Portal Luis Nassif

João Petra de Barros

* 23/6/1914 - Rio de Janeiro (RJ)
+11/1/1947 - Rio de Janeiro (RJ)

 

João Petra de Barros, na sua curta trajetória pessoal e artística (viveu apenas 33 anos), foi um dos grandes intérpretes da Música Popular Brasileira. Gravou, entre outros, compositores do quilate de Noel Rosa, Orestes Barbosa, Custódio Mesquita, Marino Pinto, Ismael Silva, Braguinha, Zé da Zilda, Ary Barroso e até mesmo o jovem Vinicius de Moraes.

 

 

Deu os primeiros passos na carreira de cantor no início dos anos de 1930, na Rádio Philips/Programa Casé, passando a conviver com Noel Rosa, Custódio Mesquita, Luis Barbosa, Benedito Lacerda, Francisco Alves e tantos outros, principalmente, nos cafés (Nice/Uma Hora) e bares da boemia carioca.

 

 

Sua primeira gravação foi em 1932. Trata-se do samba - “Até amanhã”, de Noel Rosa. Essa composição tem uma historinha de bastidores. João Máximo e Carlos Didier contam, em “Noel Rosa - uma biografia”, que a música foi composta inspirada numa namorada de Noel e que foi parar nas mãos de João Petra em consequência de um desentendimento entre Noel e Chico Alves, quando ambos retornavam de uma excursão pelo sul do país. Noel diz a Francisco Alves; “Desculpe, mas eu prefiro dar pro João Petra”.

 

 

A bordo do navio “Itaquera” - da esquerda para a direita: Peri, Mário Reis, Francisco Alves, Noel Rosa e Nôno (1932).

 

 

Até amanhã” (Noel Rosa) # João Petra de Barros e Gente Boa. Disco Odeon (10.950-B), 1932.

 

 

 

 

 

 

João Petra de Barros circulou em quase todas as emissoras de rádio da época. A última foi na ex- Rádio Transmissora, rebatizada como Rádio Globo, onde retornou (1945) e permaneceu até o seu trágico acidente em 1946.

 

 

Segundo o pesquisador Nísio Teixeira, “em 22 de julho de 1946, enquanto viajava no estribo de um bonde pela Rua da Assembleia com destino à Praça 15, João Petra de Barros é vitimado por uma  caminhonete da Escola de Aeronáutica. O veículo se choca com o bonde, fraturando o terço médio da perna direita de Petra de Barros. O cantor recebe atendimento no Hospital de Pronto Socorro, mas tem a sua perna amputada. Petra retira-se da cena artística, apesar do apoio de amigos, como, por exemplo, Carmen Miranda, que o teria convidado para se tratar nos Estados Unidos.  Inconsolável, o cantor tenta se matar por duas vezes, até conseguir alcançar o suicídio em 11 de janeiro de 1947”.

 

 

 

 

Como bem demonstra o cartaz da foto acima, João Petra de Barros integrava o time da Era de Ouro do Rádio junto com Carlos Galhardo, Linda Batista, Sílvio Caldas, Aracy de Almeida, Patrício Teixeira, Cyro Monteiro, Nelson Gonçalves e tantos outros. Lamentável que tenha saído de cena tão jovem.

 

 

Hoje, dia do seu centenário de nascimento, vamos homenageá-lo com suas memoráveis interpretações.

 

 

Quero falar com você” (Noel Rosa/Lauro dos Santos [Gradim] # João Petra de Barros. Disco Odeon (10.950-A), 1932.

 

 

 

 

Dor de uma saudade” (Vinicius de Moraes/Joaquim Medina) # João Petra de Barros. Disco Victor (33.693-A), 1933.

 

 

 

 

Nem com uma flor” (Noel Rosa/Francisco Alves) # João Petra de Barros e Orquestra Copacabana. Disco Odeon (10.976-A), 1933.

 

 

 

 

Seja breve” (Noel Rosa) # João Petra de Barros/Luís Barbosa/Custódio Mesquita (piano). Disco Victor (33.701-A), 1933.

 

 

 

 

Cantor do rádio” (Custódio Mesquita/J. Marques [Paulo Roberto]) # João Petra de Barros. Dsico Odeon (11.056-A), 1933.

 

 

 

 

Não é tanto assim” (Ismael Silva) # João Petra de Barros. Disco Odeon (11.089-B), 1933.

 

 

 

 

 

 

Se a lua contasse” (Custódio Mesquita) # João Petra de Barros/Aurora Miranda. Disco Odeon, (11.074-B), 1933.

 

 

 

 

Isso não se faz” (Noel Rosa/Ismael Silva/Francisco Alves) # João Petra de Barros e Orquestra Copacabana. Disco Odeon (11.031-B), 1933.

 

 

 

 

Sorrindo sempre” (Noel Rosa/Lauro dos Santos [Gradim]/Ismael Silva/Francisco Alves) # João Petra de Barros e Orquestra Copacabana. Disco Odeon (11.031-A), 1933.

 

 

 

 

Uma das gravações mais famosas de João Petra de Barros foi “Feitiço da Vila (Feitiço sem farofa)”.

 

 

Feitiço da Vila (Feitiço sem farofa)” (Noel Rosa/Vadico) # João Petra de Barros. Disco Odeon (11.175-A), 1934.

 

A composição/vídeo pode ser ouvida nos "Comentários" abaixo.

 

 

 

Duro com duro” (Ary Barroso) # João Petra de Barros. Disco Odeon (11.146-A), 1934.

 

 

 

 

Linda pequena” (Noel Rosa/João de Barro) # João Petra de Barros e Orquestra Odeon. Disco Odeon (11.281-A), 1934.

A composição/vídeo pode ser ouvida nos "Comentários" abaixo.

 

 

 

 

Segundo o pesquisador Omar Jubran a marchinha acima foi relançada em 1937 com o título de “Pastorinhas” com pouquíssimas modificações na letra. No livro “A Canção no Tempo: 85 anos de música brasileira - Vol.1 (1901-1957)” (Jairo Severiano/Zuza Homem de Mello), os autores detalham, nas páginas, 167/168, os bastidores da composição “Pastorinhas”.

 

 

Sentinela alerta” (Ary Barroso) # João Petra de Barros/Noel Rosa. Disco Odeon (11.146-B), 1934.

 

 

 

 

Santo Antônio amigo” (J Cascata/Zé da Zilda/Marino Pinto) # João Petra de Barros e Grupo Diabos do Céu. Disco Victor (34.766-A), 1941.

 

 

 

 

João Petra de Barros com seus amigos compositores: Noel Rosa, Ary Barroso, Custódio Mesquita e Ismael Silva.

 

João Petra de Barros foi batizado pela radialista César Ladeira como o “Cantor da voz de 18 Quilates”. Que a voz de ouro de João Petra não seja esquecida pelas novas gerações.

 

 

************

Fontes:

- A Canção no Tempo - 85 Anos de Músicas Brasileiras, Vol 1: 1901-1957 / Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello. - São Paulo: Ed. 34, 1997.

- Dicionário Cravo Albin da MPB (Verbete João Petra de Barros).

- Fotos montagem; Laura Macedo.

- Site Overmundo (Texto do jornalista/professor Nísio Teixeira).

- Site YouTube (Vídeos).

- Site #Radinha (Áudios).

************

Exibições: 426

Comentário de Laura Macedo em 10 janeiro 2018 às 23:55

Feitiço da Vila (Feitiço sem farofa)” (Noel Rosa/Vadico) # João Petra de Barros. Disco Odeon (11.175-A), 1934.

Linda pequena” (Noel Rosa/João de Barro) # João Petra de Barros e Orquestra Odeon. Disco Odeon (11.281-A), 1934.

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2018   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço