveira Teles em 24 novembro 2010 às 15:12 — 2 Comentários

DOR DE AMOR



Sou como uma andorinha triste

Em dias sem primavera...

Como aquela nuvem sozinha

Que o dia está a nublar

O amor em meu peito fez ninho

A nuvem se vai com o vento

Mas o amor não conhece o tempo.

O tempo revela o avesso

Desta alma desalentada

Que vive embriagada

De uma saudade tão doída

De uma vida sem alegria...

Ah, como quisera esquecer

Esta dor que me esmaga o peito

Mas este é um mal sem… Continuar

Adicionado por Maria Luiza Silveira Teles em 12 junho 2010 às 17:32 — Sem comentários

SERESTA NO SERTÃO

A noite estrelada e enluarada

Traz acordes tristes

De um violão.

E a voz do seresteiro

Parece chorar

Dentro da noite

Com um tom de tristeza

A lembrar um pássaro triste

Piando na solidão...

Por trás da janela,

Um coração partido

Sabe bem a razão.

A lembrança de um único beijo...

De um amor que não aconteceu...

Na beleza da noite clara

Brilha uma luz rara...

E nas sombras das… Continuar

Adicionado por Maria Luiza Silveira Teles em 30 maio 2010 às 20:55 — 1 Comentário

Afastamento

Caros amigos: uma série de intercorrências, inclusive a dengue, retardou a minha cirurgia que acontecerá na quinta-feira próxima. Depois disto terei que ficar afastada do pc por um mês. Perdoem-me a ausência. Só quem tem perdido sou eu mesma. grande abraço a todos e, principalmente, às mães pelo seu dia.
Maria Luiza

Adicionado por Maria Luiza Silveira Teles em 9 maio 2010 às 15:18 — 4 Comentários

MÃE

Dom Ramon Angel Jara

Bispo de La Serena - Chile

Tradução de Guilherme Almeida



Uma simples mulher existe que,

pela imensidão de seu amor,

tem um pouco de Deus;

pela constância de sua dedicação,

tem muito de anjo; que, sendo moça,

pensa como uma anciã, sendo velha,

age com todas as forças da juventude;

Quando ignorante, melhor que qualquer sábio

desvenda os segredos da vida; e, quando sábia,

assume… Continuar

Adicionado por Maria Luiza Silveira Teles em 9 maio 2010 às 15:15 — Sem comentários

DESTINO DE PENÉLOPE



Eu sei que tu vives

E as horas da vida

Se arrastam entre nós...

E dói-me o tempo

Que ainda me separa de ti.

Tu vives...

Em algum lugar,

Onde não estou,

Tu te moves,

Respiras, pensas e sei que sofres...

Entretanto, talvez em sonhos,

Ou desperto nesta mesma hora,

Tu pressintas meu pensamento

Que se aproxima

E te busca.

Tu vives eu sei.

E é bem viva a saudade

Que em meu… Continuar

Adicionado por Maria Luiza Silveira Teles em 18 abril 2010 às 21:13 — 4 Comentários

Oferecimento

O vídeo "Amo-te muito", cantado por Nara Leão, música e letra de João Chaves, o maior seresteiro do norte de Minas, ofereço ao meu querido amigo Gilberto Campos de Oliveira.

Adicionado por Maria Luiza Silveira Teles em 1 abril 2010 às 19:53 — Sem comentários

Aviso

Aos amigos do blog:
Estarei ausente por um mês ou mais por motivos de saúde. Estarei me submetendo a uma cirurgia. Abraços a todos. Sentirei muita saudade.
Bjs,
Maria Luiza

Adicionado por Maria Luiza Silveira Teles em 28 março 2010 às 14:53 — 4 Comentários

ANDARILHOS DOS SONHOS

Eles têm a dimensão

De seus sonhos,

Cujas asas misteriosas

Os levam a um mundo

Mais alto...

Livres

Até em minúsculas celas

De prisão,

Com o soluço

Que morre na garganta,

Vão deixando no caminho

As marcas da liberdade,

As pontes da fraternidade...

Eles têm o dom fascinante

Da loucura

E de nada vale contra eles

A tirania...

Sabem que a libertação

Traz a dor

E o sangue.

Mas… Continuar

Adicionado por Maria Luiza Silveira Teles em 22 março 2010 às 18:38 — Sem comentários

LIBERDADE

Os sons da acordina

Ecoam no silêncio da noite,

Marcando as horas eternas

Do delírio

De homens sem medo...

Em corrilhos infindos,

Eles sonham com a liberdade.

Sonham e caminham...

Caminham para a força,

A guilhotina

E a crucificação...

Caminham,

Vertendo o cálice

De sua dor,

E, bêbados de alegria,

Cantam hinos,

Hosanas e aleluias...

Eles sabem:

Sabem que… Continuar

Adicionado por Maria Luiza Silveira Teles em 18 março 2010 às 18:27 — Sem comentários

AMOR VERDADEIRO

Quem fala aqui é a alma de uma mulher. Uma alma que deve ter caminhado todos os caminhos por séculos afora. Uma alma que, depois de perscrutar todo o universo humano, o microcosmo e o macrocosmo, tem muitas dúvidas, mas algumas certezas: Deus existe, Ele é Amor, Somos Um com Deus. Portanto, somos Amor.



Como cheguei a essas certezas? Principalmente pelo caminho do coração, pela intuição, amando sempre e percebendo que, dentro de mim, existe uma… Continuar

Adicionado por Maria Luiza Silveira Teles em 6 março 2010 às 2:36 — Sem comentários

Aos amigos do blog

Ando muito cansada e adoentada e preciso estar bem para o lançamento de meu livro em São Paulo. Bom carnaval ou feriadão para todos.

Adicionado por Maria Luiza Silveira Teles em 12 fevereiro 2010 às 14:02 — Sem comentários

QUANDO

QUANDO... Rubens C. Romanelli



Filho meu !



QUANDO, nas horas de íntimo desgosto, o desalento te invadir a alma e as lágrimas te aflorarem aos olhos, busca-me: eu sou aquele que sabe sufocar-te o pranto e estancar-te as lágrimas;



QUANDO te julgares incompreendido dos que te circundam e vires que, em torno, a indiferença recrudesce, acerca-te de mim: eu sou a LUZ, sob cujos raios se aclaram a pureza de tuas intenções e a nobreza de teus… Continuar

Adicionado por Maria Luiza Silveira Teles em 21 janeiro 2010 às 18:33 — Sem comentários

ORAÇÃO

PAI,

SEI QUE A REVOLTA,



O DESESPERO,



A VIOLÊNCIA,



O MEDO,



O DESAMOR



NADA PODEM CONSTRUIR !



ENSINAI-NOS, POIS,



A ESPERAR, MAS LUTANDO;



A CHORAR, MAS ACREDITANDO;



A CLAMAR, MAS AMANDO



E TRABALHANDO ...



CONFORMADOS, SIM, COM A TUA VONTADE,



MAS INCORFOMADOS SEMPRE



COM A VONTADE EGOÍSTA, HEDIONDA,… Continuar

Adicionado por Maria Luiza Silveira Teles em 20 janeiro 2010 às 17:48 — Sem comentários

ANO NOVO

ANO NOVO





A página está em branco

E nela vou escrever

Só amor e felicidade

Para o passado esquecer...

E quando a saudade

Quiser me machucar

Vou tudo recomeçar.

Nada de tristeza,

Nostalgia e depressão.

Só quero a beleza

Pra guardar no coração.

Quero olhar a bondade

No peito escondida,

Disfarçada em frieza,

Filha da frustração.

Quero ver a dor bandida

Em… Continuar

Adicionado por Maria Luiza Silveira Teles em 27 dezembro 2009 às 23:54 — Sem comentários

PEREGRINOS DA LIBERDADE

Na morte do corpo

e das ilusões,

o mesmo rosto,

o mesmo ardor,

o mesmo espanto...

Caminhos e caminhos

e eles sempre a caminhar

arfantes e soluçantes

no incerto adiante,

e no suposto de achar

as marcas definidas

do Sonho-Liberdade.

Amor sem nome

e sem destino,

feridas ressecadas

e o fogo do delírio;

gemidos no ser que se abrasa

e na fantástica imagem

vão errantes

aos céus da fantasia

em asas… Continuar

Adicionado por Maria Luiza Silveira Teles em 26 dezembro 2009 às 18:28 — Sem comentários

MINHA PRECE DE NATAL

Senhor, Ensinai-nos a abrir os braços para vos receber e a todos os irmãos!

Não permitais que nos percamos nos labirintos das ilusões e que os problemas da vida nos abatam!

Acolhei-nos em nosso cansaço, fortalecei-nos, reavivai nossa fé, nossa confiança, esperança e bom ânimo.

Defendei-nos, ó Pai, contra os miasmas da vaidade, da indiferença, do orgulho e conduzi-nos aos caminhos da humildade e da solidariedade.

Fazei-nos simples… Continuar

Adicionado por Maria Luiza Silveira Teles em 20 dezembro 2009 às 19:47 — Sem comentários

VALE DA MORTE

Ando pelo vale da morte

E tenho medo, sim!...

Ando pelas sombras da noite

E tenho pavor em meu coração.

Falta-me o pão

E meu estômago dói.

Falta-me amor

E me sinto só.

Falo sozinha

Porque outros não me ouvem.

Choro baixinho

Porque em min’alma há abismos.

As lágrimas me molham o rosto

Porque, no desalento,

Nem eu consigo enxugá-las.

Tenho sede de justiça

E vejo tantos morrendo

Sem assistência...

Irmãos sem… Continuar

Adicionado por Maria Luiza Silveira Teles em 30 novembro 2009 às 18:25 — Sem comentários

Ainda se morre de amor...

AINDA SE MORRE DE AMOR...





Ela era apenas uma menina quando ele a conheceu, uma menina que desabrochava para a vida de mulher. Bastou um único olhar para apaixonar-se. Este amor iria durar toda uma vida, mas um amor calado, sem esperanças, sufocado no peito.

Em seu coração, ele a chamava de “princesa”. E como poderia uma princesa olhar para um simples empregado de seus pais?

Ela era doce, gentil, educada. Parecia-lhe uma flor. Tratava-o sempre muito bem, como a… Continuar

Adicionado por Maria Luiza Silveira Teles em 18 novembro 2009 às 0:21 — Sem comentários

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço