Laurindo Almeida teve uma enorme importância ao introduzir o violão brasileiro no mundo do jazz norte-americano, tornando-se um dos violonistas brasileiros mais conhecidos ( sem o "de", como era chamado no Brasil) e apreciado nos Estados Unidos, aonde chegou, em 1947, com trinta anos de idade e por lá viveu por 48 anos até sua morte, ocorrida em 26 de julho de 1995.

Nasceu na pequena cidade litorânea "Prainha", hoje "Miracatu" (perto de Santos - SP), em 02/09/1917. Oriundo de uma família musical - o pai era apaixonado por música e serestas, a mãe pianista amadora e a irmã violonista -, o dom que possuía não foi difícil aflorar.

Em 1929 mudou-se para São Paulo, com o irmão mais velho. Três anos depois, com 15 anos, luta na Revolução Constitucionalista, sendo ferido e hospitalizado. Aí, um fato curioso acontece: conhece o violonista Garoto (Aníbal Augusto Sardinha), que visitava os feridos. Nessa época Garoto, com 17 anos, já tocava profissionalmente. Seis anos depois ambos reencontraram-se no Rio de Janeiro, formando a famosa dupla do ritmo sincopado, atuando, também, ao lado de artistas do naipe de Villa-Lobos, Radamés Gnattali, Pixinguinha. Um pouco mais tarde, também com a orquestra de Carmem Miranda. Antes disso tocara a bordo de um navio de cruzeiro.

O fechamento dos cassinos, no país, em 1946, forçou Laurindo Almeida a procurar trabalho fora do país. Desembarcou em Los Angeles e instalou-se em Hollywood. Ao contrário do ocorrido quando aportou no Rio de Janeiro, onde passou semanas a "pão e água", chegando a dormir em banco de praça, a sorte não demora a tocar sua porta com o convite do pianista Stan Kenton para integrar sua orquestra.

Sua atuação foi brilhante como violonista, arranjador, compositor em trilhas sonoras de mais de duas centenas de filmes. Ela foi indicado 16 vezes ao Prêmio Grammy e tornou-se o campeão brasileiro, emplacando seis troféus.

Compôs e fez arranjos para 800 produções, incluindo filmes de grandes studios de Hollywood. Quem não lembra do belíssimo bandolim executado em "O poderoso chefão? Também o som do alaúde no filme "Os dez mandamentos"?

Na minha infância/adolescência eu jamais poderia imaginar que hoje, passados tantos anos, escreveria sobre o autor dos arranjos do seriado "Bonanza", produzido no período de 1959/1973, totalizando 430 episódios. Aqueles acordes de Laurindo Almeida anunciando que estava começando mais uma aventura da família Cartwright ficaram registrados na minha memória auditiva e afetiva.

Laurindo ficou tão famoso nos Estados Unidos que uma vez um guarda de trânsito, ao identificá-lo numa abordagem, exclamou: Meu Deus! Você é o Laurindo Almeida, tenho todos os seus discos em casa, me dá um autógrafo?

Laurindo Almeida contribuiu muito para a difusão da Bossa Nova nos EUA. Comenta-se que sua gravação (1953 - do disco "Brazilliance") com o saxofonista Bud Skank antecipou, em alguns anos, do ponto de vista musical, o aparecimento da Bossa Nova.

Seu lado compositor precisa ser descoberto pelos violonistas brasileiros, já que poucos gravaram suas composições: Paulinho Nogueira, Toquinho, Paulo Bellinati, Bad Assad.

Pouco antes de falecer sua esposa recebeu por ele a Comenda da Ordem do Rio Branco, a principal medalha do governo brasileiro.

Quando ele morreu a grande imprensa do Brasil não noticiou. Foi uma vergonha, um descaso. Um padre da cidade natal de Laurindo, coincidentemente estava em Londres e testemunhou o impacto dessa notícia nos jornais londrinos, bem como posteriormente, na grande imprensa americana e européia: "a morte de um ilustre brasileiro", essa foi uma das inúmeras manchetes do dia 26 de julho de 1995.

Laurindo Almeida permaneceu em atividade até o fim da vida, finalizando o último CD, "Naked Sea", duas semanas antes de morrer.

O legado de Laurindo Almeida é valiosíssimo para a música, não só brasileira, mas mundial. Ele nos deixou há treze anos, mas sua música não vai morrer nunca. BRAVO!!!

Laura Macedo.

Exibições: 344

Comentário de ivan pedro em 23 julho 2008 às 13:05
Laurindo, mais uma fonte do orgulho que sinto por meu país!
Comentário de Alexandre Francischini em 27 outubro 2008 às 13:07
Para quem tiver algum interesse acerca da vida e obra de Laurindo Almeida, acaba de ser publicada no site do Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista (UNESP) - www.ia.unesp.br - minha dissertação de mestrado, com o titulo Laurindo Almeida:dos trilhos de Miracatu às trilhas em Hollywood.

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço